segunda-feira, 4 de fevereiro de 2008

CIÚME...

Antecipando o "Sexualidades, Afectos e Máscaras" da próxima sexta-feira, 20ª emissão, subordinado ao tema "Ciúme", deixo aqui um desafio.

O que é o Ciúme?

Uma doença?
Uma obsessão?
Uma prova de amor?
A outra face da posse?
Uma manifestação de falta de confiança?

A título de provocação, deixo uma citação de Madame de Stael...

" O ciúme pertence mais à vaidade do que ao amor..."

Aguardo a sua contribuição...com a ajuda da pintura de Paula Rego

29 comentários:

susy claro disse...

Olá
Já leio o seu blog há algum tempo e gostava de saber quando é que dá o seu programa porque embora viva fora de Portugal, tenho TV Cabo e posso assistir ao programa. Já tenho lido sobre os vários temas que apresenta, mas nenhum deles me despertou tanto a atencao como este... porque lido, actualmente, com um problema de ciúmes.. do passado! Sim, tenho ciúmes do passado do meu marido, mais precisamente das ex-namoradas e sinto uma inseguranca enorme perante elas. Para ele, o passado nao passa disso, algo terminado e esquecido. Para mim, o passado dele é, muitas vezes, uma tortura porque perco tempo a pensar no que poderao ter feito com ele.. e dói-me tudo de ciúme...Sei que é estupidez, perda de tempo, desgaste para o nosso amor e inútil... mas nao sei como ignorar este sentimento

Manuel Damas disse...

Minha querida Susy...seja bem vinda.


Claro que pode e deve assistir!
:))))))))))
O programa dá todas as sextas-feiras à noite, em directo, às 0.30 e repete ao domingo, em diferido, às 0.00.

Quanto ao que refere...
O terrível problema dos ciumes...a dor que arde e dilacera, por dentro, magoando, estando em permanência cravada!

Não acho estranho, nem sequer único, que tenha ciúmes do passado do seu companheiro!
Por vezes acontece!
Pode estar relacionado com falta de confiança, no seu companheiro e nas suas próprias capacidades.
Talvez alguma falta de auto -estima.
Mas Susy...vai ter que resolver isso, rapidamente.
Que tal conversarem com toda a franqueza?
Se ele diz que passado é passado, seria conveniente que a menina ouvisse, interiorizasse e compreendesse o que o seu companheiro lhe diz!
Até prova em contrário, não tem motivo para desconfiança. Assim sendo, não deixe que seja o ciume a fazer algo que o passado do seu marido não conseguiu...Ou seja, não deixe que seja o ciume a infernizar a vossa relação e até, talvez mesmo, a acabar com ela.
Um beijinho grande e continue a aparecer por cá...

Blue Velvet disse...

Hehe, ganda tema.
Espero conseguir entrar no programa.
Passe pelo meu blog e olhe com olhos de ver: tem lá uma malandrice...
Eu é que já me dói os olhinhos e não encontro mail nenhum:(:(

Manuel Damas disse...

damas.manuel@gmail.com

Olá!! disse...

Desafio aceite ...
Beijinhossssssss
Já vi esse email espalhado em vários sitios... anda perdido???? hehehe

Olá!! disse...

O que é o Ciúme?

No meu ponto de vista, ciúme é sinónimo de insegurança mas também de sentimento de posse. Nunca uma prova de amor.
- Há o ciúme injustificado, fruto da insegurança
Ex.: “Sinto ciúmes por ele olhar e babar quando passa aquela jeitosona”. “Não atende o telefone, o que andará a fazer????”…

- E há o justificado, fruto do sentimento de posse que muitas vezes leva à obsessão e do qual resultam muitas loucuras…
Ex.: “Sei que ele anda com outra, o ciúme apodera-se de mim, ele é meu, ninguém mo vai roubar, vou fazer tudo o que seja possível nem que para isso tenha de matar…”

Os exemplos que dei não são meus, poderiam ser, mas não me considero ciumenta e quando tenho dúvidas tento esclarece-las de imediato.

Considero o ciúme uma reacção que se pode tornar uma doença e enquanto há pessoas que tentam esclarecer as situações dúbias, há outras que recorrem a vinganças, a maus-tratos e muitas vezes a assassínio.
Um ciumento obsessivo é um potencial criminoso.

