quarta-feira, 14 de novembro de 2007

ESRT


Mais uma palestra feita...uma outra para alinhavar, numa qualquer escola do país!
Esta, foi diferente...até porque todas são diferentes.
Esta acabou por ser mais original...principalmente porque a apresentação que eu levava decidiu não abrir e eu vi-me na obrigação, inesperada, de falar durante 3 horas sem qualquer tipo de suporte visual, para além da minha figura.
Mesmo assim, acho que correu muito bem.
Casa cheia, num anfiteatro moderno e bem equipado. Não fora a "gracinha" informática e tudo teria corrido deliciosamente.
Mesmo assim o ego saltou quando acabei, duas horas depois e as pessoas recusaram-se a sair da sala...porque queriam mais!
Uma vez que havia aulas planificadas outra solução não houve do que sairem todos os alunos do anfiteatro e reentrar quem quisesse...Resultado...voltaram a entrar quase todos e eu tive que falar mais uma hora!
Assim sendo, saí com a noção plena do dever cumprido e de ter sido polémico mas pedagógico quanto baste!
Para quem ache que tudo isto é fácil( quase parece a letra do fado) imagine-se perante uma audiência irrequieta porque em pico hormonal, ávida de ouvir e...sem ter um único diapositivo para apresentar, uma única imagem provocante para chocar ou para estimular a atenção.
Tenho que confessar...não é nada fácil!
No fim pediram-me para voltar e eu aceitei.
Estes jovens merecem ser acarinhados, elucidados, compreendidos, amparados, escutados!
Cada vez mais não aceito ouvir dizer que esta é uma geração rasca...até porque não é!

44 comentários:

FM disse...

Esta geração não é rasca... Concordo mas que também tem muitos, lá isso tem... Mais ainda numa sociedade com tanto acesso à informação.

Sunshine disse...

Geração rasca? Quem se lembrou deste nome, esqueceu-se que a sua geração tinha contribuído para a sua formação? De certo não, pois assim o que estaria a intitular-se?
Que geração é esta? Aquela que esta sociedade deixa formar... sem pensar em valores, em mostrar exemplos de Homens que transcenderam o Homem comum, que transmite a ideia que a vida deve ser vivida na procura do prazer imediato, venha ele na forma que vier, sem rerpeito por regras, porque eles próprios são incapazes de as respeitar, que não transmite a necessidade da exigência cada um deve ter para consigo e por aí fora...
Para quem cresce numa sociedade assim acho que os jovens de hoje não se estão a sair assim tão mal!
não acredito que esta sociedade assim, da forma negra que descrevi, esteja para durar... espero, porque sou optimista, que outra venha a nascer, se calhar a partir da denominada geração rasca.. talvez aprendam com os adultos de hoje o que não se deve fazer e cmecem a construir uma sociedade melhor!!!

Manuel Damas disse...

Mas a informação nem sempre é veiculada da forma mais correcta, Francisco!

Manuel Damas disse...

Apesar de tudo, sunny, ainda tenho esperança nos jovens de hoje!

FM disse...

Claro que não Professor, nem coloco todos no mesmo cesto... só refiro que, como em tudo, há de tudo... e lamento que s note mais nos dias de hoje mesmo com tanta informação... Onde estão os valores? As relações? Os objectivos construídos degrau a degrau? Onde estão e como estão os pais que permitiram criar filhos mais "rascas"... Enfim.
O meu filho, espero,não será uma mistura de playstation e chat... Pelo menos lutarei por isso.

Manuel Damas disse...

Gosto dessa declaração de princípios...por mais irreal que seja, até porque não deixa de ser uma declaração de princípios...

FM disse...

Irreal? Olhe que não, olhe que não... e todas as declarações são importnates, quanto mais não seja para quem as subscreve ou escreve.

Catarina disse...

Nós somos duas alunas da escola secundaria de rio tinto que participamos da sua palestra "Dialogos sobre sexualidades". Como é de imaginar quando o tema é tão polémico como o que foi escolhido para nós assistirmos, o interesse é obvio, mas como referiu num dos seus comentarios quando vemos uma pessoa estranha ficamos sempre de "pé atras". Como disse teve os seus precalsos, e diga-se de passagem a nossa professora de biologia ficou um pouco atrapalhada...e nós um pouco desanimadas depois de ter dito que a sua apresentação até tinha umas "imagens engraçadas". Mas passado algum tempo de ter iniciado o seu discurso o empolgamento e interesse voltou! Somos sinceras, isto de o professor nao conseguir ficar muito tempo no mesmo sitio (em frente a plateia) deixou-nos um pouco tontas! =)
Achamos imensa piada a maneira como encara este tema e nos tenta motivar e ensinar algo mais sobre isto, mas sempre sem ser demasiado pesado, ja que, como comentou temos as hormonas no pico!
Queremos claro que volta a nossa escola e se possivel ainda este ano ja que é a nossa ultima passagem pelo ensino secundario.
Agradecemos muito a paciencia com estes adolescentes cheios de vida.

Escrito por Catarina e Tania do 12ºA

Manuel Damas disse...

Eu referia-me ao "irreal" na sua contestação à playstation e à sms...Não conseguirá combater estes icones do consumismo. Por muito que queira armar em D.Quixote. Aliás, no seu caso, em Sancho Pança!
:)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))

Manuel Damas disse...

Obrigado, Catarina e Tânia, pela vossa visita a este "castelinho" e pelas vossas simpáticas palavras!
Mesmo com contratempos é para mim um desafio cada nova palestra!
É sempre uma situação nova e diferente. Lógico que voltarei à Escola Secundária de Rio Tinto. Basta vocês quererem, eu poder e ser convidado.
Entretanto convido-vos a assistir ao meu programa de televisão, o "Sexualidades, Afectos e Máscaras", convite que já tinha oficializado na palestra e agora renovo. À sexta-feira, na Porto Canal, às 0.30.
É um programa diferente, em directo, sobre Sexualidades mas em que eu surjo igual a mim mesmo...irrreverente, preocupado, pedagógico, provocador.
Penso que vão gostar.
Esta semana o tema promete, uma vez mais..."Sexualidades e Religião"!
Aqui, voltem sempre, porque a "janela internáutica" está permanentemente aberta.
Um beijinho para as duas.

seqso disse...

O SEQSO (Somos Estudantes e Queremos uma Sexualidade sem Opressões) é um grupo de estudantes de várias escolas que exige a disciplina de Educação Sexual nas escolas, extra-curricular (obrigatória mas sem contar para a avaliação), dada no primeiro ano de cada ciclo (no quinto, sétimo e décimo), abordando várias matérias que vão muito para além dos métodos contraceptivos e as doenças sexualmente transmissíveis. Acreditamos que é possível desmistificar muitos tabus, como a homossexualidade ou a identidade de género, queremos que sejam discutidos muitos assuntos que têm a ver com a sexualidade em si.
Este projecto no Porto já esta em andamento (sendo de inicio constituído por 8 escola, mas mais virão), o jornal esta a ser distribuído e os núcleos de Lisboa e Coimbra, se tudo correr bem, ficam prontos já neste ano 2007.

Fiquem muito contente e entusiasmado por o ter conhecido pessoalmente e por defender o nosso projecto. Fiquem da tal maneira entusiasmado, que fui logo ver se haveria mais alguma palestra sua lá escola nos próximos dias, tive a desilusão de tal não acontecer. Vou ver o seu próximo programa e estar atento a todos os restantes. Mais uma vez insisto, espero sinceramente o seu apoio a participação neste projecto. Porque apesar de saber que já a vinte anos luta para que acha Educação Sexual nas escolas (o que demonstra o quão atrasados andamos), desta vez temos uma ajuda suplementar, que faz toda a diferença. Os jovens vão-se unir a nível nacional, para lutar por uma verdadeira Educação Sexual. Sabemos que talvez não vamos mudar nada agora, mas ao menos consciencializamos futuros eleitores para mais uma das lacunas do ensino português, e esta é uma das mais profundas.
Queremos associarmo-nos a tod@s que acham fundamental que haja uma verdadeira existência desta temática nas escolas. Por isso, como já lhe tinha dito, vai receber de certeza, notícias nossas.

É por isso que acho que quem diz que somos a geração rasca, anda a ver as coisas mal, muito mal mesmo (mais do que eu que sou míope).
Nós não somos a geração rasca. Somos sim, a geração à rasca.

Diogo Silva

Catrapau disse...

