segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

DAR EM DEMASIA...


Alguém me dizia durante este fim de semana..."Um dos teus grandes defeitos é dares-te, em demasia, às pessoas!"
Confesso que fiquei atónito e tentei refutar da forma mais consistente possível! Penso, inclusive, que corei...o que é raro em mim...felizmente!
Eu não sei o que é "dar-me em demasia às pessoas"...
Eu sou, orgulhosamente, um Homem de Afectos.
E quando o digo faço-o, porque sou mesmo assim.
Eu gosto de gostar e, quando me dou, dou-me na totalidade, sem reservas, nem condicionantes.
Logicamente que espero receber o mesmo tipo de atitude de volta.
Mas a questão nem passa por aí.
Que Sociedade é esta em que alguém tem como defeito "dar-se em demasia"?
Eu percebo que quem o disse, fê-lo com intuito constructivo, no sentido de eu me tentar e dever proteger, para não sair magoado, como tantas e tantas vezes acontece.
Mas eu devo confessar que não sei ser de outra forma.
Já uso Máscaras que cheguem e também já fiz uma auto-crítica por causa disso mesmo.
Se eu conseguisse ser emocionalmente racional certamente não teria tantas mágoas e tantas decepções, especialmente nesta hodiernidade plástica em que pouco se pensa, muito pouco se dá e menos ainda se recebe.
Mas eu não consigo!
Até porque, se o conseguisse, chegaria todas as noites à cama e revolver-me-ia no leito, recriminando-me por todas as omissões cometidas.
Assim sendo, sou como sou e gosto de assim ser...mesmo que isso represente para mim mais dor.
Não quero passar por esta vida como mais um...
Sou afectivo, efectivamente, e tenho orgulho em assim ser!

16 comentários:

ebrexock disse...

Hey Teacher !
Percebo essa duvida :) existem seres mais racionais e seres mais emocionais . Nem sempre se torna facil de equilibrar-mos a balança razao-emoçao mas quando nao esperamos nada em troca no que diz respeito ao " dar-mos algo " entao nao ha problema . Sofre aquele que espera sempre algo em troca ... esquecendo-se que não somos todos iguais .
Bem ... voltei ao blogue :) Vivem 2009 !!!

FM disse...

Dar-se em demasia... tem as suas desvantages, é um facto mas, por vezes vale por quem dá, e só aí... Já valeu a pena.
Abraço.

BlueVelvet disse...

Se não se deu tudo, nada se deu.
Concordo consigo.
Doa a quem doer. Mesmo que seja a nós.
Beijinhos, veludinhos e cetins

Manuel Damas disse...

Seja bem vindo, ebrexock.
Que raio de nick!!!!
:))))))))))))))))))))))
Um grande abraço

Manuel Damas disse...

Nessa perspectiva...
Um abraço, FM

Manuel Damas disse...

Uops...
Não é todos os dias que recebo beijinhos, veludinhos e cetins de uma assentada só!
:)))))))))))))))))))))))))))))))
UM beijinho grande "blue"...

Teresa disse...

Olá Manuel!
Confesso que sigo atentamente o teu blog, mais não seja porque depois daquele fatídico mês de Maio (que já faz 2 anos) aqui é onde te encontro! Ainda te vejo algumas vezes na TV quando os meus olhinhos resistem ao adiantado da hora. Aqui acompanho alguns dos teus comentários e não resisto a afirmar que herdaste a capacidade familiar de transformá-los sempre em algo apetecível e com carácter pedagógico! Faz-me lembrar aquela "nossa" senhora que me dizia: "a menina" aprenda que na vida.........
A ti te pergunto, e a todos os que têm dúvidas, se dar-se em demasia é negativo! É que quando se perdem os "nossos" (amigos, familiares, amores)quase sempre nos arrependemos não do que demos, mas acima de tudo, d que não demos e não "vivemos"!
Para ti os meus parabéns pelo sucesso profissional e parabéns porque te dás tanto!
A "menina" Teresa

Sandra T disse...

Dar nunca é em demasia, só assim se vive na verdade e se é feliz, invejo-o, acredite.

bisturi disse...

Ai como isto me cheira a " SINDROME DO CALIMERO"!!!!!
ou será "SINDROME DO CAÇADOR"?
Eheheheheheheeh
Abraço

macaw disse...

“Eu gosto de gostar e, quando me dou, dou-me na totalidade, sem reservas, nem condicionantes.”

Acho que é a melhor forma de viver, porque quem não dá não recebe! Obviamente que isso implica dor, mas não há nada que se consiga na vida sem alguma dor!

“Logicamente que espero receber o mesmo tipo de atitude de volta.”

Quando as expectativas são muitas, a dor multiplica-se, porque muitas vezes estamos mais concentrados no “receber” do que propriamente no “dar”.

“… no sentido de eu me tentar e dever proteger, para não sair magoado, como tantas e tantas vezes acontece.”

É praticamente impossível protegermo-nos da dor, porque se por um lado arriscamos e podemos sair magoados, por outro lado se não tentamos será a solidão a devorar-nos cá dentro. De uma forma ou outra acabamos por sofrer. Entre as duas, tenho pena de ter optado quase sempre pela segunda!

“Se eu conseguisse ser emocionalmente racional certamente não teria tantas mágoas e tantas decepções”

Ao longo da vida, é inevitável coleccionar mágoas e decepções, faz parte, nada a fazer.

“… mesmo que isso represente para mim mais dor.”

Acredita mesmo nisso? Duvido!!! Muitas vezes representa dor, é verdade, mas esta dor não é maior que a dor da solidão. A primeira dor significa apenas que a situação chegou um ponto em que tem de acabar, mas quando olha para trás, não vê apenas dor, vê também momentos de alegria partilhados com a pessoa a quem deu tudo. Na segunda dor… bem, na segunda dor existe apenas o vazio, a dor, quando se olha para trás é como se nunca tivéssemos existido, porque não há memória de alguém que nos tivesse dado a vida, ainda que por pouco tempo. Vazio.
E se os bons momentos não compensassem os maus, acho que hesitaria em afirmar que “Sou afectivo, efectivamente, e tenho orgulho em assim ser!”

Manuel Damas disse...

Minha querida Teresa...
És responsável pelo enorme caudal de lágrimas que me caem pela face à medida que te respondo.
Hoje foi um péssimo dia para mim, em termos afectivos e ler a tua mensagem fez-me regressar lá para trás, tão atrás que ainda me parece ontem. Enfim...regressar onde fui feliz.
Por tudo mas principalmente pelo que escreveste não quero, não posso, nem devo, deixar de te agradecer e dizer obrigado a quem acompanhou tão, mas tão de perto, alguém que me era muito querido e que nunca esqueço, todos mas todos os dias...A minha Mãe.
Também por isso, obrigado Teresa.

Manuel Damas disse...

Um beijo grande Sandra.

Manuel Damas disse...

Meu caro Bisturi...mais não é do que o síndrome do homem só...

Manuel Damas disse...

Foi com muito orgulho, maczinha que li e reli o que escreveu.
Hoje apesar de ser um pessimo dia afectivo para mim, fico contente e orgulhoso por me ver citado com tanta qualidade...significa, também, que deve valer algo.
Um beijo grande

Sunshine disse...

Eu acuso-me do mesmo: dou-me sempre por inteiro, porque é assim que sou. Se é um "mal" não me consigo livrar dele.
beijinhos com raios de sol

Manuel Damas disse...

Minha querida CC...um beijinho enorme aí para terras distantes.