quarta-feira, 4 de abril de 2007

"O ULTIMO REI DA ESCOCIA"



Fui, finalmente, ver "O ultimo rei da Escócia", que valeu o Óscar de melhor Actor Principal para Forest Whitaker.
Uma história envolvente, com muito de real, sobre a vida do antigo ditador ugandês Idi Amin Dada. Algumas cenas de violenta carnificina, mas totalmente necessárias para completa ilustração da história.
Uma interpretação magistral a justificar, em pleno, a atribuição do galardão.

6 comentários:

Mize disse...

É um filme magistral. Gostei de tudo. A carnificina era o que é. Dispensável? Talvez, mas retiraria a dor visível que extremismo, que a ditadura, que a ignorãncia provoca.

Beijufas

NunoNogueiraFerreira disse...

"Mesmo eu , o que sonha tanto, tenho intervalos em que o sonho me foge. Então as coisas aparecem-me nítidas. Esvai-se a névoa de quem me cerco. E todas as arestas visíveis ferem a carne da minha alma. Todas as durezas olhadas me magoam o conhêce-las durezas. Todos os pesos visíveis de objectos me pesam por a alma dentro.", Bernardo Soares em "O Livro do Desassossego" - Fragmento 80.
Saudades de lhe palavrar aqui se dissolvem.
Porque somos nada no todo cósmico perfeito tentamos, a todo o momento, buscar e rebuscar, até à exaustão completa do nosso extraordinário poder, pedaços da Razão que nos tornem esquecidos dos poços sem fundo que temos em nosso Coração. Ficamos, então, felizes numa Felicidade plastificada e aparente que logo logo se derrete. Somos nadas desequilibrados...É como se tivéssemos um intervalo de tempo, um tempo de antena, para cada uma das vertentes que se nos é inata. Até às 19h quem coordena todas as operações, sentimentos, pensamentos e reflexões é a Razão. Das 19h em diante o Coração irá renascer do dia anterior para dar asas ao sofrimento, para comandar sentimentos e, por conseguinte, a "presença quente das lágrimas a romper das pálpebras conscientes da amargura líquida" será o braço direito do general que, se sabe, ser eternamente um espinho que na hora da Razão a faz esvair-se por todo um irrigado e magnificente encéfalo - acontece por volta das 15h e das 17h e, na maioria das vezes, 20 a 30 minutos antes do tempo de antena da Razão acabar...
Haverá, algum dia, alguém que, qual ser universalmente dotado de características celestes, se permitirá e se levantará do mundo dos Mortos (pois é onde eu e tu e ele e ela vivemos) para atingir uma sincronização e uma harmonia e um equilíbrio e uma HUMANOSTASE entre Corpo, Mente e Coração?
Somos inatamente fracos, pequeninos...Tão minúsculos que nem aguentamos sequer o peso de nosso próprio Coração, Mente e Corpo para os colocarmos na balança que é a Vida!
Assim, e coerente e sincronizadamente, ninguém é verdadeira e genuinamente verdadeiro com Verdade a valer.
Não será um dos mais belos e desafiantes sonhos pelo qual devemos lutar - a Verdade? Não será que Ela só é alcançável quando e somente morrermos do mundo dos Mortos?
Bom, dando seguimento à dicotomia (relativa às máscaras) que me propôs num dos já passados dias, eu gostaria de acrescentar que a (já supracitada) HUMANOSTASE é irremediavelmente inatingível...como tal, somos (todos) bombas-relógio entre o que o que mostramos e não somos e o que não mostramos e somos - eternas mentiras verdadeiramente complexas...
Amigo (se assim me permite chamar-lhe), sugue, sempre e em qualquer situação e com toda a Força de que si é parte integrante , todos os (mesmo os mais ínfimos) pormenores que nos fazem compreender e abrir caminho à nossa evolução e nos fazem visualizar miragens (desta feita fisicamente reais) de luz e harmonia que nos provocam sorrisos contagiantes...neste deserto que é a Vida. Cuidado com as areias movediças!

Grande e Forte Abraço,
deste Nuno N. Ferreira que o quer sentir sentindo Paz.

Manuel Damas disse...

Tenho que concordar consigo, Maria José.A carnificina acaba por ser necessária para pintar melhor o retrato.

Cristina disse...

Professor, está tudo bem?
Há já algum tempo que não vem aqui. Encontramo-nos mais logo no Fórum da Sexualidade.
Beijinho bom ... :)

Manuel Damas disse...

Bem...Bernardo Soares, "O Livro do Desassossego"...Uma citação pesada ainda que deturpada, tenho a certeza que de forma inocente. Senão vejamos...Reza a citação "Esvai-se a névoa de quem me cerco"...Nessa perspectiva sugere compreender o distanciamento dos outros e toda a esfera do humano...Só que, na realidade, a citação é "Esvai-se a névoa de que me cerco" e, aí, uma grande parte da carga afectiva cai pela base...De acordo?...Mas continuemos após este pequeníssimo reparo. Meu Caro...pudera a Razão fornecer-me as capas que me protegessem da minha realidade e estaria eu bem mais feliz, menos exposto à dor, a essa dor que os Afectos revelam, o Coração alimenta e faz a Razão gargalhar com desdém.
Lamento mas tenho de discordar com veemência com a sua sugestão de nada sermos!
Discordo! ( quase na linha do "Morra o Dantas, PUM!)...
De forma inquieta, porque envolto na discussão!
Somos muito, muito mesmo!
Somos o tudo que a Vida e as circunstâncias permitem.
Não seremos mais porque não nos deixam...
Achei o conceito de "Humanostase" atrevidamente irreverente, o que me vogar para outras águas...qual a sua área de funcionamento?Fala-me em generais, depois em encéfalo e por fim remata com um "clone da homeostase"...Medicina?Psicologia?Desculpe o atrevimento talvez invasivo, mas não resisti a enunciar a pergunta....apenas a título meramente informativo.
Quanto às Mentiras...considero a expressão muito agressiva...Preferia, porque acima de tudo sou um cordato, "Versões"... menos agressivo, perdendo um pouco a carga negativa de "Mentiras".
Pode usar o adjectivo"Amigo", sem qualquer tipo de problemas...quem recebo em casa será, no mínimo Amigo...apesar de que, os conceitos, como sabe, neste contexto blogosférico, perdem as matizes que lhes damos nesta vida-realidade. Adquirem novas dimensões, novos significantes, novos significados...
Deixe que termine iniciando...
Não considero a Vida um deserto...e reporto-me para o mesmo Livro do Desassossego, fragmento 102..."Quantos Césares fui!".
Um abraço e aguardo novo desafio...

Manuel Damas disse...

Está tudo bem, Cristina...Sou apenas eu e as minhas circunstâncias...Nada mais.
Claro que nos encontramos logo, na Rádio...è um dos meus mais queridos momentos de afectos...