sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

TV


Novo dia de maratona televisiva.
Assim, às 20.15 estarei, em directo, na Porto Canal, no programa "Porto Alive", com a Maria Cerqueira Gomes, na que será a minha quinta intervenção, como sexólogo residente do programa. Hoje o tema a abordar será "Casamento entre pessoas do mesmo sexo".

Um tema polémico e fracturante, evidentemente, posto, de novo na ordem do dia por José Sócrates ao anunciar que seria um item que faria parte da moção que vai apresentar ao Congresso do PS e que, sendo aprovada, como tudo indica, virá a fazer parte do seu próximo programa eleitoral.
Espero que esta questão não venha a ser, de novo, esquecida uma vez que já fazia parte do programa eleitoral do PS na campanha eleitoral para a anterior legislatura.
De qualquer modo, a questão prende-se única e exclusivamente com o direito das pessoas que vivem uma relação, terem legitimidade, se assim o quiserem,a oficializar a mesma, através da fórmula oficial, dita casamento, independentemente da idade, do sexo e, acima de tudo, da orientação sexual.
E isto, especificamente, cumprindo o direito constitucional à não discriminação em função da orientação sexual.
Um tema polémico, sem dúvida mas que se refere, única e exclusivamente, ao direito das pessoas procurarem a felicidade, independentemente da sua orientação.
Estas e outras vertentes serão abordadas.
Será uma nova oportunidade para fazer pedagogia, de forma serena e tranquila, mas científica e, acima de tudo, sem pudores nem tabus.
Depois, à 1.00, irá para o ar, também na Porto Canal, novamente em directo, com a duração de uma hora, a 63ª emissão, do "Sexualidades, Afectos e Máscaras" com a Maria José Guedes.

O tema de hoje será, "Os media e as sexualidades".
Um tema polémico e fracturante que continuará a ser abordado com clareza, de forma informal, mas tentando trabalhar, em estilo tertuliano,com os nossos espectadores.
O poder dos media e, fundamentalmente, a sua capacidade de condicionar e formatar o pensamento das pessoas.
Os media, na sociedade global têm, na modernidade, sem dúvida, um extraordinário poder.
Recordo o facto de há anos atrás o director de uma das televisões portuguesas ter assumido, em público, que seria fácil, a uma televisão, fazer eleger um Presidente da República.
E, na verdade, mais não assumiu do que uma verdade de La Palisse.
E na área das Sexualidades e dos Afectos este mesmo poder pode tornar-se perverso e de extraordinário poder destrutivo e quase castrador.
Será, uma vez mais, uma abordagem efectuada com a frontalidade obrigatória que os espectadores merecem.
A intenção é, acima de tudo, tentar desmistificar o tema.
Prevejo que será um grande programa, a não perder.
E estão, assim, criadas duas janelas de oportunidade, ainda que diferentes e com um registo obrigatóriamente dispar, até porque direccionadas para públicos alvo com especificidades próprias para, em contexto televisivo e em directo, abordar questões que me são caras, na área das Sexualidades e dos Afectos ou seja, a nível da intimidade e da afectividade.
Será, novamente, uma sexta-feira passada a correr mas, obviamente, com enorme prazer.
Certamente que, às duas da manhã, quando abandonar as instalações da televisão, sairei cansado mas, acima de tudo, com a noção do dever cumprido e, já, ansioso pela próxima maratona...

16 comentários:

Ana Paula disse...

Dr Manuel Damas,
Como sei que o Sr é médico e é um homem de afectos e como faz programas de televisão excelentes, gostaria que passasse no sorrisodina@blogspot.com e que me deixasse o seu parecer. Peço-lhe desculpa por não comentar os seus posts mas ao seu lado sou uma iletrada, só conheço a vida como ela se me apresenta. Desde já agradecida, não só pela visita mas pelo seu trabalho e pelo seu blog.

Manuel Damas disse...