A vontade e a curiosidade estão lá de facto, mas serão duas ou três palestras anuais que vão findar esta carência? Digo isto sem qualquer tipo de demérito para o Sr. Manuel Damas, até porque, em conversa já me apercebi que partilha da nossa opinião (S.E.Q.S.O).
Pessoalmente, sem questionar a sua utilidade, encaro estas palestras e conferências sobre este tema, como uma espécie de penso rápido. Cessa algumas dúvidas assim como levanta outras. E quando vão ser colocadas de novo? Na palestra do ano seguinte? No psicólogo? Todos aqueles, com conhecimento da realidade escolar actual, sabem perfeitamente que essas dúvidas não são esclarecidas. À transversalidade, os professores respondem com evitabilidade, e esta, é a realidade.
Sendo assim, a Ed. Sexual é dada aos alunos não pela escola, mas por elementos exteriores, que tal como o Sr. Manuel Damas se prestam a tais afazeres, tendo sempre em conta claro, a sua disponibilidade e boa vontade. Isto não é Educação Sexual, tal como está prevista em lei há 23 anos.
Não tive oportunidade de estar na palestra mas gostaria muito. Espero por uma próxima oportunidade.

Diogo Gonçalves

joana disse...

Professor,tenho esperança na nova geraçao,sou optimista,mas como em tudo,existem sempre as excepçoes a regra.
Ao meu filho,só espero conseguir passar lhe todos os bons principios,que me foram passados a mim,e espero que ele tenha sempre a `cabeça no seu devido lugar`

Catarina disse...

Nao tem de agradecer foi um prazer poder ouvi-lo falar de todos aqueles assuntos com tanta simplicidade e calma! ;)
Vamos com certeza tentar ver o seu programa e segui-lo com muita atenção porque apesar de tanta informação e de tao facil acesso a ela ainda é considerado tabu falar destes temas e , do nosso ponto de vista, é preciso mais pessoas de mente aberta e disponibilidade para se dispor a responder a tantas questoes que pairam sobre os varios temas.
Um assunto do qual gostavamos muito que nos ajuda-se é o trafico nas crianças. O nosso trabalho da área não disciplinar Área de Projecto irá ser sobre este tema o qual nos achamos cada vez mais essencial ser falado mas existe muito pouca informaçao! Nos temos ja algumas ideias que vamos tratar e queriamos ate fazer um pequeno video (reportagem) em que tivessemos varias pessoas de classes etárias diferentes e com ideias diferentes deste tema para podermos discuti-las e tentar passar uma mensagem as pessoas que nos estao mais perto. Assim era nossa ideia, e gostariamos muito, que participasse mais tarde nesta nossa reportagem onde, se quisesse, daria a sua opiniao sobre o assunto e quem sabe fazer outra palestra sobre este tema. Para já, e mais uma vez se quisesse e se ouvesse disponibilidade da sua parte, gostaríamos que falasse do assunto aqui no seu blog para nós podermos ver até onde vão as ideias das pessoas sobre o trafico humano e se nos desse autoriação mais tarde utilizariamos o seu comentário e os outros para fazermos uma pequena analise inicial sobre o problema! Agradecemos a sua cooperação!

Catarina e Tânia

Manuel Damas disse...

Ora bem...
Vamos lá responder, em conjunto, aos meus caros Diogo Siva e Diogo Gonçalves.
Antes de mais, peço desculpa por responder aos dois, em conjunto, mas como o tema é o mesmo, apesar de os registos serem algo diferentes, vou-me permitir juntar a resposta, sem desprestígio, obviamente.
(em relação às discretas "mordidelas" do Digo G., as respostas irão aqui também)
Pois bem...
Foi com enorme prazer, muita simpatia e alguma vaidade que tive conhecimento do vosso "SEQSO"...E não é por acaso que digito a sigla em maiúsculas...acho que a iniciativa é meritória e necessita e merece ser divulgada.
Tenho pena é que seja necessário que surjam movimentos da Sociedade Civil para colmatar as faltas que o "Sistema" se permite, abusivamente, a continuar a não ver ou ouvir!
Relativamente à Educação Sexual, concordo convosco na globalidade, diferindo na especificidade.
Porquê extra-curricular? A Educação Sexual terá que ser menor em relação a uma Religião e Moral? A uma Educação Cívica? A uma Educação Visual? A uma Educação Física? A uma Matemática ou a um Português?
Porquê?
Apenas e tão só se trata da nossa Sexualidade, da nossa Afectividade, da nossa intimidade, da nossa VIDA...então, porque menorizá-la?
Também não compreendo a razão de defenderem ser no 1º ano de cada ciclo.
E os outros?
E o 12º ano?
Eu, na realidade, defendo que seja uma disciplina, igual a todas as outras, em todos os anos, desde o Básico ao Superior.E com avaliação obrigatória, obviamente. Há coisas de ES que têm que ser decoradas, para ser avaliadas e consecutivamente, ficarem no "disco duro"...
Mas há também a questão do Ensino Superior. Em Medicina continua a não fazer parte dos curricula, assim como em todos os outros sectores da Saúde.Estes são, apenas, alguns argumentos.
Relativamente à vossa organização apoio-a de modo frontal e activo.
Deste modo, será o destaque positivo da semana no meu programa de televisão de hoje.
Por outro lado, e também um pouco por vossa causa, já combinei com a jornalista que trabalha comigo na TV que o tema do próximo programa será, precisamente, a Educação Sexual.
Acresce, ainda, que é um programa que não tem convidados mas recebe chamadas em directo. Assim sendo, quando queremos ouvir alguém directamente relacionado com o tema, a TV contacta a pessoa em causa que presta declarações em directo.
Deste modo, gostaria de ter algum contacto vosso para que a tv vos possa contactar para que alguém do SEQSO entre em directo no programa da próxima semana, dia 23/11.
Também acredito e defendo que não sejam a geração rasca...escrevi-o numa crónica do jornal há já alguns meses, que achava, isso sim, que eram a "Geração à Rasca"!
Agora nós...Diogo G.
:))))))))))))
Obviamente que não são 2-3 palestras no ano que resolvem a questão!
E eu também não pactuo com isso.
Até porque, convém que saiba que, maioritariamente, realizo estas palestras a título gracioso...aliás, acabo por perder porque, para ir fazer uma palestra, tenho que deixar de trabalhar em outra clínica e, como tal, não ganho esse dia!
:)
Por isso, acho injusto que insinue que eu pactuo com o sistema!
Logo eu que não tenho o" tacho" de pertencer ao GTES e, como tal, estar há 3 anos a ganhar milhares de euros, para nada fazer e nada produzir, para além de um sonoro e rotundo NIM!
Até porque se houvesse ES nas escolas eu continuaria a ser convidado, já não para discutir "em que altura é que se deve colocar o tampão" ou "se posso engravidar num WC úblico" e poderia discutir sobre temas bem mais profundos como a igualdade de género, as orientaçoes e tantos outros temas!
Obviamente que é um penso rápido...mas é preferível um penso rápido do que continuar a deixar cair o sangue pelas pernas abaixo!
Ma eu nunca defendi a transversalidade...antes pelo contrário! Esse é o esquema que de forma cobarde mais permite que se evite a temática da ES.
E também não defendo a biologização da questão...Não é isso que os jovens querem ou necessitam de ouvir.
Chega ou quer apanhar mais?!
:))))))))))))))))))))))))))))
E pronto...já chega a toalha de argumentação!
Espero que para vós e para mim tenha sido uma optima oportunidade conhecermo-nos e, acima de tudo, que assim se inicie uma intercolaboração profícua num único sentido que todos queremos, sem medos, nem vergonhas! A criação em definitivo(com 20 anos de atraso) da Educação Sexual no nosso País.
E espero contar com a vossa presença numa outra qualquer palestra...até para podermos guerrear um pouco mais, Diogo G.
Um abraço e fiquem bem.

Manuel Damas disse...

E vai ter Joana, com uma mãe como a que tem.
Um beijinho

Manuel Damas disse...

Oh Diogo G...e veja se reactiva o catrapau!
:))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))

Manuel Damas disse...

Olá Catarina e Vânia...Seja bem vindas
E com que sugestão!!!!!
"O tráfico de crianças"...um tema terrível de que pouco se fala mas que urge trazer à luz do dia!
Tema nebuloso qb...
Concordo e aceito a vossa provocação.Deixem-me pensar dois ou três dias a melhor forma de tentar introduzir o tema aqui no blog.
Um beijinho

Catarina disse...

Aguardamos as presadas noticias!

Obrigada =)

Catarina e Tânia

seqso disse...

É claro que lhe vamos dar um contacto nosso, Segunda-feira envio um e-mail com um dos nossos contactos.
Temos é que depois falar sobre as nossas divergências, vai ver que se calhar as nossas sugestões para ES não são para menorizá-la, mas sim para valoriza-la. Já que assim, os alunos iam para uma disciplina, que realmente estão interessados em aprender, e o facto de ela não contar para a nota (ter só uma nota global como a Formação Cívica e o Estudo Acompanhado), ia fazer com que os estudantes fossem para a aula com uma postura mais relaxada e descontraída. Que na minha opinião é a melhor forma de abordar este ou outro tema (como o professor bem sabe). =P

Diogo Silva

Catrapau disse...

