terça-feira, 27 de janeiro de 2009

CAIXAS MULTIBANCO E TRIBUNAIS...


O Secretário de Estado da Justiça, Conde Rodrigues, mandou retirar todas as caixas multibanco dos tribunais, apenas porque, reconheceu, o Estado não é capaz de impedir que as mesmas sejam assaltadas.
As caixas multibanco assaltadas?
Pior...as caixas multibanco assaltadas nos tribunais?!
Mas os tribunais não são, por essência os locais de justiça por excelência?
Os tribunais não são a "Domus Justitiae"?
E pelo menos os tribunais não se encontram devidamente apetrechados com forças de segurança?
Assumir que não se consegue garantir segurança nos tribunais não é o mesmo que assumir que o Estado não tem força para combater o crime?
Assumir que as caixas devem ser retiradas não será entregar o ouro ao bandido?
Não será deixar cair na rua o poder?
Não será assumir postura submissa perante o crime, a insegurança, a violência?
E um País aguenta esse estado de coisas?
Ou será que o Senhor Secretário de Estado tem medo?
Ou será que o Senhor Secretário de Estado não sabe o que faz?
Ou será que quem deveria ser retirado, com a máxima urgência, deveria ser precisamente o Senhor Secretário de Estado, por se encontrar desafasado da realidade e permitir-se ser apanhado em público com "as calças na mão"?
Com governantes deste, venha o caos, em definitivo...sempre será mais digno!
Se fosse vivo,Eça de Queirós não diria, "Esse Senhor é um asno"?

8 comentários:

D. Quixote disse...

POis, é verdade :)
Já diz o ditado:Em casa de ferreiro espeto de pau...
Infelizmente, o reflexo do estado e da credibilidade da JUSTIÇA reflecte-se não só na impossibilidade - ora assumida a público pela classe governativa - de garantir a "segurança" de caixas multibanco ou de máquinas de café e outros produtos comestíveis (no "meu" Tribunal foi esse o objecto de um furto durante a noite - graças ás "entidades divinas" os processos ficaram a salvo dos amigos do "alheio" uma vez que estes apenas tinham um "ratito" no estômago e até se lembraram de que na átrio do Tribunal estava uma máquina que tinha umas bolachas e uns chocolates, vai daí...).
Tribunais sem alarme, sem seguranças, audiências de julgamento e diligências efectuadas em salas sem controle de segurança, gabinetes de magistrados facilmente acessíveis a quem pretender questionar ou abordar o trabalho que estes desenvolvem ou simplesmente pedir alguma informação (ou porque não sequestrar o magistrado em causa durante a hora de almoço (!!!) ou auto-mutilar-se cortando um dedo como protesto na frente do Juiz), etc, etc, etc.
Falta de segurança dos operadores judiciários, falta de condições de trabalho em Edifícios obsoletos (julgamentos adiados por falta de salas de audiência, por falta de meios de gravação). Reformas a diplomas em ritmo vertiginoso, quantas vezes com qualidade e alcance discutível que têm consequências catastróficas como vimos com o aumento da criminalidade no passado Verão (o primeiro após a entrada em vigor das alterações nos Códigos Penal e de Processo Penal). Reformas de Organização judiciária feitas sem atender à concreta experiência de quem está efectivamente no terreno, delineadas "sobre o joelho" e implementadas "à força" para cumprir programas (e prazos...) eleitorais.
É este o cenário com que se depara diariamente quem trabalha nos nossos Tribunais...quem não pode esquecer que os "processos" não são só papel e estatística mas sobretudo (e ACIMA DE TUDO) "Pessoas".
Enfim...

Sandra T disse...

Mais, e quando os detidos nas celas dos tribunais, a aguardar julgamento, simplesmente fogem ... Sim, porque já aconteceu,e é muito grave! Como é grave esperar horas para dar início a uma audiência, porque na esquadra não há agentes da PSP disponíveis (leia-se suficientes) para prestarem segurança ao julgamento.
É lamentável, e sem sinais de melhoria.
Mas, pronto, parece que este elenco de misérias vai-se resolver, de vez... com as retiradas dos multibancos dos tribunais... Beijoca

ebrexock disse...

Muito recorremos á palavra PAÌS as vezes ate associamos DEMOCRATICO para falar em PAIS DEMOCRATICO . Está mais que provado que estamos todos errados ... nao vivemos num país mas sim numa ALDEIA , um lugar sem regras , respeito , cidadania etc ... estamos condenados pois no fundo ja batemos ... agora espera-nos enterrarmo-nos totalmente no lodo . E triste ... acima de tudo temos de ser europeus e nao so portugueses ... me desculpem o desabafo
Pedro

Foxy disse...

Só hoje descobri seu blog e li os seus posts com interesse. Li que é ligado à àrea da Sexualidade, é importante aconselhar e manter jovens informados pelo que é um trabalho necessário e urgente.

Voltarei.

Manuel Damas disse...

Minha querida D.Quixote...
Depois de tudo o que li, mais não posso fazer do que concordar em pleno.
Obrigado por ainda ter coragem para continuar.

Manuel Damas disse...

Um beijo grande, Sandra e obrigado pela sua valiosa colaboração em termos de relato vivo e vivido.

Manuel Damas disse...

Ebrexock...um grande abraço de concordância e idêntico repúdio!

Manuel Damas disse...

Obrigado, Foxy. Um beijinho e volte sempre. Será bem recebida!