quarta-feira, 23 de abril de 2008

MRIA DE LURDES RODRIGUES



"A repetência, ou o chumbo, é o elemento mais facilitista do sistema educativo!"...

Foi a Ministra da Educação que o disse.
Que, uma vez mais, demonstra que não sabe o que diz!
Interrogo-me, muitas vezes, qual a verdadeira razão da sua sustentabilidade e manutenção no cargo...mas isso são outras questões.
Regressemos à alarvidade produzida, com pompa e circunstância pela Lurdes Rodrigues...
Lida a frase, a mesma pode ser analisada em duas perspectivas.
Se fosse a minha Mãe a dizê-lo, que era Doutorada em Pedagogia por Salamanca, com passagem por Harvard, Boston e Louvaina, o significado seria que, acima de tudo, o professor é, para além de um educador, um formador e um informador e, como tal, com a função Major de tudo fazer para conseguir levar o aluno ao saber...a perspectiva esforçada.
Tendo sido a Lurdes Rodrigues a dizê-lo, significa a via do facilitismo, para quem o chumbo não existe, nem pode existir, porque o trabalho se efectua na perspectiva do cumprimento das estatísticas...vidé a dificuldade enorme em termos burocráticos que significa, hoje, o acto de querer chumbar um aluno...vidé os exames de uma suposta repescagem que, acima de tudo, mais não fazem do que conduzir o discente, "ao colo", até ao canudo, numa estratégia facilitista e inane.
Eu, enquanto professor, salvo honrosas excepções, considero o chumbo um acto de castigo pela não prossecução, devida, dos trabalhos. A decisão de considerar que não foram atingidos os objectivos.
Uma penalização.
E não considero um acto facilitista...bem pelo contrário.
Considero um acto de extraordinária dificuldade e responsabilidade chumbar um aluno.
Nunca o fiz com leveza...e muito menos com leviandade ou facilitismo.
Sempre efectuei a correcção dos exames dos meus alunos de forma transversal, pelo que costumo demorar bem mais do que os meus colegas. Faço a correcção pergunta a pergunta ou seja, cada pergunta é corrigida para todos os alunos. Assim sendo sei que uma décima de diferença entre alunos, é dada em e com consciência e noção da responsabilidade.
Fico, assim, com a noção do dever cumprido e de forma justa.
Talvez por isso, em vinte anos de docência, nunca uma revisão de provas em relação a mim, teve sucesso.
Acresce o facto de que, em 20 anos, não sei se terei tido, na totalidade, 10 pedidos de revisão de provas...
Mas isto é precisamente a prova da responsabilidade consciente...ou seja, precisamente o oposto do facilitismo.
Assim sendo, sempre tive uma elevada percentagem de chumbos às disciplinas que leccionei...justos, coerentes e assumidos.
Até porque os meus alunos sempre foram privilegiados.
Sempre tiveram acesso a todos os meus contactos...telemóvel e telefone de casa incluídos, que sempre disponibilizei na aula de apresentação.
E nunca tive qualquer tipo de pruridos em com eles ir beber um ou mais copos à noite...nem, sequer, em estar permanentemente disponível.
Precisamente por isso sempre fui considerado um professor excelente durante o ano e um (o tipo de vernáculo usado não me permite transcrevê-lo aqui) nos exames.
Mas sou-o com orgulho...
O orgulho do dever cumprido.
E assim continuarei.
Com extraordinária vaidade e orgulho no que faço e no modo como o faço.
Precisamente por isso é que, se tivesse a Lurdes como minha aluna, a reprovaria com o maior prazer...
Como forma de penalizar a incompetência e mediocridade que sempre demonstrou no exercício das funções ministeriais.
E escrevo-o com a noção correcta e exacta do que estou a escrever.
E depois o sistema pára, espantado, por as criancinhas, que o próprio sistema transformou em energúmenos, andarem a agredir os professores...mas porquê?
Na realidade o sistema ajuda e alguns pais estimulam...

8 comentários:

mik@ disse...

bom dia professor :)))))))))
espero que esteja bem dispostinho sim...

bem o que dizer destas coisas que saiem lá daqueles lados da mouraria... apetece-me cortar os pulsos!! mas como isso doi, não é boa ideia.

posso dizer que nunca reprovei nenhum ano. sempre fui uma aluna razoável mais ou menos constante e coerente nas coisas... acho que ninguém deve reprovar um aluno só porque sim, porque lhe apetece.
agora há pessoas que não podem ser empurradas de leve pra seguirem em frente porque o problema vai continuar. se não for resolvido em alguma das etapas, ha-de chegar um dia que a situação fica insustentavel. depois resulta em maus profissionais, em pessoas sem educação e noções de comportamento social, maus alunos que o serão durante a vida toda...

mas estes minitros são de outro mundo... será que não foram sequestrados por aliens? ou por um qualquer programa de testes americano.... tudo é possivel.
ainda está muita água pra correr debaixo do moinho...

Manuel Damas disse...

Oh "mik@"...estou totalmente de acordo consigo, meu anjo. O facilitismo exagerado, o passar sempre, sem qualquer possibilidade de penalização, provoca consequências sérias e graves, mais tarde ou mais cedo.
Um beijinho grande.

Queruby disse...

Ola de novo :)
Isto e que é um bom professor, onde da aulas que vou ja para la :)
Concordo plenamente com o que disse sobre o chumbo, e preciso uma grande responsabilidade em chumbar um aluno. Mas tambem ha que convir que ha muitos colegas seus que tem prazer em reprovar, as vezes ate dão a sensação de terem comissão nos chumbos. Desculpe a sinceridade.
Ha poucos professores como o senhor, bem haja por isso.

Beijufas de Luz!!

Manuel Damas disse...

Oh "queruby"...também por aqui andam antigos alunos meus que não me deixariam mentir!
:))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Um grande beijinho

Sandra T disse...

Infelizmente para o futuro, de há uns governos a esta parte tem-se incrementado a passagem fácil, o coitado do professor se reprova um aluno quase leva uma reprimenda com o consequente puxão de orelhas. Confesso que não percebo se é um complexo qualquer com a comparação ao estrangeiro, se é a maluqueira, a doença das estatísticas, ou se é mesmo ódio por este país e por quem cá vai ficar. Pobre futuro...

macaw disse...

O chumbo quando justo só vai ajudar o aluno, tal como a mika disse por outras palavras. é que passar por passar os alunos não os vai ajudar em nada e eles serão os mais prejudicados a longo prazo!

de resto, concordo com tudo o que disse...
enfim, que mais posso eu acrescentar?! estou cansada de ver o ensino como está!

bjinhos ;)

Manuel Damas disse...

Oh Sandra...penso que é a perseguição inconsciente e inconsequente às estatísticas e a tentativa de branquear a realidade.

Manuel Damas disse...

O ensino facilitista, "mac" não é a melhor solução.