Ora bem, vou tentar não me estender demasiado.
Acho que é errado por ao mesmo nível disciplinas como a Matemática ou o Português, a Ed. Sexual. Como é evidente, todas as disciplinas desenvolvem competências diferentes mas todas elas, intelectuais (com a excepção de Ed.Fisica). Ora, uma disciplina como a ES teria que abordar questões de foro sentimental. A forma como cada um de nós aborda esses sentimentos e a forma como os vive, é evidentemente diferente. Logo, isso iria gerar grandes problemas de avaliação.
Como referiu também o outro Diogo, é importante os alunos sentirem-se à vontade para pôr determinadas questões, e não se sentirem pressionados com o que vão dizer, sob pena de serem penalizados na sua avaliação. Essa necessidade de avaliação iria obrigar os alunos à memorização. E essa não é a melhor forma de encarar muitos assuntos relativos a esta área, mas sim a compreensão.
É a minha humilde opinião 

Bom, quanto ás “mordidelas” que fala... É importante salientar que não me referi ás palestras como algo negativo. Muito pelo contrário. Todos os alunos devem estar agradecidos por poder contar com pessoas como o senhor que, exactamente como referiu, fazem-no a título “gracioso” sacrificando outras actividades, e eu sou um desses alunos. Contudo, nunca será suficiente. Essas palestras, caso venha a existir uma ES, devem prosseguir com outros temas, que não os habituais. E tudo isto é progressivo. O domínio de uns temas, possibilita mais abertura e frontalidade noutros, á partida, mais polémicos.
Do sistema que fala, todos fazemos parte, a meu ver. Agora dentro dele, existem papeis distintos, e com maior ou menor importância. O seu e o de outras pessoas, que se disponibilizam a formar alunos, é o que se reveste de maior importância, numa perspectiva pedagógica. Sim (!), faz parte do sistema, mas com um papel positivo e acima de tudo interventivo.
Quanto ao convite feito ao SEQSO, fico como é óbvio satisfeitíssimo com a oportunidade e agradeço-lhe desde já, em nome de todos que dele fazem parte, esta divulgação, que como é óbvio, é muito importante.
Por último, quanto ao meu blog… espero que o incentivo signifique que gostou  . Tem sido complicado mantê-lo activo, mas ou muito engano, ou esta para breve um post.



Diogo Gonçalves

Manuel Damas disse...

Catarina e Tânia...preciso de tempo mas espero sair alguma coisa de jeito.
Beijinho bom...
:)))))))))))))))))

Manuel Damas disse...

Diogo S...vamos ter que falar mais calma e detalhadamente sobre isso.

Manuel Damas disse...

Oh Catrapau...
:))))))))))))))))))
Então os afectos não fazem parte da intelectualidade? O amor não é filho do intelecto?
Relativamente à avaliação logicamente que ela não poderia incidir sobre questões tão subjectivas como o ciúme, o desejo, o amor, entre outras.
Mas poderia e deveria incidir sobre questões como a menopausa, a menstruação, o uso dos preservativos, a fecundação, o período fértil e tantas, tantas outras.
Quanto ao seqso tenciono ajudar no que puder.
Obviamente que gostei do blog. Espero por um novo post...a preguiça intelectual também é um defeito.
:P

Catarina disse...

Não se preocupe com o tempo. Nós ainda estamos numa fase de planificação e analise do tema que escolhemos por isso não ha pressas! =)

Assim até faz com que venhámos aqui mais vezes ver o seu blog na espectativa de ver o nosso pedido aqui espoxto! È uma honra..ah pois! =D

(P.S: o Herman a dizer beijinho bom tem aquele ar assim...bem o professor sabe...não queremos que o tenha tambem! =D (brincadeira! =D))

Beijo Catarina e Tânia

Manuel Damas disse...

A intenção foi mesmo essa,Catarina e Vânia...Esticar a corda!
:))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))

Catrapau disse...

Olhe que não, olhe que não. Quando falei no conhecimento intelectual, queria transmitir a ideia de um conhecimento processado pela razão, pela captação de conceitos e a sua inter relação. Ora, os afectos nada dizem respeito à razão. No máximo podemos tentar contraria-los, tal é a nossa incapacidade, de os gerir.
Concordo que a avaliação possa incidir sobre outras questões mas como se iria gerir uma disciplina, com conteúdos que podem ser avaliados e outros em que é impossível faze-lo?
Bom, mudando de tema. Quanto ao programa de ontem, foi a minha, ou a nossa primeira vez, e penso que todos gostamos. Especialmente do destaque positivo que curiosamente, já não me lembro muito bem qual é :p
Bom são temas que de facto, possibilitam horas e mais horas de conversa. E é sempre de louvar quem opta pela ruptura do que mais propriamente pelo politicamente correcto.
Os meus parabéns!

P.S.: Oh meu caro Manuel Damas, quando fala de preguiça intelectual (agora é o senhor que anda as mordidelas :) ), está a pôr em causa a minha capacidade, enquanto ser humano, de sentir? Sim, porque tal como diz, os afectos são parte integrante dessa intelectualidade.

:)

Manuel Damas disse...

Oh Diogo G...
Desculpe lá que contraponha mas você fala-me de um conhecimento filho da razão...e o conhecimento filho da emoção?!
Sabe...é que eu sou um homem de afectos...mesmo sendo um homem de formação científica.
Os afectos nada dizem à razão?????
Se fosse a Ágata a dizer isso ou, quiça, o Marco Paulo...ainda aceitava. Agora um "mancebo" :)))))))))) a quem eu antevejo alguma capacidade de contraditório, talvez até algum arcaboiço de mente...
:))))))))))))
Arrisca-se a revelar-se um servo da razão?
Lembra-se de Galileo Galilei quando no leito de morte dizia "Et piu si muove"...que eu referi no programa?!
É que o contexto era, sem dúvida científico, mas a valoração, a essência, a conceptualização era, sem margem para dúvidas, do reino da emoção!
Não consigo conceber uma vida asséptica, sem emoções!
George Orwell anteviu isso e a visão não era, de todo, colorida!
Porquê tentar contrariar os afectos...porque não vogar ao sabor deles?
Óbvio que estou às "mordidelas"...
:))))
E porque não?!
"Nada mais tenho a declarar, excepto a minha genialidade", diria Oscar Wilde no seu leito de morte!
Não o subscrevo na totalidade...acho eu?!
:)))))))))))))))))))))
As suas máscaras, Diogo, são mesmo por convicção ou por medo?
É que se temos medo dos afectos, se temos medo de um dia destapar a a caixa de Pandora...talvez ela nos surpreenda e expluda...ou imploda.
Desculpe o conjunto de "mordidelas" mas foi você que se pôs a jeito e eu...quando vejo alguém a jeito e com capacidade de resposta...apetece-me provocar e nem sempre para "épater les bourgeois"...como diria o meu querido e velho Eça.
Responda se lhe apetecer...e souber?!
:))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))

Catrapau disse...

Ora boa noite mais uma vez :)) Oh meu caro quer-me parecer que quando se referiu a Óscar Wilde nessa famosa citação, pretendia realmente aplica-la a si, na sua totalidade :)).
Bom, o facto de ter referido o conhecimento fruto da razão, não significa que não admita um conhecimento emocional!! É exactamente esse conhecimento emocional que se torna quase, ou mesmo impossível de avaliar, tal como já referi. Como é evidente, tiramos ilações, que se vêm a tornar úteis, aquando de uma experiência afectiva( um namoro, uma amizade…). O que difere razão e emoção é a forma como estes surgem. O primeiro surge da aprendizagem e relacionamento de determinados conceitos (conhecimento cientifico), o segundo como que nos aparece de estímulos por vezes altamente enigmáticos. Medo, ciúme, paixão… De sentimentos como estes resultam outros mais complexos. O que quero com isto dizer, é que o controlo sobre estas emoções, é altamente diminuto! Não existe um interruptor, não existe a facilidade de alteração de pensamento, como existe com um determinado conceito.
Bem, quanto à sua pergunta: se me considero um servo da razão… O professor é com toda a certeza uma pessoa instruída e mesmo que não o fosse, saberia perfeitamente que ninguém é imune a sentimentos. Por isso mesmo, quero acreditar que se tratava somente de retórica. :)
Outra pergunta que deixa no ar remete-nos à velha questão… quem escutar? A cabeça ou o coração? Os dois de preferência creio eu, mas se tivesse de optar, definitivamente, escolheria a cabeça. O professor como homem de afectos tomaria a opção contrária? Mais uma vez, controlo e espontaneidade…
Bem, o professor tomou-me como uma pessoa fria em toda a sua resposta, e a minha duvida é simplesmente, porque?! Fará parte das “mordidelas”? Diga-se de passagem que tanto a Ágata como o Marco Paulo parecem-me extremamente emocionais: daí talvez a denotação negativa que tem deles. :)

Achei muita piada, as constantes citações… os chamados argumentos de autoridade, como se o professor não o fosse suficientemente.
Olhe, é como o povo diz, “a intenção é que conta”.
:))
Diogo Gonçalves

Manuel Damas disse...

