quarta-feira, 30 de julho de 2008

ONDE ESTÁS?


Onde estás,
que te não vejo
mas te sinto,
aqui,
ali,
acolá?
Aqui um sorriso,
marca de um passado-presente
sem futuro.
Ali um olhar,
regressado,
de repente,
da espuma dos dias
que passam,
sempre iguais,
sempre os mesmos,
sem ti.
Acolá um gesto,
carinho,
presença,
ausência,
sentido,
chorado,
sofrido,
revoltado,
desistido...
Onde estás,
que te não vejo
mas te sinto
no ar?
Onde estás,
que te não vejo
mas te sinto,
nas costas,
das mãos,
nas palmas,
das mãos,
entre os dedos,
que já sorriram,
entrelaçados?
Onde estás,
que te não vejo
mas te sinto,
em mim?...

38 comentários:

liamaral disse...

Que bonito Professor! Muito mesmo!!

(eu estou sempre aqui!)
:) Beijinho

Manuel Damas disse...

Um beijinho grande Lia.
:))))))))))))

Sunshine disse...

Um dia voltamos a ver, talvez não aquilo que desejávamos, mas outro olhar, outro sorriso, outra presença... voltamos novamente a sentir.
Muito bonito o seu poema!
Beijinhos com raios de Sol

Kristos Diabulos disse...

Sem duvida uma homenagem bonita a quem já cá não está...e lhe era de certeza muito próximo.

Manuel Damas disse...

Um beijinho CC e obrigado pelos seus raios de sol, sempre presentes.

Manuel Damas disse...

Ou ainda está, meu caro Kristos mas não está cá...
:))))))))))))))))
A multiplicidade de interpretações que a mente humana permite.

Kristos Diabulos disse...

A propósito da multiplicidade de interpretações que a mente humana permite, deixo-lhe aqui uma pequena historia:

-Um amigo de longa data que exerce a Ginecologia como profissão , andava bastante intrigado com as seguintes combinações(cor exterior e interior), de um novo automóvel que estava prestes a adquirir...

E num exame ginecológico de rotina a uma paciente de raça negra ; exclama com satisfação:

-Já sei como quero o meu Bentley!!!...Preto com os estofos vermelhos!!!

Manuel Damas disse...

Agora sim!
Agora fez-me lançar uma sonora e saborosa gargalhada...
Não só por isso, meu caro Kristos, mas também por isso, obrigado!

Patrícia disse...

olá Professor
como vão as coisas afinal?
um beijinho

Cristina disse...

"Onde estás,
que te não vejo
mas te sinto,
em mim?..."

Lindo professor! Os afectos à flor da pele em histórias que por vezes se repetem com personagens diferentes ... um beijo carinhoso

joana disse...

Belo poema professor.
pode ser que um dia consiga voltar a ver e sentir em si algo novo,espero que sim.
Seja feliz
Beijinhos

BlueVelvet disse...

A esta pergunta ninguém melhor que o Professor para responder: está na sua pele, no seu coração, nas suas mãos, na recordação.
Lindo e sentido.
Beijinhos, veludinhos e cetins

FM disse...

Perdoe "interromper" este "desespero" mas, como há uma efeméride que quero partilhar especialmente consigo, entendi incomodar só para AGRADECER o facto de, mesmo por acidente, ter sido o mentor e responsável pela Criação do "Essências".
Obrigado e, sem falsas modéstias, Parabéns.
* Ok, agora pode continuar com a "baba e ranho", bem escrita e descrita, por sinal.

Manuel Damas disse...

A vida vai passando, minha querida Patrícia.
Um beijinho grande.

Manuel Damas disse...

É, talvez, a história da Humanidade, Cristina. Um beijo grande.

Manuel Damas disse...

A procura da felicidade, Joana, não pára...é um instinto de sobrevivência.
Um beijinho grande.

Manuel Damas disse...

Mas para viver não basta recordar, "blue"...Um beijinho grande.

Manuel Damas disse...

Um grande abraço de parabéns, Francisco, por um ano de existência do "Essências" que, espero, se multiplique por muitos.
Quanto à "baba e ranho", imagem dantesca, são Afectos, meu caro, são Afectos.
Um grande abraço.

FM disse...

