terça-feira, 23 de junho de 2009

PARAR...


Há momentos na vida que, pela sua gravidade, impõem reflexão.
Este espaço existe há três anos.
Por aqui fui deixando diversos estados de alma.
Neste momento é preciso que eu pare.
Se o blog vai terminar...não sei.
Se vai continuar...muito menos.
Neste momento preciso de parar para reflectir.
A quem me visita, um "até já" ou "até sempre".

14 comentários:

Mize disse...

Professor, esta sua amiga Está. Não está só, Gosto MUITO MUITO, MESMO MUITO DE SI.

bjs

Gundemarus disse...

Desconhecendo a "gravidade" do momento que atravessas, apenas quero trazer-te à mente o que significa o blog do SAM para algum dos teus leitores: o SAM é como um ritual, é um manancial do qual sorvo sôfregamente tudo aquilo de que nao estou ao corrente por motivos obvios. O SAM é o ritual matutino e muitas vezes vespertino que me informa, que me diverte e me distrai, sobretudo em monentos sumamente "graves"...(imaginas quais)
O SAM é sobretudo o elo de ligaçao que mantenho com o meu passado e com as minhas raízes. Tu, Manuel, és o vínculo mais frequente e mais fiel que mantenho com aquilo que fui, e imagina a importancia que isso pode ter em momentos que para além de nao saberes mais quem és... simplesmente te questionas se AINDA és algo...
Nao te sintas responsável (pelo menos nao por mim...) já que sei que surgiria algum outro meio de manter o contacto, mas analisa bem no teu interior os motivos que te levaram a escrever nesse dia perdido na memória que ficou lá atrás. Se se mantiverem, e estou seguro de que assim é, nao exites!
Recebe um carinhoso abreijo deste amigo para quem tens adquirido muita mais importancia do que podes imaginar.
Um fraternal abraço:
Jorge

Teresa disse...

Não sei o que te faz parar, mas do que vos conheci, essa palavra pouco existia no vosso dicionário. Parar não e nunca.Não preciso de te dar exemplos longos para te dizer quem nunca parou... até ao último dia.
Parar não... não nos deixes aqui pendurados sem ter o que fazer logo pela manhã...
Parar não... quem te visita e te acompanha é porque quer saber um bocadinho de ti... não feches a janela, não páres!!!
Bj Teresa

JC disse...

PROFESSOR, ESTOU CÁ PARA O QUE DER E VIER, SEMPRE!
GRANDE ABRAÇO E MUITA, MUITA FORÇA. JC

empregadita disse...

Então?!??!?! agora que já era um hábito vir aqui todas as manhãs, ou todos os fins de tarde, mesmo que nada de novo houvesse para ler, mas já era, ou melhor, é um hábito passar por aqui...chego aqui e dou com este post!?!?!...ainda por cima num tom que me pareceu profundamente magoado e consequentemente triste! Não é meu costume tecer comentários, devo tê-lo feito uma 4 vezes, mas hoje tenho a ousadia de deixar estas palavras que são de algum desalento( não encontro outro termo para colocar) pelo que li, deveria dizer apoio, mas aí sim era ousadia a mais da minha parte pois a minha "relação" com esta "casa" ou com o dono dela não será para tanto, poderá o meu caro Dr.pensar. Mas, muitas vezes por motivos completamente diferentes, até porque não os conhecemos, percebemos o significado daquilo que os outros dizem, neste caso do que escrevem. São experiências que passam, de uma ou outra forma, por todos e cada um...mesmo sendo diferentes...
...Acredite que as suas palavras tornaram-se uma "companhia" diária. Descobri este blogue mais tarde do que devia bem como o programa....agora que ja estavam bem emersos na minha rotina...dou conta que se vão cedo demais!
Não preciso, eu uma completa desconhecida do Prof. e de quem cá "anda", dizer que faz falta a quem por aqui passa, caso contrário não passariam!
Gostaria de continuar a poder lê-lo... sempre!
Fica, se me permite, um xi coração de uma desconhecida que se habituou a admirá-lo.

JC disse...