Hum...
Gostei do que li e obviamente vou responder...Nada mais estimulante do que a "guerrilha" pela palavra (escrita), bem intencionada, obviamente, mas também provocante.
Ainda por cima aprecio quando se lê alguém que raciocina, ainda que sob a alvorada de uma vintena de anos...o romantismo da juventude, eivado de irreverência, umas gotas de inocência, iniciativa e originalidade aos quilos e aí temos a mescla pronta a ir ao forno do passar pesado dos anos.
Pois...
Daqui é um pouco diferente, e invertendo a ordem da argumentação, ainda que não prejudicando o raciocínio, desta vez não vou usar citações argumentativas até porque , na Pirâmide de Maslow a minha auto-estima já ficou mais do que tintilada com a sua suposta ironia subliminar de afirmar que eu não necessitaria de me esconder atrás de nomes grandes...
Mas regressemos ao fio condutor...(não, não vou dizer que é de Descartes)!
:))))))))))
A velha e eternizada disputa...o primado à razão ou à emoção!
Vocês os que defendem o primado da razão fazem-no porquê?
Amedrontados que a emoção vos faça cair uma lágrima e, com ela, todas as máscaras que foram construindo ao longo dos anos com "sangue suor e lágrimas"?
Até porque com o esboço muito ao jeito de esquizo que fiquei do seu rosto, pareceu-me um "facies" demasiado cinzelado para se permitir a gargalhada fácil e solta tão só e apenas porque apeteceu.
Nem tão pouco uma lágrima furtiva (pois...isto é o que dá estar a tentar argumentar com o Andrea Bocelli de fundo...).
As lágrimas, porque acredito que as solte, fá-las sair em segredo porque um homem(racional) não chora, não é meu caro?
Pois eu choro, e tenho orgulho em conseguir fazê-lo. Se algum dia o deixar de fazer significa que cristalizei e aí...não sei se algo mais interessará!
Não vou comentar a "mordidela" relativamente ao Wilde...deixo ao equilíbrio oficialmente justo de um juizo racional a decisão!
:))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
E agora uma manobra de avanço, porque sempre me ensinaram que a melhor defesa é o ataque...
Mas você tem medo das emoções porquê?
Por defesa?
Por instinto de sobrevivência?
Pelo medo do que a erupção do vulcão possa desencadear?
Agora sim...penso que reequilibrei os pratos da balança...
É que no seu último contraditório a estocada das citações mereceu um ponto limpo!
A amizade...
O amor...
Passarinhos a bailar..
Oh!
Por favor!
Deixe-se de tretas!
Consegue melhor do que isso!
E o desejo?
O desejo é racional?
O enlevo que um rosto, um sorriso, um olhar causam em nós, com ponte directa para o sistema límbico passam pelo crivo da razão?
Balelas, meu caro...
Desculpas de mau pagador!
Criancices de uma adolescência revolta mas ainda não iluminada pelo saber de experiência feito...
( bem...esta até a mim doeu)!
Calma que ainda não acabei...
Ferido de morte você agoniza mas..ainda falta o golpe final...o de Mestre!
:)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Que eu obviamente não darei porque como sou um homem de afectos e, como tal, adepto da emoção, não consigo concluir que uma estocada final, com o adversário de rastos, e que racionalmente remataria a questão em definitivo, seja a melhor solução!
:)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Emocionalmente prefiro mesmo que você vá lamber as feridas e regresse(se quiser, óbviamente) disposto a um novo contraditório.
Até lá!

Catrapau disse...

Oh meu caro Damas (se me permite), esse argumento do “ainda tens muito para aprender”, usa a minha mãe quando se lhe esgotam os argumentos válidos! Espero que não seja o caso, porque tenho todo o gosto em “guerrilhar” consigo. :))Originalidade felizmente não me falta, como referiu e bem.
Adiante… Já se apercebeu, que se refere á razão de forma extremamente depreciada? É que me custa acreditar, que uma pessoa como o senhor tenha chegado onde chegou, somente como um “homem de afectos”, ou estou enganado?
Não sou um defensor intrínseco da razão, é importante frisar isso. Mas se somos diferentes das restantes espécies que habitam este planeta, deve-se precisamente á nossa racionalidade, ainda que por muitas ocasiões nos tenha levado por caminhos muito sinuosos.
Bom, e engana-se vivamente quando me acusa de não ter um sorriso fácil e de não chorar! Compreensivelmente, pois não me conhece. Este é de resto, um exemplo muito prático da falibilidade das sensações, não concorda? Sim, são a base do conhecimento científico mas, a experiência é que o corrobora! Falhou-lhe essa parte meu caro. :))
De resto, tenho pena que todo o seu raciocínio, se baseie numa premissa falsa, porque muito da sua resposta… passou-me ao lado!
Bem, como é óbvio, o desejo não é racional. Nem eu, em qualquer altura o disse. Mas tenho que admitir, que a estocada da falta de experiência era brilhante. Pena que mais uma vez, tenha falhado o alvo, pelo que reagi apenas com uma grande gargalhada.
Tem que fazer melhor que isso meu caro, muito melhor...
Contudo, o facto de me ter poupado à estocada final (ou inicial?!), mereceu a minha gratidão. E como tal, no próximo contraditório da sua pessoa, espero vir a encontrar de novo, novas citações.
Quer maior prova de afectividade que esta?
:))))))))))))))))))))))))))

Diogo Gonçalves

Manuel Damas disse...

Ora, muito bom dia!
Então?Queremos apanhar mais no pelo?
Pois será um prazer...
"Morra o Dantas, pim!", escrevia o outro furibundo!
A si não lhe diria o mesmo, até porque me dá enorme prazer dialogar, por escrito, consigo.
Mas vamos lá dar outras reguadas...
Sim...porque a expressão reguadas estabelece só por si, um conceito implícito de poder...
:)))))))))))))))))))))))))))))))
Vamos puxar agora dos galões porque, continuando a distribuir e a evidenciar poder, por vezes, permite um distanciamento submisso...
Após uma Licenciatura, um Mestrado, 19 cursos de pós-graduação, a Especialidade, o Doutoramento...Do alto ( ou será debaixo) de todo este percurso académico e profissional é que posso gargalhar quando leio, ainda que com agrado, a irreverência da juventude.
Ainda bem que lhe consigo transmitir prazer!É bom sinal!
:)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Falo em guerrear, como é óbvio.
E se não fosse por prazer também não perderia-ganharia horas ao monitor a teclar consigo.
Até porque você Diogo, parece-me um miudo com cérebro.(esta do miudo achei deliciosa...na continuidade daquela de que "quando for grande é que vai saber...Se bem me recordo essa era a frase que me tirava do sério no relacionamento com a "autoridade paternal"!)
Mas voltemos ao contraditório!
Mas é precisamente a emoção que permite à razão a liberdade apaixonada de aparecer!
Não me venha com argumentos adolescentes, Diogo, (esta foi linda) mas se não fosse a emoção você não estaria aqui a perder-ganhar tempo comigo!
Pela razão qual seria a lógica de estabelecermos estes diálogos deliciosos...permite-me recordar a irreverência argumentativa da minha adolescência-juventude(4-0)!
"Originalidade não me falta"??!!!
Já estamos na fase do auto-elogio?
E uma dosesinha de modéstia, não???
É que a mim a originalidade também não me falta...abunda!( o verbo, obviamente)
:)))))))))))))))))))))))))))))))))))
Esta enganado!
Sou, por opção e por devoção, um Homem de Afectos!
Tenho que ceder, por vezes, espaço à Razão,mas a Emoção acima de tudo!
Qual seria a Razão para estar aqui a contradizer consigo a esta hora, quando sei que vou chegar tarde à clínica, se não fosse por emoção mesmo?!
E,meu caro, quarentão podre de bom como eu sou, posso permitir-me ceder à tentação da Emoção e olhar com desprezo e distanciamento para a Razão!
Uops...
O "Senhor" está no Céu, no firmamento, no Inferno, onde queria você situar-se...mas aqui não está de certeza!
:))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
E não me venha com o científico?!
Quantas lágrimas ficaram por trás do investimento científico?!
Quantos gritos de prazer?!
Ou será que para si o prazer mais não é do que uma racionalidade?!
Pois...
Os orgasmos são mesmo filhos da razão não são?!
Aleivosias de uma juventude que tem que ser irreverente!
Por favor!
Dahhhhhhh....
(7-0)
Hum...
Não o conheço?!
Desculpa fácil para assumir que afinal não é tal racinal como isso?
Um reposicionar estratégico para quem antevê uma derrota estrondosa e próxima?
Tshhhh...
Tshhhh...
Ao menos, caia de pé!
Até porque, como coi dizer-se...ajoelhou!!!!
:))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Estava a pedir a brejeirice!
E a um sewxólogo não se acena com a abertura de uma janela brejeira!
Ah...
Pois...
A brejeirice não se coaduna com o espírito científico?
Pois não!
Mas eu defendo que o humor é, também, e só por si, uma prova de inteligência!
Ah e não me agradeça a generosidade...é um acto natural em mim!
Nunca exercer o poder sobre uma criatura indefesa...ainda por cima nova e inexperiente!
Afectos?
Por mim?
Confissão de uma orientação?!
:))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Desculpe mas esta foi brilhante e foi você que se pôs a jeito.
Assim sendo...
Um beijo
E tenha uma bom dia...na senda da Emoção, espero e desejo!
:)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))