Ânimo Homem! O caro Amigo é um põço de Energia Positiva e anda para aqui a "arrastar-se" por uma lama emocional... Não gosto disso, principalmente em alguém que aprecio. Vá, das duas uma: ou vai em frente e transforma a dor em "novo alento" ou, em alternativa mais eficaz, vai buscar o "que lhe falta" pelas orelhas, dá-lhe duas chapadas e diz: - Estou aqui! Vamos mas é acabar com este orgulho parvo. Já provamos que só estamos bem como "uno" e não como "duo".
Faço-me entender ou... quer que faça um desenho?!
Vá, siga o caminho do coração sem esquecer a razão. Costuma ser o que magoa menos. Boa Sorte... e Energia Positiva.

Manuel Damas disse...

Oh Francisco...
O facto de eu estar a tentar escrever sem ser em prosa, que não lhe consigo chamar poesia não significa que esteja numa lama emocional...
Que exagero, homem!
Quanto à procura da felicidade é essa insana procura que eu faço...mas já me sinto quase como o D.Quixote e os moinhos de vento...cada um com os seus fantasmas e as suas maleitas de Afectos.
Temos que dar tempo ao tempo, Francisco...
Um abraço grande e obrigado pelo apoio...mas anime-se porque não estou assim tão no limbo!
:))))))))))))))))))))))))))))))))))))
E as provocações e participações no seu blog recomeçarão em breve...prepare-se!
:))))))))))))
Um grande abraço.

Juannah disse...

MuiTo lInda E tOCANtE eSta ENtraDA...AFInaL... SENtIR É TRAZEr A nÓS MOMENtoS reCOrDAdos, é voAr...é ir lonGE... PaRabENs;D

Manuel Damas disse...

São Afectos Juannah.
Beijinho grande

Patrícia disse...

Oh Professor não temos colocado a conversa em dia, qualquer dia penso que se esqueceu da sua aluna e loira preferida. Vá...ex-aluna oficialmente...mas na vida nunca se deixa de ser aluna de alguém de quem guardamos respeito.
Ai as saudades daquelas aulas lol...que me deixavam com a cabeça em água só de o aturar:p
um beijo

Manuel Damas disse...

Também tenho saudades suas, Patrícia minha querida! Muitas!

Patrícia disse...

vá confesse lá, não é todos os dias que arranja alguém que responde às suas provocações à letra pois não?:p

Manuel Damas disse...

Resposta à letra às minhas provocações?
De uma loira?
Coff...Coff...Coff..
Pois...
Claro!
Absolutamente!

FM disse...

Já se escrevia algo mais alegre, nem que fossem "politiquices"... (risos)
Abraço e Bom fim-de-semana.

Patrícia disse...

aiiii
vou chatear-me?
arrre lá para o homem

rouxinol de Bernardim disse...

Aqui respira-se o incenso no templo da clarividência!

Filipa Sousa disse...

A vida é mesmo assim, por vezes não temos o que queremos, mas sim o que a vida nos resolveu dar. Há que ter força para lutar contra isso.

Bjinhos

Manuel Damas disse...

Oh Francisco...eu achei o poema bonito.
A questão não era ser alegre ou triste!
:))))))))))))

Manuel Damas disse...

Arre, Patrícia????
Isso é um verbo?
Qual????
:))))))))))))
Beijito

Manuel Damas disse...

Meu caro rouxinol...
Um elogio injusto o seu.
Se aqui houvesse clarividência certamente muita coisa seria diferente...
:))))))))))))))))))))))))))))))
De qualquer modo seja bem vindo!
O seu "nick" fez-me recordar o fado coimbrão e, atrás dessa vieram muitas recordações, em catadupa, dos meus tempos da Universidade de Coimbra e fez-me sorrir, com nostalgia, e os olhos ficarem embaciados.
Também por isso, obrigado e...volte sempre.
Será bem recebido!

Manuel Damas disse...

Minha querida Filipa...
Subscrevo o que diz.
O que não quer dizer que, de quando em vez, não me deixe dominar pela nostalgia...
Um beijinho grande.

Patrícia disse...

nunca mais digo que tenho saudades suas...que coisa...
:-(

Sunshine disse...

Eu é que estou com saudades suas, da Mizé e do SAM televisivo.
Beijinhos com raios de Sol

Manuel Damas disse...

Diz pois!
Eu também tenho saudades suas!
Beijinhos.

Manuel Damas disse...

CC...o SAM está a repetir os melhores momentos ao sábado à meia-noite.
Beijinhos grandes.