Perplexo, muito perplexo mesmo, é o meu estado de alma neste momento.
Acredite que, neste preciso momento em que escrevo este meu comentário, tenho os olhos rasos de água.
Professor, PORQUÊ?
Obviamente que este 'porquê?' não se refere às razões que o levam a uma posição tão repentina e inesperada pois, claramente, isso não é da minha conta.
É, antes, o 'porquê?' que se encontra sempre por detrás das mesmas.
O 'porquê?' de a vida persistir em colocar-nos perante situações em que o sentimento mais forte é o de que mais vale dar um valente pontapé nisto tudo.
Professor, PORQUÊ?
Se eu fosse completamente egoísta, este 'porquê?' poderia ser o início de um pedido de explicações em relação às privações por que nos vai fazer passar (e sei que serão muitas, para muita gente).
Mas, nem sou completamente egoísta, nem tenho o direito de lhe pedir explicações. Nem, tão pouco, acho que as tenha que dar, seja a quem for.
Seria invadir a sua privacidade, o que não faço, ou pensar exclusivamente em mim o que, de facto, nada interessa, neste momento.
Importa, isso sim, o momento difícil por que está a passar.
Contudo, assumo o atrevimento de lhe dizer que são sábias as palavras de quem me antecedeu nos comentários, reveladoras de duas pessoas que bem o conhecem, o que já não acontece comigo.
Sabe, já não é apenas do SAM (programa televisivo) que preciso, quase como do ar que respiro. É precisamente este SAM (blogue) que me faz diminuir a ansiedade provocada pela espera por cada 6ª feira, à 1h 00 da manhã. Também eu bebo vigorosamente todas e cada um das palavras que são ditas ou escritas. Sempre com uma enorme vontade de fazer o máximo de tenção destes líquidos que ingiro voluntária, escrupulosa e conscientemente.
Professor, não escrevo isto para lhe ser agradável. Não tenho que o fazer, não tenho necessidade de o fazer e, sobretudo, não o quero fazer. Seria um insulto à inteligência e dignidade de ambos, não acha? Afinal, em boa verdade, o nosso conhecimento é bem recente e bem restrito, certo?
Agora, o que tenho de fazer mesmo, é ser honesto comigo próprio e sincero. O meu feitio (que não é nada bom e traz alguns dissabores) não me permite ler o que li, sentir o que senti, e não lho expressar directamente. Neste sentido, estou, apenas, a ser o que sinto.
Já tive oportunidade de lhe dizer o quanto o SAM (programa) é importante para mim. O que faço, feliz da vida, para acompanhar-vos, sempre que posso. Acredite que, após o Carnaval, jamais perdi um programa e tenho-os todos.
Agora, acrescento-lhe este SAM.
Ambos modificaram o meu ritual quotidiano, deram uma outra cor e um outro sentido à minha vida e à minha existência.
Sabe bem (e por experiência própria) que, infelizmente, os 'corredores da vida' por onde muitas vezes deambulo, são demasiado pobres de espírito.
Encontrei nestes SAM's, uma forma salutar de exercitar a mente, o espírito, o pensamento, a existência, enfim, encontrei um novo sentido para a minha vida e para o que ando cá a fazer.
Assim, Professor, deixemos os 'porquês?'.
É hora de passar aos 'PORQUES' e: PORQUE faz sentido para si, PORQUE é importante para si, PORQUE é como se fosse mais um filho seu, PORQUE é uma pessoa que gosta e faz sempre o melhor que pode e que sabe, PORQUE, PORQUE, PORQUE... porque nos faz falta, muita, muita falta, embora o Professor diga não saber, eu, que poucas ou nenhumas certezas tenho na vida, quase nunca sei o que quero e, com demasiada frequência, não sei o que não quero, digo-lhe: ATÉ JÁ!
PORQUE O PROFESSOR MERECE TUDO!
PORQUE O PROFESSOR VALE TUDO!
PORQUE O PROFESSOR É (QUASE) TUDO MAS, É, TAMBÉM, HUMANO E, POR ISSO, SOFRE!
Estarei cá para tudo em que lhe puder ser útil.
A AMIZADE mão se agradece, retribui-se.
Mas como não reúno as condições mínimas para me situar nesse patamar, AGRADEÇO e AGRDEÇO MESMO MUITO por ser quem é e quem tem sido para mim, o quanto me tem feito bem e que, tenho certeza, nem imagina quanto...