Manuel Damas disse...

Meu caro carapau...a lentidão não foi nem nunca será uma qualidade!
Ou as maldades acima escritas foram demasiadas para si?
Nada como um copo de água e tentar estruturar uma resposta politicamente correcta daqui a umas horas.
:P

Catrapau disse...

Ora boa noite!
Com expectativa professor? Agrada-me que lhe dê prazer em dialogar comigo, honestamente. Ainda mais, por já ter chegado ao ponto de se prontificar para chegar mais tarde à sua clínica. Mas sabe, apesar desse prazer que lhe falo, ainda não me aprontei a chegar mais tarde à escola. Talvez o professor esteja mais preocupado em perder esta guerra de palavras do que eu mesmo! Ainda para mais, no alto da sua Licenciatura, do seu Mestrado, dos 19 cursos de pós-graduação e sabe Deus mais o que.
Bom, mas vamos ao que interessa.
Mais uma vez professor, continua-se a esconder atrás dos argumentos sobre a minha adolescência. Desta vez, até foi mais longe, apelidando-me de miúdo! Como miúdo que já não sou, mas como adolescente que sou, prefiro apenas agradecer-lhe o elogio que me fez nessa frase. Porque como é obvio, não vou perder o meu, nem o seu tempo diga-se, a responder a imputações deste tipo. E diga-se que nem o professor, passaria as “horas” que passa a responder-me, caso eu fosse um miúdo (!), ainda que com cérebro.
Adiante… a emoção sem dúvida que nos move professor! Seríamos seres inanimados caso isso não se verificasse. Aliás, questiono-me até se existiria a raça humana como a conhecemos hoje! Mas repare, se disse que entre emoção e razão, escolheria a razão, foi num cenário ultra improvável de escolha! É que ambas se complementam, correcto? Pôr uma questão destas, é o mesmo que perguntar ao professor se prefere morrer de fome, ou sede! Saberá responder-me?
Quando à falta de modéstia que me acusa… eu vou apenas recordar algumas frases/palavras que o professor referiu, e friso, apenas neste texto.
“Poder”, “submissão”, “podre de bom como eu sou”… Não me venha com lições de modéstia meu caro!
No entanto, esta falta de modéstia, claro que tem a sua piada, como é óbvio. E como referiu e bem, humor é inteligência. A partir daí, claro que faz questão de lançar estas cartadas. Assim como eu!... Porque não?!
E se a um sexólogo, não se acena com a abertura de uma janela brejeira, muito menos a um adolescente! Já devia saber isso meu caro. Mas não faço questão de o fazer, esteja descansado.
Quanto à provocação da minha orientação sexual professor, concerteza utilizou isso contando com o meu incómodo, porque não acredito que o faça por outros motivos. Por isso mesmo vou deixar o ponto de interrogação no ar e como é obvio, agradeço-lhe a ternura do beijo e retribuo com não um, mas dois beijos!

Aguardo por uma resposta e uma boa noite.

Catrapau disse...

Não posso crer, que pensa que mais não tenho para fazer, do que passar uma noite a estruturar uma resposta caro Damas :))
Controle essa ansiedade, veja la :)
bom sinal, concerteza.
Ca estaremos de novo amanha penso eu.
Ate la. :)

Manuel Damas disse...

Ora então muito bom dia!
Obviamente que me dá enorme prazer dialogar/contraditar consigo Diogo!
Gosto de ler um miudo com alguma cultura e capacidade argumentativa!
:)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Já agora apenas uma pequenina questão, de somenos importância mas apenas para organizar o meu "backup" de imagens...quando eu vos conheci...você Diogo G é o mais baixo, da frente, mais vivo na intervençao...ou aquele que ficou para trás, mais sorumbático, calado e introspectivo?
Sim...penso que não será a terceira opção...que por acaso era uma colega vossa, quiça namorada...digo eu.
:)))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Não...não é nenhuma maquivelice minha....é apenas para poder colar uma pic(adoro esta expressão que tem diversos significados, nem todos bons, no contexto netiano)aos seus textos...para colar uma etiqueta visual no que leio de si!
:)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Um outro reparo, mesmo antes de começar a epistolar...ficaram dois pequenos remoques meus por responder, da sua parte, no post intitulado "S.E.Q.S.O."...não sei se foi por falta de perspicácia...ou mesmo de qualidade argumentativa!
:))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
(creio que numa análise muito superficial já estamos a 3-0...digo eu e ainda nem sequer iniciei a minha réplica...esperemos que no retorno você dê um pouco mais de luta)...
Vamos, pois, ao corpo...do texto, obviamente!
:)
Na,na,na,na...(e abano com a cabeça, sincronizadamente)...o facto de ir chegar tarde à clínica não pode ser, nem deve ser extrapolado, pelo risco de ser injusto, como prazer em teclar consigo.
Talvez seja o arranjar qualquer desculpa, por mais fátua que seja, para não ir trabalhar...É já fim de ano e eu estou mesmo a ficar demasiado cansado.
E já não tenho 20 anos...
:)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Não!
Também ainda não sou detentor de provecta idade...e sim, ainda cumpro todas as funções para que sou requisitado...Falamos das racionais, obviamente, ou não seja você um triste e pálido servo da razão...
(Ui....esta até a mim doeu...mas saiu deliciosa..."triste e pálido servo"...um "must" mesmo)
Continuemos...
Pois Diogo...
Você não pode chegar tarde à escolinha!!!!
Nem deve esquecer os TPC's...
Uops!!!!
E não pode, jamais, esquecer de papar cerelac!!!!
:))))))))))))))))))))))))))))))))
(7 ou 8-0????)
Bem...
"Allons enfants de la patrie"....
(desculpe...é francês...e não! Não estou a captar a TV5)
:P
Eu????
Eu????
Eu???
Em perder a guerra de palavras consigo????
EUUUUUUUUUUU?????????????????????
Duhhhhhhhhhhhhhhhhhhh...
Espere!
já sei...
Isso é gripe!
Estamos no tempo dela...e o raciocínio fica com pingo ou seja, gruda...daí o entaramelado das suas ideias...
Ok...
Está desculpado!
:P
Bem...já usamos Deus no meio da conversa e tudo?
Credo!
Que crise por aí vai...
Continuemos e deixemos de olhar para algumas pedras do caminho...desde que não sendo demasiado grandes!
Sim! Porque eu não sou alto...(repare na musicalidade desta defesa prévia, como que resguardando-me de um provável futuro ataque que se direccione para a estatura! Delicoso!)
Oh homem...miudo, adolescente???
Se fosse tivesse estudado alguma coisa de psicologia saberia que está mais próximo de jovem adulto do que propriamente de adolescente mas pronto...Já faz a barba, já tem distribuição pilosa nas axilas, no tórax, na face interna das coxas, nas zonas "pudibundas"...Por isso já entrou na juventude, mesmo. Mas vou deixar essa em branco porque nem toda a gente tem obrigação de ter estudado Piaget ou Freud.
Nem de fome, nem de sede...prefiro mesmo morrer de Amor!
Desculpe.
Mas estava a pedir esta!
:P
Mas eu não sou vaidoso, nem nenhum Narciso, Diogo! Eu apenas tenho a noção exacta da qualidade que me é inata!
:))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
"Mas não faço questão de o fazer."
A quem?
A mim?
Ainda bem!!!!!!!!!!!!!!!
Ufaaaaaaaaaaaaaa.............
:))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
(só para memória futura...12-0 penso eu)
Achei sibilinamente inteligente o desvio de registo relativamente à provocação da orientação e respeito o seu direito à intimidade, logicamente, até porque não estamos em contexto de consulta.
Mais não foi do que uma mera provocação, como você sabe.
:)))))))))))))))))))))))))
Para terminar, agradeço os seus dois beijos, ainda por cima titulados "com ternura"...e retribuo!
Até à volta...
(não do correio, mas das linhas internetianas)

Manuel Damas disse...

