sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

TELEVISÃO


Hoje inicia-se uma nova rotina televisiva para mim, muito mais cansativa, mas também mais prazerosa.
A partir de hoje passo a chegar à Porto Canal, semanalmente, à sexta-feira, às 19.30, para depois entrar em directo no programa "Porto Alive", da Maria Cerqueira Gomes. Inicio, assim, uma rubrica fixa, todas as semanas, em directo, sobre Sexualidades.
Hoje o tema será "Desmistificar a Masturbação".

Cerca de meia hora depois, abandono as instalações da televisão, a correr, para vir a casa, comer qualquer coisa e mudar de roupa, obrigatoriamente.
Às 0.30 volto a entrar nas instalações da Porto Canal para, em conjunto com a Maria José Guedes, colocar no ar uma nova emissão do "Sexualidades, Afectos e Máscaras".
Hoje será a 60ª e versará, novamente, sobre "Solidão".

Será,semanalmente, uma correria mas, também, um enorme prazer.
Passo a ter duas oportunidades para, em directo e em contexto televisivo, poder fazer pedagogia, com cariz científico, ainda que de forma informal, mas sem tabus nem pudores, na área das Sexualidades e dos Afectos.
Serão, todavia, momentos diferentes, até porque direccionados para públicos-alvo dispares e, implicando, obrigatoriamente, discursos e estratégias de abordagem que não poderão ser, de forma alguma, semelhantes.
Às duas da manhã abandonarei as instalações da televisão, mais cansado mas, também, mais realizado.

4 comentários:

Casemiro dos Plásticos disse...

O professor está sempre em grande e com este novo projecto então preve-se a continua de um maior sucesso. Um grande abraço e um excelente 2009,

Manuel Damas disse...

Muito obrigado Casemiro.
É o resultado de uma enorme capacidade de trabalho e de uma indomável força de vontade.
Um grande abraço

D. Quixote disse...

De algum modo revi-me na descrição da sua nova assunção de tarefas.
Desde "menina e moça", passando pela minha vida estudantil coimbrã e o passado recente/actualidade sempre tive necessidade de me ultrapassar a mim mesma num sem fim de actividades lúdicas (e não só) paralelas a uma intensa actividade profissional(actividades sindicais e/ou associativas, desporto, meditação, escrita e música(estudo)...muita música). Sem este ritmo alucinante em que se processa o meu dia-a-dia decididamente não seria quem sou...e não seria feliz. Pese embora as consequências que dai advêm noutros campos da vida - mas isso remete-nos para outro post seu recente no qual, de alguma forma também me revi.
:)
Caríssimo Doutor, Continue a rentabilizar os seus talentos...mesmo que em detrimento de "vida pessoal" no sentido mais comum da palavra.
Prometo que um dia destes arranjo tempo para espreitar o(s) seu(s) programa(s).
BOM ANO DE 2009.

Manuel Damas disse...

Minha querida D.Quixote...somos daqueles que escondemos as feridas atrás das ocupações profissionais.
Até quando?
Não o creio benéfico, mas não posso nem devo criticar até porque, partilho do mesmo mal.
Uma boa semana de trabalho.