Minha querida Ana Paula...
Desculpe lá mas neste meu espaço todos têm entrada!!!
Não me interessa se são doutores ou não!
O que me interessa, se o posso dizer assim, é a validade das pessoas, a sua dignidade, o seu interior, o seu conteúdo.
Por isso...faça favor de deixar os seus comentários que terei o maior prazer em ler!
Aiiii!!!!
Não me quero aborrecer!
:))))))))))))))))))
Um beijinho grande e volte...por favor!

ebrexock disse...

Damas posso ver o seu programa online em algum lado ? Nao tenho o Porto canal !!! Aqui na zona ng tem :(

hug

Bruno Romão disse...

Boa noite Prof. agora que acabei o meu estudo não posso deixar de visitar o seu blog e, se me permite dar uma ou outra opinião acerca do programa de hoje. Relativamente ao referir que os anúncios somente se apresentam com gente bonita, não acho que tenham o objectivo de dar a entender que alguem que esteja deficiente ou alguem "feio" não tenha direito, consoante referiu o caso do perfume, a ter bom gosto. Penso que infelizmente, os criativos acham que, apesar do anúncio se dirigir a uma faixa etária de adultos, estes agem por imitação. Afinal se formos a ver falamos em comprar o perfume "da Britney Spears", passo a publicidade, quando possivelmente ela nem sequer o usará. Mas o objectivo esta lá, corriga-me se estiver errado, o objectivo da imitação, através do imitar alguem que admiramos, baseado no mais básico dos instintos que é o primeiro passo para a aprendizagem (a imitação). Não que concorde com anúncios com gente "demasiado bonita e perfeita", perfeição essa conseguida maior parte das vezes à custa de um bom software de tratamento de imagem. Acho até muito positivo a utilização de imagens de gente comum até para fazer dissipar a ideia que os responsáveis de marketing gostam de passar que "só os bonitos é que usam o perfume A, B ou C, portanto se querem ser bonitos dêm-nos o vosso dinheirinho e comprem". Deixe-me agradecer e confessar que me encheu o peito de felicidade quando o ouvi falar que na proxima semana o tema irá ser "as carências afectivas, sugestão do blog", julgo (caso não seja desculpe a vaidade) que estaria a referir-se à minha sugestão. Fiquei mto contente até porque confesso-lhe que gosto bastante da área da psicologia, apesar de não ler sobre a mesma derivado a falta de tempo. Aproveito para questionar algo que nos meus primórdios depressivos julguei, hoje vejo que erradamente, que se conseguirmos analizar, identificar a origem e o porquê de todos os nossos pensamentos/tristezas os poderiamos "controlar", como se de matemática exacta tratasse. Vejo que não é bem assim, e gostaria de o ouvir/ler sobre este pensamento que ainda hoje me faz ser uma pessoa tão emocionalmente controlada procurando agir com base na razão e nunca na emoção, havendo quem diga mesmo que 90% do meu cérebro é Racional e que o resto não conta :D. Abraços para si e para toda a equipa do Sexualidades.

Bruno Romão disse...

Mais uma vez o incomodo, mas gostaria de lhe referir a questão da publicidade novamente, pois só após a inserção do meu primeiro comentário é que observei com atenção o video do anúncio da publicidade Dolce & Gabana que colocou no blog, para referir o que julgo ser uma das "possíveis" razões para que não se recorra a homossexuais, lésbicas ou deficientes para publicidade. Julgo que uma das formas de racioncínio que o cérebro humano tem é a associação e nós associamos os mais diversos tipos de vivências de sensações a cheiros, passando por opiniões associamos tudo o que pudermos julgar, opinar, sentir, interligando todos esses componentes fazendo uma imagem de algo, ou de uma vivência. Infelizmente atrevo-me a dizer que a maioria da sociedade associaria o perfume do video em questão ao lesbianismo e às práticas homossexuais e seriam frequentes os comentários nas perfumarias "olha o perfume dos Gays e das lésbicas" (com todo o respeito que tenho pelos mesmos, estando simplesmente a fazer a análise), para não referir comentários mais grosseiros que seriam feitos pelo nosso ainda "zé povinho português". Concordo consigo quando diz que a sociedade somos todos nós e podemos em cada um de nós começar a mudança, eu não me incomoda nada o anuncio e não é o mesmo que me faz melhorar ou piorar a minha opinião pessoal acerca de um produto e não hesitaria em adquiri-lo, ou seja faço a minha parte de mudança e abertura de mentalidades nesta sociedade de máscaras, começando por mim, mas sou um pouco pessimista quanto ao facto de esta um dia mudar ou em relação ao facto desta "evoluir" à velocidade desejada. Talvez por isso continuemos na cauda da europa.
Abraços