Oh carapau...E eu lá quero saber o que você faz à noite?!
Não quero é ter de aturar a sua namorada a queixar-se da sua falta de cumprimentos das obrigações relacionais!
:))))))))))))))))

Manuel Damas disse...

Oh Ambrósio...sinto a falta de algo...
:)

Catrapau disse...

Ora boa noite!!!!
:))))))))))))))
Meu caro Damas, continua a negar as crises de ansiedade que o atormentam, mas o seu discurso vai precisamente na direcção oposta! Essa do Ambrósio demonstra isso mesmo. E com essa falta de associação da minha pessoa com uma imagem, temo que tenda a imaginar-me como um bombom. E escusado é referir, como acaba o filme publicitário.
Bom, como sabe evidentemente, eu era o jovem que chegou depois e não fazia ideia quem era o meu caro, sem qualquer desprimor como é óbvio. Aliás a descrição que fez da minha pessoa, deixa precisamente a descoberto o facto de saber qual dos dois rapazes era eu. Aliás, até já chegou a descrever o meu rosto(!), ainda que de forma muito ingrata.
Clara tentativa de provocação meu caro! E barata! :)))))
É que sabe, à medida que a nossa conversa vai avançando, mais me apercebo que o seu discurso toma mais forma do que verdadeiramente, conteúdo! Esses ataques pessoais não são nada mais, nada menos, do que falácias! E honestamente, vindas de uma pessoa com a sua instrução surpreende-me um pouco.
Passando a frente… quanto aos outros comentários que ainda não mereceram a minha resposta (mais um sinal de impaciência), esta não se vai fazer tardar. E já agora peço desculpa não lhe ter respondido ontem, mas não tive a oportunidade. Ou acha que não tenho responsabilidades? É que à panóplia de argumentos menos bons que tem utilizado (claro eufemismo), não me surpreenderia que disse-se algo do género “que responsabilidades tem um miúdo???”. :)))
Adiante… a idade não perdoa não é meu caro? É que até aos 65 anos de idade, ainda lhe faltam, mais coisa menos coisa, 25 anos de imenso trabalho!! E a tanto tempo da reforma, é um pouco preocupante essa tentativa de arranjar desculpas fátuas, como o próprio disse! Digo eu. :))
Se ainda não é detentor de “provecta idade” o caso ainda se afigura mais complicado!
Meu caro não posso crer que atribua à escola um papel tão reduzido como o termo “escolinha” deixa a entender. É que concerteza, não necessito relembrar-lhe os anos que lhe dedicou!
E os TPC’s que sempre fez aposto! Diga-se até, que estes não são o meu forte.
E definitivamente prefiro Chocapics.
E acertou em cheio, quando disse que tenho gripe! É que sabe, os mais novos não são prioridade no que toca à vacinação deste vírus, ao contrário dos mais idosos meu caro Damas! A minha teoria é que mesmo dispondo deste privilégio, não o aproveitou já que as suas ideias, estão tal como as minhas, entarameladas.
Veja lá que tal é a minha confusão que até menciono Deus! Ainda que, numa expressão popular. Mas o meu caro não esta habituado a esse tipo de linguagem mundana, eu compreendo. :)))
Prefere morrer de amor??? Como homem de afectos que diz ser, morrer de amor deve ser bastante doloroso! É que ninguém morre literalmente, por um amor não correspondido caro Damas. Entre morrer e viver num estado vegetativo, eu escolho a primeira!
Evidentemente que não é nenhum narciso meu caro. Até porque “já não tem 20 anos” (agrada-me bastante dizer isto)!

Mais dois reparos apenas…
Essa contabilização que faz caro Damas, deixa um pouco a desejar, em primeiro lugar, mas, ou muito me engano, ou ate se torna um pouco infantil! É que lembro-me perfeitamente de ter 5, 6 anos e a jogar futebol fazer uma contagem deste tipo. Com a coincidência de o contador do adversário manter-se sempre a zero!
Bom, por último, não tenho namorada, mas nunca um homem, muito menos quarentão (!) diga-se, iria interferir nas minhas obrigações sexuais!

E é tudo caro Damas
Aguardo nova resposta! :)))

Manuel Damas disse...

Ora então muito boa noite, caro Diogo Gonçalves. Antes de mais aproveito para informar que a resposta no SEQSO já está...agora vai esta.
Calma e tranquilamente fui acompanhando o seu raciocínio acerca do "spot" publicitário do "Ferrero Roché" e não percebi a sua ilação!
Acabei por não perceber se você gosta ou não...de Ferrero Rocher, obviamente.
E nem sequer vou comentar o facto de você se achar um bombom!
Um pouco de modéstia não lhe ficaria nada mal, digo eu!
:)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
E nesta hesitação interpretativa, pus-me a reflectir um pouco e veio-me à cabeça um filme que vi à pouco acerca da vida do escritor Rimbaud e sorri...
Apenas sorri.
Mas continuemos o contraditório.
Relativamente a essa de eu saber quem você era e as diferenças descritivas...essa, desculpe lá, mas é injusta e infundada...Se for rever a minha descrição, encontrará, para cada um, três adjectivos...igual para ambos!
Acha mesmo que eu caía numa tão flagrante?!
Pensei que me tinha em melhor conta!
Eu sei que não sou esguio como você que em astrologia chinesa é cobra...Porque será?!
:))))
Eu sou mesmo bisonte...Não se canse a reflectir e ao mesmo tempo esvazio-lhe a hipótese de uma boca...bisonte=teimosia do touro+paciência do boi!
Tão só e apenas!
Onde estou...estou, de cabeça tronco e membros!
:P
O meu discurso tem mais forma do que conteúdo?!
Também essa acho injusta!
Não me parece que você goste de palavrar comigo, única e exclusivamente pela forma...se assim fosse teria que lhe chamar fútil e, sinceramente, não me parece que seja característica que lhe seja adequada.
Relativamente à questão etária...mas aqui entre nós que ninguém nos lê...oh Diogo você acha mesmo que se eu o considerasse um miudo, que perdia tempo consigo?
Acha mesmo?
Eu gosto de palavrar consigo porque você demonstra ter conteúdo...ainda que um pouco em bruto, necessitando de limar arestas...mas tem valor!
E isso agrada-me!
Não me parece que seja um "jovem-playstation"...mas posso enganar-me!
O tempo o dirá!
De qualquer modo, quero reforçar o que já escrevi. É par mim um grande prazer trocar ideias consigo!
Espero que para si também o seja...(fuja agora cascavel!!!)
:)))))))))))))))))))))))))))))))))
Meu querido e irreflectido jovem...essa da idade também não colhe!
Tenho muito orgulho e vaidade na idade que tenho, no caminho que já percorri e em todo aquele que me falta percorrer...espero eu!
Por isso, não me venha com a do trauma da idade...Comigo é desperdício!
Se você tem pena de ainda não ter 20 anos...é outra idiotice, desculpe que lhe diga!
A cada um a sua idade, a cada um o seu conteudo, a cada um a sua forma...que no meu caso é excelente, como é facilmente comprovável...no seu caso...naõ vou comentar...estou caritativo hoje!
Logicamente que não diminuo o papel da escola...ainda hoje sou um agente formativo e considero-a o aerópago, por excelência, para a prestação de cuidados formativos e informativos, que tem que ser de e com nível.
Nunca falhei um TPC...Era um aluno muito aplicadinho...
E muito jeitoso de mãos!
:))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Quanto ao amor...tinha que vir à tona o seu racionalismo!!!!!
Irra!
Só espero que apareça alquém que o faça apaixonar-se a sério(se é que já não apareceu) e lhe faça ver o que é morrer de amor...rir de amor...chorar de amor!
Óbvio que já não tenho 20 anos..e ainda bem...até porque não escondo a minha idade...não preciso! Olhe bem para mim..."in mente" e seja justo!
Acha mesmo que tenho alguma razão para esconder a idade???
Eu???
EU????
:))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Deixe-se de falsos argumentos e de tretas em que você sabe que não acredita!
Quanto a contabilização foi uma gracinha e infantil, obviamente!
Veja lá se aqui o velho é você?!
Por favor!
"Mas nunca um homem, muito menos quarentão (!) diga-se, iria interferir nas minhas obrigações sexuais!"...Esta sua frase matou-me...
É capaz de ma explicar melhor????
Está carregada de "lapsus linguae"...
Hello?!
O Freud partia-o todo...eu, não o faço, para já, porque estou caritativo.
Aqui fica a minha resposta...como já está a outra no SEQSO...
Espero que não demore um século a conseguir produzir duas respostas decentes!
BJ

Manuel Damas disse...

