quarta-feira, 16 de julho de 2008

DIA DO ORGULHO 2008 - PORTO

Este ano eu e a Maria José Guedes fomos convidados para sermos Padrinhos Oficiais da 3ª edição da Marcha do Orgulho LGBT, no Porto, cujo lema foi "Igualdade é essencial, Educar é fundamental!"
Perante tão simpático convite e porque concordamos com o Manifesto que foi produzido, prontamente aceitámos, tendo-nos prontificado a estar presentes na Conferência de Imprensa realizada no Café Guarany e que decorreu bem.

Lamentável, todavia, a falta de participação dos "media"...
Pretendia ser uma Conferência de Imprensa séria que abordava temas de interesse nacional...

No dia da Marcha, lá comparecemos nós, algo receosos de como iria decorrer a mesma e, acima de tudo, de qual seria a participação e de como seria a receptividade por parte da população da Invicta.
Apesar do que a Imprensa dita oficial referiu, nuns sítios cerca de 100 pessoas, noutros perto de 300, penso que se conseguiu atingir a fasquia das 500 pessoas.

Mas a Marcha correu muito bem.
De forma digna, alegre, bem disposta e, acima de tudo, responsável.
De forma racional, como seria de esperar.
Postos à cabeça da manifestação, lá fomos repetir o acto que, já há muitos anos, nem eu nem a Maria José repetíamos...

Se o tema da Marcha e o simpático convite exigiam a nossa participação, mais forte foi o motivo da mesma.
O direito a dizer "Amo-te!", não olhando, como é óbvio e natural, a diferenças de sexo, idade, raça, orientação, credo e outras condicionantes que a Sociedade e a Cultura fazem por usar como barreira à felicidade.

À chegada à Avenida dos Aliados vínhamos cansados mas satisfeitos pelo dever cumprido.

Já na tribuna foi para mim uma surpresa quando me pediram para dizer algumas palavras.
Acedi até porque achei que tinha a obrigação de verbalizar algumas das coisas em que pensava no momento.

Pedi/exigi o Direito à Indiferença, muito para além do Direito à Diferença, o Direito à Felicidade. O Direito a dizer "Amo-te!", sem ter que olhar a quem e que chegasse o tempo de não serem necessárias mais marchas de luta contra as diversas formas de exclusão .
Para o ano lá estaremos acreditando, todavia, que a participação será maior, principalmente das ditas "figuras públicas".
A ver vamos...

13 comentários:

Casemiro dos Plásticos disse...

Bom exemplo, de aplaudir. agora as ditas figuras públicas e os media devia dar mais atenção para chegar a um muito maior público.
abraço e boa semana professor.

liamaral disse...

Parabéns aos 2 por aceitarem o convite sem qualquer tipo de preconceito!
:) Beijinho

Manuel Damas disse...

Um grande abraço, Casemiro e boa semana para si também.
É assim que eu funciono porque, como não me canso de sublinhar sou, orgulhosamente, um Homem de Afectos.

Manuel Damas disse...

É assim que eu sou e gosto de ser, lia.
Um beijinho grande.

FM disse...

Fico contente por saber que correu bem.
Abraço.

Mary disse...

Parabéns por juntar a voz aos que lutam pela igualdade!
Amar é amar...não tem cara, sexo, religião nem raça...por isso todos temos o DIREITO de o fazer!!
Beijinho com carinho

Manuel Damas disse...

Um grande abraço Francisco...Ainda um dia destes espero vê-lo a juntar a sua voz...

Manuel Damas disse...

Obrigado Mary.
Um beijinho grande.

Manuel Damas disse...

Obrigado Mary.
Um beijinho grande.

FM disse...

Pagam-me?!(risos)
Abraço.

ines disse...

mais um degrau na admiração que tenho por si!


Estou a apontar para ir ao RedBullllll. Um grande xi... a rosinha lá está, seca mas vistosa!

Manuel Damas disse...

Meu caro Francisco...ninguém é pago para ser solidário!

Manuel Damas disse...

Um beijinho grande, Inês e obrigado pelos elogios.