bisturi disse...

Chére confrére sexólogo:
Sempre que passo por aqui é com algum receio que o faço...
Receio de partir algum ossinho dada a abundância de TEMAS FRACTURANTES que por aqui abundam e proliferam!!!
Diz: "o direito das pessoas que vivem uma relação, terem legitimidade, se assim o quiserem,a oficializar a mesma, através da fórmula oficial, dita casamento, independentemente da idade, do sexo e, acima de tudo, da orientação sexual."
Pergunto: eu gosto muito da minha cadela Blacky... será que isto se aplica a mim? Ehehehehehehe
Não ve venha dizer que tem de haver mútuo consentimento...é que a Blacky parece ser mais inteligente que alguns ditos seres humanos e como alguém disse "quanto mais conheço os homens , mais gosto do meu cão!".
E a minha relação verdadeiramente apaixonada com o meu carro? Será que está abrangida por esse conceito? É que ele também tem vontade própria e até me diz quais são as avarias que tem : falta de água para os vidros, luz acesa, lãmpada avariada, falta de combustível, etc...
Bom fim de semana e com muitos sorrisos!!!

Ana Paula disse...

Sinto que lhe devo um gesto, como sei que conhece também as máscaras, porque conhece os corações, e porque espero com ansiedade o seu livro, deixo-lhe um poema meu, simples quanto eu...

A Máscara


Mudei a máscara...
a outra velha, triste e usada,
repousa tranquila no espaço.

Saltei para o mastro do meu barco
Subi por ali devagar e com dificuldade
Mergulhando no nevoeiro e afastando
As gotas de água salgada
Que escorriam pelo perfil,
Trepei até ao topo e ainda cansada
Decidi pintá-lo de branco
Como a cor das pombas que cruzei no céu
Então o sol estendeu os seus braços
Envolvendo-me num abraço e o calor
Arrancou-me um belo sorriso
A pensar que o branco é a junção de todas as cores,
E que o meu barco embora branco
Tem dentro dele um arco-íris.

Cidade do Ulisses, 2 de Janeiro 2009 - Ana Paula Roque

Não há nunca limitações literárias para escrever, aquilo o que os olhos do coração vêem, por favor continue!

lumiere disse...

meu caro
mais uma vez tenho um desafio pra lhe fazer..............
lol
depois entro em contacto com o professor
mas se quiser ir vendo do que se passa passe em http://semimtimidade.blogspot.com/

pois será algo do genero mas para si vai ser muito mais apimentado

bisturi disse...

Não estou a incomodar? - O exame da Dona Rosete

O Casamento Homosexual

Ora, meus queridos ouvintes, eu hoje venho muito bem disposta, e não é só por ter passado, ontem, o serão todo a ver os programas de apanhados que o meu Gouveia me gravou – Ai, quando eles põem aquele de pregar um cocó ao chão, e as pessoas vão com o saquinho na mão, como se faz com o cocózito dos cães, mas não o conseguem tirar... ai, pela minha saúde, fico ali a rir, a rir, a rir, que o meu Gouveia quando chega a casa, diz logo: “Pronto, Rosete! Estiveste a tarde toda a ver o Canal Parlamento, não foi?” E, depois, em geral tem de que ir a correr à farmácia comprar-me um remédio para os soluços porque aquilo, realmente, é demais.