Isto agora é assim?!
Dois dias para uma resposta?!
Até parece que é você que conduz o ritmo da dança, oh Diogo?!
Oh homem, no zodíaco eu sou Aquário com ascendente Leão, por isso, vamos lá acelerar o ritmo das respostas porque num bailado...dançam os dois...ou não dança ninguém!
:P

Manuel Damas disse...

Hoje era o único dia, por diversas razões e mais alguma em que uma palavra sua de simpatia, ficava e sabia bem.
Temos pena!
Nem toda a gente tem que ser sensível!

Catrapau disse...

Ora então muito boa noite! :)
Vamos começar de forma ascendente.
Antes demais, permita-me discordar quanto ao programa de ontem!! Um programa sobre Educação Sexual, com o professor, com a Maria José, com a intervenção da minha cara colega na qualidade de membro do S.E.Q.S.O e sobretudo com referências a pifaros leiteiros (!), nunca pode ser uma merda!!! Teve sim, duas intervenções impróprias, as quais infelizmente sucedem repetidamente em vários programas, seja televisão ou rádio. Não é uma palavra de simpatia como o professor disse precisar, mas de discordia.
Bom, nunca é demais agradecer lhe o protagonismo e a atenção que tem dedicado ao S.E.Q.S.O, por isso mais uma vez, um sincero obrigado! :)
Bem, mas vamos ao contraditório senao corro o risco de o aborrecer.
Bom, trepando pelos seus contraditórios, dou de caras(mais uma vez), com a sua impaciência. Oh professor, eu peço-lhe desculpa pela demora em algumas respostas, mas está a ser injusto! Se não respondo mais cedo, é porque não tenho a possibilidade. E tenha em atenção que não nenhum de nos que conduz o ritmo da dança! É a musica meu caro! Ainda para mais não sabendo eu dançar!
Continuando a subir... a prepósito, temos que deslocar a nossa conversa para outro post. É que, quanto ao professor não sei, corro o risco de um dia destes ficar com o dedo imobilizado, de tanto dar a rodinha no rato, para chegar ao seu contraditorio.
Bem, adiante... quando ao Ferrero Roche, era uma piada professor, que entretanto passou de prazo.
O professor diz-me que acha injusto afirmar que sabia de antemão qual dos dois rapazes era eu. Mas no entanto, em questão de segundos idealiza uma personalidade a meu respeito: "sorumbático, calado e introspectivo". Hum...curioso... E sim! São de facto tres adjectivos para cada um. A conotação destes é que é diferente!
Esta é obvio professor. Por muito "bisonte" que seja, não me leva à frente! E não me diga que é daqueles que não sai de casa, sem antes ler o horoscopo! Sim, sim, sim, sou um servo da razão... mas antes da razão do que dos astros! Por favor professor!.. (escapou-lhe este contra-argumento :) )
A nossa noção de futilidade é diferente professor. Nem de perto, nem de longe, sugeri que era futil! Aliás, este jogo de palavras, tenha ou não mais forma que conteúdo, assemelha-se a um jogo de xadrez. Destreza, certo professor? :) Daí a sua piada. E não sou uma cobrinha qualquer! 1,82m de cobra, é muita cobra! :)
Passando à frente... Agradeço o elogio e agrada-me que uma pessoa como o professor me tenha em boa conta, mas pergunto-lhe. Quem não tem arestas a limar? :)
Essa designação "jovem-playstation" parece-me injusta... Então quem joga playstation não tem as mesmas faculdades que quem não joga? Olhe que há estudos que comprovam precisamente o contrário. Muitos jogos, desenvolvem competências essenciais. É a mesma lógica da matemática.
A brincadeira com a sua idade, foi precisamente isso, uma brincadeira. Um pequeno teste digamos. Não é facil detectar-lhe pontos fracos, há-que fazer tentativas :).
E tenho que corrigir o professor num aspecto. Não tenho pena de não ter 20 anos. Vou completar 18 no próximo mês que vem e por mim, ficava-me por lá! Já agora, aproveito e pergunto ao professor, se sou o única pessoa, que considera festejar o aniversário, ridículo! Porque festejar o envelhecimento, quando se pode tornar tão triste? É uma opinião pessoal mas gostava de ouvir a opinião do professor.
E o meu caro, para não ter comentado a minha forma física, não estava caritativo, mas sim com inveja! Desculpe que lhe diga! E não me venha com essa da modéstia de novo, por favor. Estamos aqui a falar e a modestia não é mais, do que ser politicamente correcto!
Como é evidente, quando fala da escola, tem toda a razão. Mas tem que admitir, tendo em conta essa importância que referiu, que o termo "escolinha" não é o mais apropriado. :)
Jeitoso de mãos em que aspecto professor? A fazer recortes e a colar? Ou a pintar? :)
Oh professor cometeu um erro primário! Misturou paixão com amor. Como todos os jovens, claro que já estive apaixonado. E como sentimento mútuo que era, experimentei todas essas situações que mencionou. Por muito dificil que seja ao professor entender isso, já que me considera um servo da razão! E digo-lhe mais. Foi a mais rica experiencia que tive até hoje. Não so em termos emocionais, como racionais! E se estou melhor hoje, foi precisamente porque pus os sentimentos de lado! E não me venha com aquela treta do "quando se ama, tudo se resolve", , por favor!
Quanto à frase que transcreveu, antes mesmo de a explicar, gostaria que me explicasse a mim, o porque dessa indignação meu caro. Mal construída não está, não tem palavras dificeis... então onde esta o problema professor? Diga-me por favor. E deixe de escrever de manhã, que essa caridade toda, aborrece-me!
Depois deste comentário, não se atreva a dizer-me que não lhe dedico tempo! Estando livre de compromissos, este blog é a minha pioridade professor.
Aguardo novo contraditório, como sempre :)
Até lá!

Manuel Damas disse...

