quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

MADEIRA...


A Assembleia Regional da Madeira rejeitou, com os votos da maioria do PSD, o projecto de resolução de iniciativa do PS e com o apoio do CDS/PP e do PCP e a abstenção do BE e do MPT, que tornava obrigatória a execução do hino nacional nos actos oficiais realizados no arquipélago da Madeira.
Ou seja, por decisão exclusiva do PSD, em actos oficiais tais como a comemoração do dia da região e dos municípios e em todos os outros eventos oficiais será exclusivamente tocado o hino regional da Madeira.
Li e reli a notícia...
Devo dizer, ainda que não seja literariamente inadequado, que me passei completamente!
Mas está tudo louco?
Ou será que a questão dos princípios se está a esvair pelo esgoto de uma qualquer latrina insular?
Ou será ainda que os governantes madeirenses perderam a noção da decência?
Madeira que eu saiba, é Portugal!!!!
Ou será que Portugal apenas serve para ser a vaca onde se vai buscar o leite, vulgo euros, que alguém, iluminado, crê ser de obrigação nacional extorquir, por um lado e ceder por outro?
Sempre me ensinaram que qualquer acção requer uma reacção.
Até nos estudos universitários que tive que efectuar na Faculdade onde me licenciei, quando estudei Psicologia, me ensinaram que um qualquer estímulo gera uma resposta, recordando as experiências de Pavlov e dos seus cães.
Até a minha avó sempre me ensinou que "quem não se sente, não é boa gente", seguindo o ditame popular.
Mas que grotesca atitude é esta, provinda de responsáveis governamentais, ainda que insulares?
A Madeira já não é Portugal?
É que se não o for, talvez até o continente com isso lucre, numa fase tão complicada financeiramente, como esta...
Portugal não pode servir, apenas, para dar milhões e milhões de euros às ilhas, para, depois, se ver, assim, destratado!
Sou português, do Norte, com orgulho...e sê-lo-ei sempre, nunca renegando as minhas origens e muito menos o meu País, ilhas incluídas, até ver, e muito menos os seus símbolos nacionais!
Lamento, especificamente, que esta atitude tenha sido de iniciativa daquele que foi o meu partido e no qual militei 25 anos, ainda que me sinta cada vez mais e mais distante do mesmo.
A propósito recordo a recente polémica entre os Açores e a Presidência da República... e aguardo, ainda com serenidade, a posição do Presidente da República de Portugal acerca deste tema...
O velho continente não pode servir, apenas, para custear a vergonhosa tonteria de outrém!
Senão, um qualquer dia, desde que com governantes corajosos, honestos e dignos, o Governo Central poderá deixar cair as ilhas e deixá-las à sua, pelos vistos, tão sobranceira e independente subsistência.
Isso seria o que eu faria, mesmo sendo e também por isso, orgulhosamente, um Homem de Afectos!
Mas eu não sou governante...ainda que seja corajoso e não admita ultrajes.
Eu sei que um arquipélago não é, forçosamente, os seus governantes...mas também penso que se os ilhéus neles votam de forma maciça será porque anuem.
E não creio que seja por omissão!
E o que mais estranho é que esta situação não seja desnudada publica e oficialmente!
Eu, por mim, fá-lo-ei, publicamente, no meu próximo programa de tv até porque, nunca serei acusado de iniquidade porque, acima de tudo, prezo a minha dignidade de Homem e de português!
E não venham com epítetos de nacionalismo...para esse peditório já dei.
Tenham vergonha Senhores!

4 comentários:

bisturi disse...

Chére confrére:
Como ninguém se atreveu a comentar este seu post, deveras importante e interessante, quiçá FRACTURANTE...este sim é um TEMA FRACTURANTE E DE AFECTOS...estranho o silêncio dos seus seguidores!!!
Bem, mas eu não posso deixar de dar a minha opinião e desta vez POSITIVA E CONCORDANTE!!! É de espantar mas de inteira verdade...
Para começar lembro que a bandeira da região autónoma é decalcada da da FLAMA- Frente de Libertação da região Autónoma da Madeira,movimento separatista e bombista local, onde militou o nosso amigo João Jardim...
Não aceito a sua linguagem desbragada contra o continente porque é daqui que ele leva aquilo que necessita para as suas obras...
Mas se ele diz o que diz, faz o que faz...se culpa hà a atribuir , não terão responsabilidades os políticos do continente que lhe dão todo o apoio???
Contudo em entrevista recente na Sic Notícias e ao Mário Crespo o A. João Jardim afirmou-se "profundamente patriota e português".
Eu quero acreditar que é sincera esta sua afirmação.
Pessoalmente não ia á Madeira há mais de 10 anos e estive lá na passagem de ano...
Confesso que vim de lá muito bem impressionado com o grau de desenvolvimento conseguido...além de uma valente gripalhada!!!
Concluindo : não aceito uma retórica populista e de sobrevivência desse senhor...mas tenho de reconhecer que ele muito fez por aquela gente...e se calhar sem ele estariam bem pior e isolados no meio do atlântico...

Manuel Damas disse...

Tenho que subscrever...
UM grande abraço

Gundemarus disse...

Nao posso deixar de me alegrar e de me dar a mim proprio uma palmadinha nas costas ao verificar que recuperaste o sentido e abandonaste a militancia sobre a qual estivemos outrora em tao entretido e discutido desacordo.
Acabas de ganhar un quantos pontinhos mais na minha consideraçao... claro está que já há muito te tenho em grande estima porque além de tudo tu sabes o longo trajecto que se percorre até eu me referir a alguém como "amigo".
Recebe um abraço com as mais sinceras felicitaçoes pelo teu tardio despertar politico...(ambos sabemos que és propenso a despertares tardios...LOL)

Gundemarus disse...

Ah! Para o caso de ainda nao me teres identificado (coisa que duvido seriamente), este é o post para te recordar a alcunha carinhosa com que te referias ao jovem que outrora fui: "Pseudo-Intelectual de Esuqerda"... ao que eu sempre te corrigia: "o Pseudo está a mais"...
Um abraço