sexta-feira, 3 de julho de 2009

TV...


Novo dia de maratona televisiva.
Assim, às 20.15 estarei, em directo, na Porto Canal, no programa "Porto Alive", com a Maria Cerqueira Gomes, na que será a minha vigésima quarta participação, como sexólogo residente do programa.
Hoje o tema a abordar será "A AMPLOS".
Uma Associação de Mães e Pais com filhos homossexuais.
E esta atitude merece ser reiterada, de forma pedagógica.
Será a oportunidade para veicular alguns considerandos sobre as atitudes correctas e as incorrectas dos pais que têm filhos homossexuais.

Depois, à 1.00, irá para o ar, também na Porto Canal, novamente em directo, com a duração de uma hora, a 85ª emissão, do "Sexualidades, Afectos e Máscaras" com a Maria José Guedes.

O tema de hoje será "O Balanço".
O "Sexualidades, Afectos e Máscaras" vai hoje de férias, encerrando o seu segundo ano de emissões.
Será o momento para efectuar o balanço, em directo, de tudo o que foi feito, do que ainda ficou por fazer e de fazer planos para o futuro.
É essa a temática que iremos tentar abordar!
Trazemos hoje um outro tema, diferente, a ser abordado com clareza, de forma informal, mas tentando trabalhar, em estilo tertuliano, com os nossos espectadores.
Porque este é o Mundo do dia a dia, a vida real.
Será um programa que, obviamente, recomendo, até porque irá decorrer numa linha mais leve e mais provocatória.
A intenção será, uma vez mais, efectuar uma abordagem com a frontalidade obrigatória que os espectadores exigem e merecem.
A motivação é, acima de tudo, tentar dialogar.
Estão, assim, criadas duas janelas de oportunidade, ainda que diferentes e com um registo obrigatóriamente dispar, até porque direccionadas para públicos alvo não semelhantes.
São dois programas, duas oportunidades, com especificidades próprias para, em contexto televisivo e em directo, abordar questões, na área das Sexualidades e dos Afectos, nomeadamente a nível da intimidade e da afectividade.
Será, novamente, uma sexta-feira passada a correr mas, obviamente, com enorme prazer.
Creio que, às duas da manhã, quando abandonar as instalações da televisão, sairei cansado mas, acima de tudo, com a noção do dever cumprido...

6 comentários:

By myself disse...

Lamento não entrar pelos melhores motivos. Preferi manifestar-me aqui, a fazê-lo directamente para o canal, já que pode ou não aceitar o comentário.

Assim, acabei de ver um programa em que o Dr. e a sua colega falavam de tudo e de nada, do Michael Jackson às despedidas até Setembro, com direito a champanhe.
Para além da falta de consistência do conteúdo, acabei por me perder naquilo que deviam ser detalhes, mas que acabam por obter o protagonismo, a saber:
- a maquilhagem da sua colega, para além de não a beneficiar nem um pouco, estava horrível, o vestuário péssimo e então os acessórios...my God! Parecia uma árvore de Natal da província.
- o vocabulário dela é paupérrimo, não tem a mínima subtileza (basta ver como se referiu à sua preferência pelo "mito", que caíu ou não caíu. Chamou-lhe "génio de palco" à falta de pior definição, claro!
- o vosso cenário é pior do que o mais pobre da RTP África (dessa parte não devem ter culpa).
- o Dr. tem uma pose demasiado convencida. Um pouco de humildade fica sempre bem. É auto-estima demasiado elevada ou insegurança disfarçada?

Em resumo: muito mau todo o conjunto (eu sei...isto não é um fórum), mas tinha que desabafar, e essa parte está feita.

Se voltarem em Setembro, espero ver num canal que deveria defender a imagem das gentes do norte, um programa mais digno, a todos os níveis.

AMPLOS disse...

A AMPLOS ao saber que a sua "atitude foi reiterada de forma pedagógica" no programa gostaria de poder vê-lo/ouvi-lo onde podemos fazê-lo?

Manuel Damas disse...

Bem...
Com críticas tão verruminosas apenas lhe posso dizer que a opinião é a sua.
Mas posso acrescentar que continuamos a ser lideres de audiência.
Um abraço.

Manuel Damas disse...

Quanto à referência à AMPLOS, já passou em directo na sexta-feira na Porto Canal...agora...É esperar por uma próxima oportunidade.
Um abraço

Mize disse...

O carácter construtivo das críticas sempre me fascinou. A opinião merece respeito, as sugestões são bem-vindas e os conselhos devem ser, pelo menos, escutados. Tento ter sempre presente estes ensinamentos que me incutiram desde cedo, e quando falho nalguma destas premissas, manda a civilidade e boa educação que eu peça desculpa.
Assim peço desculpa porque:
-a maquilhagem não lhe agradou, e não me “beneficiou nem um pouco”;
- Peço desculpa porque o vestuário “era péssimo”;
- Peço desculpa porque os acessórios “…my God”;
- Peço desculpa porque “parecia uma árvore de Natal da província”;
-peço desculpa pelo “vocabulário (…) paupérrimo”;
- Peço desculpa por tudo o que lhe desagradou!
Agora o que não desculpo é que estas críticas, qual encomenda de remetente duvidoso, venham camufladas através de uma imagem sem rosto, de uma pessoa sem nome, de alguém que se esconde no By Myself universal, de todos e de ninguém.
- O que não desculpo é o carácter insultuoso e ofensivo da mensagem;
- O que não desculpo é que olhe para as «árvores de Natal da Província» e sinta que lhes é superior;
- O que não desculpo é arrogância com que se dirige ao SAM;
- O que não desculpo é que se sinta com legitimidade para condenar os meus gostos musicais;
- O que não desculpo é que se sinta, como demonstra o seu comentário maldoso, a defensora da imagem das gentes do Norte. Não consta que tenha procuração…
No que diz respeito ao conteúdo do programa que viu até ao fim (estranho para tanto desagrado) e que considera sem consistência, pois bem, só posso lamentar e dizer-lhe, como costuma dizer o povo (do qual orgulhosamente faço parte, mas que lhe provoca tanta repulsa) «nem Deus agradou a todos»!
Lamento, e até fico um POUCO preocupada, com o preconceito que tem relativamente à província, e às suas árvores de Natal. Para mim, são as mais genuínas. É que das «artificiais» não reza a história.
FELIZ NATAL
Maria José Guedes

Manuel Damas disse...

E assim falou Zeuzinha...
:))))))))
Um beijo enorme, minha querida Amiga e, uma vez mais, obrigado pelo seu ombro amigo.