Olá Diogo, muito boa tarde!
Sim!
Já sei que estou atrasado nas respostas...Falta-me responder a esta e já tenho outra no SEQSO...mas também um tipo fazer-se caro por vezes sabe bem!
Ou não é isso que você tem vindo a fazer, parcimoniosamente!
:P
Esta foi uma provocação mesmo!
Ande lá, homem, sorria!
Que maçada!
Os sorrisos não pagam imposto...para já!
Não me diga que no momento de um orgasmo também mantém um "facies" oficial?!
:P
Quanto ao SAM, ainda não tive oportunidade de rever a gravação. Assim o farei, logo que me for possível. Mas houve mais "especificidades" nos bastidores, que não poderiam nem deveriam ter acontecido. Mas também isso se vai resolver.
Oh homem, se você até na palavra de simpatia se vê obrigado a designar por palavra de discórdia, mesmo que isso signifique apoio...você é daqueles que acham terrível o peso da palavra "Amo-te"?!
Espero bem que não ou então teremos que "lavar muita roupa" até que você consiga liberalizar essa postura!
Não precisa, obviamente, de me agradecer o apoio que tenho prestado ao SEQSO. As atitudes e as iniciativas, quando meritórias, merecem e têm o meu apoio, desde que tal me seja possível.
E não me venha com essa do "senão corro o risco de o aborrecer"!
Essa é mesmo daquelas "baratas" a sugerir e a induzir ao elogio fácil e barato..
que não...que gosto que você cá esteja...que gosto de falar consigo, que você é isto, aquilo e aqueloutro...
Queria?
Pois...
Mas...
E vai ter...curto e grosso.
Eu se não gostasse de contraditar consigo, pura e simplesmente nem sequer lhe respondia. Por isso, não tente tirar-me do sério senão mando-o dar uma vota à merdaleja...e voltar, obviamente!
:)))))))))))))))))))))))
Adorei a expressão "trepar " por aí a cima...
Hummm....
quantos significados e significantes diferentes me ocorrem que, obviamente, não vou aqui expor...deixo-os para o meu interior e para a sua capacidade inventiva.
:)
Parou!!!!
Já!!!!
Não concordo que seja a música que conduz uma dança! De modo algum!
Quem conduz, ou não, são mesmo os intervenientes...Mesmo que gostem ou saibam dançar....ou não!
Você não sabe dançar!?
Percebe-se!
:))))))))))))))))))))))))))))))))))))
A entrega à dança obrigava a libertar muita e tanta coisa, não é Diogo?!
:P
Pois eu adoro e sei dançar.
Aprendi tudo quanto era dança de salão bem cedo, com campeões nacionais...os meus pais!Depois, fui actualiando os ritmos e as práticas!
Ainda há 2-3 anos fiz um curso de meio ano de salsa e merengue.
;)))))))))))
Estranho?!
Talvez não!
Eu posso!
:)))))))))))))))))))))
Eu adoro dançar.
Eu adoro a liberdade que a música me transmite e permite!
Uops...Pois, voce não sabe. nem tem que saber.
O primeiro concerto de mºusica clássica, no Casino de Espinho, dei-o a quatro mãos, aos 5 anos de idade!
Oh homem!
Feche a boca de espanto!
Ainda vain entrar mosca...ou outra coisa qualquer!!!
:)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
E escusa de estar já a pensar..."Que é que este gajo ainda não fez?"...
Sinceramente, que tenha querido...nada...ou talvez tanta e tanta coisa.
Há tanta e tanta gente que gostaria de ter conhecido e não conheci...alguns ainda estou a tempo e uns mesmo, tem sido um enorme prazer desvendar, por mais trabalho que isso dê!
:)))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Mas calma...que estes post têm servido muito mais para eu me desnudar do que você...o que também não é justo. Mas continuemos.
Quanto a deslocar conversa...temos duas hipóteses...Ou passamos para o e-mail...ou subimos.
Sendo a hipótese subir suba que eu vou atrás...
:)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Oh Diogo, já ouvi e li muitas expressões estranhas, de significância sexual agora essa de "dar a rodinha no rato" é deliciosa, ainda que eu não saiba bem o significado.Mas creio que você me explicará, ainda que apenas por texto.
:))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Achei cuidadosamente interessante a sua fuga à questão de se achar um bombom...É a tal história da cobra...do signo, homem!!!!!
:)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Obviamente que a conotação da adjectivação é diferente.Deixo à sua imaginação o voo e a direcção para onde vai!
Mas se quiser que explicite...por muito bem.Desde que o explicite!
:))))
Como vê, a dança está nas nossas mãos.Basta saber dirigir...ou ser dirigido!
:))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Este post tenho que confessar que vai ínvio...mas continuemos, até porque a culpa foi toda sua, Diogo.
Sim!
Sua!
:)
:P
"1.82 de cobra é muita cobra!"
Preciso de exemplificar mais?!
A isto a DECO chamaria publicidade enganosa e, como tal, penalizável por lei!
A isto eu não vou citar, sequer, S.Tomé.
A isto eu não vou sequer responder com um "xiii...tanta parra para tão pouca uva".
Mas a isto eu respondo com um elevado sorriso de desdém e acrescento...preferia 1.82 de qualidade interior!
:))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Infernal, no mínimo!
Mas continuemos....espero que ainda se consiga aguentar de pé...do alto dos tais supostamente gloriosos 1.82.
:))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Mas já gora permita-me que refute uma vez mais...
Einstein era baixo.
Charlie Chapin era baixo.
Aristóteles era baixo.
Júlio César era baixo.
Eu sou baixo.
Chega ou quer mais?
Continuemos...
Obviamente que não ligo aos astros.
Foi tão só e apenas uma resposta ao seu perfil.
Nada mais.
Xadrez?Adoro jogar!
Desde que o adversário seja e esteja à altura...e não falo de dados antropomórficos!
:)
Arestas a limar, meu caro, todos temos e tantas...mas tantas!
Logicamente que a questão da destreza e do desenvolvimento das capacidades de raciocínio que os jogos induzem, mais não foi do que um leve remoque...mas acabei por descobrir que você é um adepto dos jogos.
OK
Já não estou nesse estadio.
Prefiro um bom livro, uma boa conversa, um bom orgasmo!
:)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Anda você então a tentar decifrar os meus pontos fracos?!
Oh homem...mas voc~e já detectou, com a maior das facilidades, o meu maior ponto fraco!
Tão só e apenas a emoção!
Tão só e apenas o ser, assumida e orgulhosamente, um Homem de Afectos!
Entre o black and white prefiro, obviamente, a policromia, ainda mais rica e matizada, se for de afectos.
O inestimável valor de um sorriso!
O inegualável valor de um olhar
O insubstituível valor de um beijo...a sua riqueza de sabores, de significados...
Nada onde a razão consiga ou queira, sequer, chegar.
Você perde-se por um raciocínio lógico!
Eu perco-me por um afecto.
Mistura explosiva?!Talvez.
Lamento mas essa continuará a ser uma paranoia só sua!
A dos festejos do aniversário!
Não é festejar a velhice...não seja parvo!
É festejar o nascimento.
É festejar a vida!
Essa do aniversário conseguiu tirar-me do sério...pareceu-me uma incompreensivel patetice, v digna de um azar espermatozoidico como foi e é o Castelo Branco.
Oh Diogo!
Essa nem parece sua...e devia ser investigada!
O que aconteceu nos seus primórdios, relacionado com o seu aniversário, que tanto o fustigou? Mas não vou continuar por aqui porque não acho ético nem deontológico, nomeadamente em território semi aberto como é este blog, tentar desvendar alguns dos seus mistérios mais profundos.
:)
E o envelhecimento, apenas para terminar, não precisa de ser triste.
Seria de equacionar a hipótese de você tentar aprender alguma coisa de afectos, indo ouvir a conferência que irei fazer sobre sexualidade e terceira idade, no dia 13 de Dezembro no Coliseu do Porto.E esta revelação é em primeirissima mão.
Avancemos...
Forma física?
Você?
:)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Oh Diogo...uma vez mais lhe digo...admiro um bom corpo, é um facto, mas isso é casca...gasta-se com facilidade.
Um bom corpo é passível de proporcionar um ótimo orgasmo...concordo. Mas uma mão também o faz e a custo menor!
:))))))))))))))))))))))))))))))
E tudo o resto?
Além de que eu também não estou nada de deitar fora!
Se quisermos comparar, com as respectivas proporcionalidades, obviamente, meu querido...lamento mas você fica a léguas de distância.
Tem um olharzinho...ok, concordo. Eventualmente até um sorriso invulgar. E????
Uma linda boneca para pôr numa vitrine mais não será, sempre, do que tão só e apenas isso...uma linda boneca para pôr numa vitrine!
Quanto à questão da escolinha tenho que concordar consigo...Foi imprópia de mim...ainda por cima vindo de uma família de gerações de pedagogos e políticos.
Imperdoável.
Quanto ao meu jeito de mãos...a todos os níveis,mesmo naqueles em que você nem sequer consegue imaginar!
:))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
E não me provoque, porque sabe que não tem "lastro" para mim.
Não foi por acaso que você se esqueceu de comentar a do Rimbaud...e do Verlain.
:)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Não vou com treta até porque seja justo e faça-me a justiça de achar que eu no uso argumentário de treta nem de caca!
Você perdeu-se/ganhou-se de afectos?
Você, Diogo?!
Um quase "king of ice"?
Hum...
Depois terminou.
E isso, pelos vistos, aí dentro, ficou mal resolvido.
Muito malresolvido mesmo.
Uops..
Calma.
Escusa de esgadanhar!
Eu nem vou perguntar a causa, o motivo, a situação, as idiossincrasias...Você é livre de avançar o que quiser, se e quando quiser.
Nem tudo se consegue resolver, mesmo quando se ama. A versão correcta é essa!
Se a caridade o enerva, temos pena.
Também nesse campo sou um tipo de afectos.E sou caritativo...mesmo para quem precisa, como você!
Qual é o seu medo, Diogo?
Qual é a sua realidade, Diogo?
De que foge você, Diogo?
Quando é que você aprende a amar e a dar-se Diogo?
:)
"Mas nunca um homem, muito menos quarentão (!) diga-se, iria interferir nas minhas obrigações sexuais!"
Qual é o seu problema com os homens, especialmente os quarentões????
Medo de lá chegar?
Medo de olhar para o espelho e não gostar?
Ou são outros os seus medos-desejos?
A provocação era e ia mesmo por aí!
E você sabe perfeitamente, Diogo.
E você percebeu perfeitamente, Diogo!
Preferiu atirar-me contra a parede?
Azar...
Eu dei a volta e quem ficou perigosamente pressionado contra a parede foi você mesmo, Diogo.
Agora...saia desta com qualidade. Também compreenderei que se "corte" ou arranje um outro atalho.
Tudo isto não são mis do que meras provocações e prazerosas guerrilhas de argumentos...ou não só?!
:)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Esta era a última provocação para hoje.