quinta-feira, 8 de fevereiro de 2007

A IGREJA E A IVG...



Acabo de ouvir, em directo, o Padre Manuel Pinto, da Diocese de Viseu, proclamar alto e bom som: "Quer faça um, quer faça mil, a mulher que faz um aborto merece a absolvição.Também por isso, eu vou votar SIM"!...
Palavras para quê?
Afinal parece que a visão oficial da Igreja está a implodir!
Felizmente!
Para bem da mulher, para bem dos crentes e, talvez, para a progressão da própria Igreja Católica, que necessita de evoluir, para fugir ao perigo de ficar, um dia, a clamar no deserto!

4 comentários:

Mize disse...

Também ouvi em directo uma médica , pelo SIM, que disse para Portugal ouvir que por si passou uma mulher que estáva grávida, clinicamente sabia-se, que devido a uma doença da mãe ela não devia ter a criança porque podia morrer, a LEI prevê esta situação, e a médica, mandou-a embora, disse ela, dizendo que tudo ia correr bem, e a mãe morreu aida durante a gravidez. Agora a médica é pelo SIM. Não entendo. Isto é crime. Penso eu...

Manuel Damas disse...

Não.
A mãe pode decidir assumir a gravidez até ao fim,independentemente da opinião médica ser contrária!
Basta assinar o termo de responsabilidade e o médico não pode fazer nada.

Mize disse...

Infelizmente não foi o caso, aliás i IPO do Porto já veio pedir desculpas pela lentidão do processo exigido pela administração, e não pela actual Lei. Como podemos garantir que se o SIM vencer a lentidão burocrática vá ficar resolvida? Estou muito pessimista

Manuel Damas disse...

A lentidão burocrática tem que ser regulamentada pelo Ministério da Saúde, Maria José!