Mas não. Não é por isso que eu estou tão bem disposta. É porque hoje, ao contrário do que é costume, não venho dar nenhum ralhete aos senhores da política.

Eu hoje, por acaso, até venho dar um “parabenete”. E aqui vai ele: Bravo! Bravo, senhores do Governo, bravo senhor engenheiro Sócrates! Bravo por, finalmente, considerarem o direito ao casamento homossexual. Realmente, já era tempo dessa moção sair do armário onde os senhores a tinham escondida.

E não fui só eu. Outras senhoras já vieram dizer que estão muito contentes com esta proposta de moção, como é o caso da Dona Ilda. Eu, por acaso, não sei quem é essa Dona Ilda mas cheira-me que também deve ser porteira, como eu, porque estão sempre a chamá-la para comentar coisas nos jornais. Deve ter um filho ou um netinho que, pronto, é mais amigo de ouvir os ABBA do que os outros, por isso é que a chamam para falar nestes assuntos. Olhe, dona Ilda, eu é um sobrinho. Um amor de pessoa, Deus o abençoe, que é ele que me chuleia a bainha das saias, sempre que eu preciso de uma nova, assim, por uma ocasião especial.

Como toda a gente sabe, eu sempre defendi nas minhas crónicas o casamento homossexual. Até porque se há pessoa que percebe de casamentos é o chamado gái. Quem é que sabe decorar um salão em condições, hum? Quem é que sabe que a cascata de gambas não pode ficar ao pé da lampreia, hum? É um heterossexual? Não, é! É o homossexual, pois está claro! Eles podem até nem viver felizes para o resto da vida, mas lá que a boda vai ser um sucesso, isso é certinho

Por isso, eu digo: Viva o casamento gái, viva!
Eu só queria, realmente, pedir ao senhor engenheiro Sócrates uma coisa: agora que vai discutir o casamento entre homossexuais, será que não podia abordar também a questão do casamento entre pessoas de sexos diferentes? Não, não estou a falar dos heterossexuais. Estou a falar de casais como a Elsa Raposo e João Kléber que, por muito que apareçam nas revistas aos beijinhos, está na cara que, no que toca ao sexo, têm gostos completamente diferentes. Pense neles também, senhor primeiro-ministro. Tenha dó, coitadinhos.

PUBLICADO POR donarosete em 22.01.09

Manuel Damas disse...

Meu caro ebre...penso que só mesmo através da tv cabo ou da cabovisão. SEi que o meu irmão o vê no Brasil através de satélite, mas pouco mais posso dizer.
Um grande abraço.

Manuel Damas disse...

Meu caro Bruno...logicamente que a sua sugestão, por pertinente, foi por mim aceite de imediato. Relativamente à publicidade eu apenas acho que ela poderia e deveria ser mais eclética, tendo em conta os "target" que pretende atingir. Quanto à sua suposta racionalidade, já vi muito ser racional a, em situação de afectos, cair numa total irracionalidade.
Um grande abraço.

Manuel Damas disse...

DE novo, meu caro Bruno apenas para voltar a insistir para o facto de que a Sociedade somos nós. Assim sendo é em nós que reside a força da mudança. Um grande abraço e boa semana.

Manuel Damas disse...

Meu caro bisturi...por mais abrangente que eu tente que o meu pensamento seja, sinceramente não consigo comparar um ser humano à sua cadela ou ao seu carro. Mas isso sou eu, com todas as minhas limitações. :)))))))))))))))))
Um grande abraço.

Manuel Damas disse...

Minha querida Ana Paula...obrigado pelo poema que me deixa e que devorei, tentando saborear todas as palavras.

Manuel Damas disse...

Lumiere...fico à espera do seu desafio. Um grande abraço

Manuel Damas disse...

Meu caro bisturi...obrigado pelas gargalhadas que me provocou com a sua crónica da Dona Rosete.
Um abraço