JC disse...

(e porque a mensagem não estava completa, aqui faica o que falta...)
Que este 'ATÉ JÁ!' seja para breve pois, basta-me a falta de um SAM para eu ficar com SAM (Síndrome de Abstinência Mental...) – Espero conseguir arrancar-lhe um sorriso com este comentário, está bem?
Um Abraço muito, muito forte e muita, muita força, SEMPRE.

navegadora disse...

Nesta noite de S. João, dia de alegria na nossa cidade invicta espero que estes " estados de alma" em que o Parar apetece sejam momentos passageiros. Parar para partir outra vez...navegar sempre professor...beijo de luar para iluminar o caminho, para relaxar se for esse o seu intento.

Casemiro dos Plásticos disse...

Hum... professor até já, espero que volte :)
abraço

lumiere disse...

para tudo
mas vou ter que deixar a santa trerrinha e ir pra ai professor?
ó meu santo casamenteio
guru dos gurus
sei que pra fazer isto algo de grave se deve estar a passar
lembre-se que alem de aluno que fui ficou aqui um amigo
e agora por terras por onde habita estranho o seu silencio
que me vai perturbando a alma de nao saber o que se passa consigo
esta dor de o ver partir e saber que chora
perplexo fiquei quando aqui vim hoje e nao queria acreditar
aonde passa essa força?
aonde vai o homem dos mil e um oficios
aonde vai aqule que tem sempre uma palavra amiga?
aonde vai
e se agora mo permite
aonde vais MANUEL?
aonde vais perdendo as forças que recuperavas das chamas qual fenix
tu es u ma força
e olha a tua volta
em tres anos fizeste aqui muitos amigo
muitos conhecidos
sou novo professor
mas voce sempre foi uma pessoa para a qual olhei e via que poderia ser como o profesor é
nao desista

e se pensar em desistir
sou o primeiro a fazer uma revoluçao aqui no SAM e convoco desde ja uma reuniao de todos os blogueiros que por aqui passsam pra lhe dar o apoio
e pode crer que o blog nao irá morrer
um abraço deste seu eterno aluno
deste marafado
um graande abraço do lumiere

FM disse...

Então, o que é que se passa?! Descubriu agora, tantos meses depois, que o "rústico" é um espaço... IMPORTANTE para tantas pessoas, mesmo as que não comentam?! Vá, deixe-se disso... e volte mas é a escrever com garra, vontade, assiduidade...
Abraço e... ESTOU AQUI.

D. Quixote disse...

Caríssimo DR.,
como eu o compreendo.
De há uns meses para cá a minha vida foi inundada de uma torrente de acontecimentos que me levaram a sentir necessidade de PARAR. É o que tenho feito desde então...pausa para o silêncio, para a reflexão, para a MEDITAçÃO. Pouco a pouco, após o balanço feito, após as batalhas travadas tenho voltado, pouco a pouco, ao meu estado natural de ESTAR e SER: interventiva, comunicativa e acima de tudo, lutadora.
Faltava quebrar o silêncio nas minhas "visitas" cibernáuticas aos blogs das pessoas que de algum modo, neste mundo virtual, passaram a integrar o meu "universo pessoal".
E faço-o para lhe dizer que Compreendo perfeitamente esse estado de alma, a necessidade de PARAR. E que, tal como todos os outros "amigos" que me habituei a encontrar por aqui já expressaram, espero que regresse em breve a este espaço e nos brinde com as habituias reflexões sobre os mais variados temas.
Parafraseando um filme sobejamente conhecido, aqui fica um pedido:"Play it again SAM".

FM disse...

Já estamos no S. Pedro...! Há que avançar... e escrever.
Abraço.

Manuel Damas disse...

Obrigado a todos.