segunda-feira, 27 de agosto de 2007

ESQUERDA CAVIAR E SILVES...


Não compreendo, nem aceito que jovens ditos da moderna esquerda(leia-se BE), a tal esquerda caviar, se tenham atrevido a invadir, violar e violentar uma propriedade privada.
Foi um plano, previamente arquitectado, segundo referem, para destruir uma plantação de milho transgénico em Silves...e a que chamaram "destruição simbólica"!
O que me irrita sobremaneira é que uma grande parte desta "catraiada" é originária de "famílias ditas bem" que, um dia, acordaram entediados e decidiram virar ecologistas, quiça para provocar a ira paterna...Logicamente que não abdicaram das gordas mesadas porque isso obrigaria a uma coisa terrível...trabalhar para sustento próprio! E a esquerda moderna é teoricamente apaixonada e de causas...Trabalho obrigatório, não dá muito jeito e não enquadra.
Da vontade à decisão, foi um salto...
E há que envergar o estereótipo completo!
Sandálias de couro, castanho, não tratado, às tiras, sem salto e de prender no dedo grande.
Calças de tipo alinhado, habitualmente às riscas, enrugadas e, de preferência com aspecto andrajoso.
Túnica de tipo tunisino, de aspecto sujo.
Cabelo descuidado e, se possível, com rastas ou "look" afro.
Uma parafrenália de brincos, colares, pulseiras e "piercings".
O lenço marroquino, aos quadrados pretos e brancos, como convém!
E temos o modelito pronto...
Mas se esta geração ecológico-contestatária-anárquica alguma vez tivesse sentido, na pele, por necessidade e obrigação, as agruras da lavoura, de sol a sol, de enxada às costas, de mãos calejadas e a suar "em bica", deixar-se-ia de pseudo-modernismos, "à la carte" e perceberiam a fúria desesperada e impotente do proprietário do terreno de 50 hectares destruído!
É isto democracia?

8 comentários:

FM disse...

Assino por baixo.

Manuel Damas disse...

Obrigado!

Patrícia disse...

ainda bem que lança a dica...quando vi no telejornal esta notícia e olhei para a cara de satisfação do "representante responsável" por esta acção e a comparei com a face do proprietário cuja expressão era de dor, preocupação e, acima de tudo, incompreensão...senti-me revoltada. em que se bazeiam estes pseudo-ambientalistas para fundamentarem tal devastação não só no campo de milho mas também na vida daquele homem e da sua família. isto não é democracia, isto é uma versão deturpada de democracia.

Mize disse...

Democracia? Quanto lirismo...

joana disse...

Quando estas pessoas tem tudo na vida,e infelizmente nunca passaram necessidades,andam para ai armados em não sei o que a destruir o sustento de outras familias...
Se obrigassem agora a ir plantar aquele espaço iam ver como doi no corpo,trabalhar no duro,estas pessoas tiram me do serio,não tem nada que fazer depois é no que dá,,,que raiva.......
beijo professor e uma boa semana

Manuel Damas disse...

Isto não é democracia, Patrícia...isto é um atentado.Isto é terrorismo!
Foi invasão de propriedade privada, ainda por cima, a grande maioria estavam encapuçados, quais assaltantes!
E se o dono varia tudo a tiro?
E se o dono, com a aflição, tinha um enfarte?
Inconsequentemente selvagens, estas criaturas!

Manuel Damas disse...

E nós bem sabemos quem está por tudo isto, não é Maria José!
O Gualter surge numa lista de candidatura autárquica...Imagine-se porque partido?

Manuel Damas disse...

Subscrevo, Joana. Mas eles vão mais longe...dizem que oferecem sacas de sementes...mas exigem que o dono mude a plantação!
Mas com que direito é que estes "terroristas de extrema esquerda" se arrogam de poder mandar na vida privada de cada um?
Assim foi com o Badden-Meinhoff!
Assim foi com as "Brigadas Vermelhas"!
Mas assim não será com o Bloco de Esquerda!!!