Cheira-me que vou levar dois "bofetões" do Professor....

Manuel Damas disse...

Minha querida "olazinha"...fez-me soltar uma gargalhada com essa dos bofetões!!!!
Impossível porque eu sou total e completamente anti-violência.
Não consigo...é fisiológico.
Por isso!
Quanto ao ciúme parece-me natural que o doentio seja uma doença.
Há, todavia quem diga que um pouquinho de ciume, racional, alguma insegurança, por mais pequena que seja, é demonstração de que se ama e alimenta a relação.
Algum, muito discreto, sentido de posse, perfeitamente bi-unívoco!
Pronto!!!
Eu confesso!!!!
Eu sou um quito ciumento!!!!
:P
N

macaw disse...

ciúme?!! nunca ninguém disse que a vida era fácil! mas sentir ciúmes ou ser alvo de ciúmes nunca foi saudável nem nunca facilitou a vida a ninguém!

doença, obsessão, etc são, a meu entender, apenas o resultado do ciúme! e o que está na base do ciúme é a insegurança que nos leva a duvidar do amor do outro; a questionar se estaremos a ser traídos ou não; a ter inveja, se calhar, daquele olhar maroto que deita sobre uma outra mulher/ homem quando o queríamos só para nós!
não ter ciúme, por outro lado, não significa obrigatoriamente que temos o amor do outro como garantido e que somos o seu único objecto de amor (ou não houvesse divórcios e traições)! significa, respeitar a liberdade do outro, amando-o pelo que ele é no presente momento! quem é que nunca traíu ou no mínimo teve pensamentos menos próprios, digamos assim, sobre outra pessoa que não o nosso/a parceiro/a? mas não vamos agora viver nessa constante dúvida e sentir ciúmes de tudo e de todos a toda a hora! sugiro antes que se aproveite cada momento com o nosso amado ou amada ou amados (LOL)! se nalgum momento da relação surgir a dúvida, seja por que motivo for, sejamos francos e tiremos a limpo! mas em nenhum momento devemos alimentar o ciúme, pois não é saudável!
quem tem ciúmes sofre muito, pois não sabe amar! as pessoas quando se encontram numa relação caem muitas vezes no erro de achar que o outro lhes pertence! não podiam estar mais erradas! agora lembrei-me de uma frase que se costuma dizer muito, "tenho namorado, mas não morri", ou seja, continuo a saber apreciar outros homens ou mulheres!
isto tudo para dizer que, ninguém nunca está totalmente comprometido com o outro ou ama para toda a vida uma única pessoa!
e, só para acabar, para mim o respeito é a palavra chave em qualquer situação, seja ela qual for!

fiz sentido?!! se calhar já confundi quem leu este comentário!
já tou cansada! vou dormir, porque isto de merditar sobre ciúmes a estas horas não tá com nada!

bjinhos :)

macaw disse...

pelo testamento que acabei de deixar aqui, mais valia ter postado no meu planeta! :)

Manuel Damas disse...

Minha querida "mac"...gostei muito de a rever e principalmente, de a reler.
E diz coisas acertadas, a "nossa inglesinha"!
Concordo com tudo, excepto na parte em que diz..."quem tem ciúmes não sabe amar"!
Acho um bocadinho exagerado.
Um beijinho bom!

macaw disse...

isso depende do seu conceito de amor... eu sei porque o disse...

Manuel Damas disse...

Acredito que saiba...acredito que saiba, "mac"...
as nem todas as más experiências ou pelo menos as menos boas, são universais!
:))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Um beijinho internacional...

parvinha disse...

Hoje ninguém deixa o professor vestir a máscara, está tudo em cima de si(risos).
Eu não tenho medo e vou a todas sem máscaras, até já tenho a minha foto no blog outra vez.
Ora bem quando somos traídos, é dificil voltar a confiar, ficamos muito desconfiados, até podemos ter outra relação mas aquela coisa fica na cabecita.
Podemos educar o cérebro, tentar não controlar, não ser possessivos
mas no nosso subconciente a traição fica presente.
beijinhos

parvinha disse...

Ficamos inseguros e ciumentos, grrrrrr
beijinhos

Manuel Damas disse...

"parv"...meu anjo!!!!!
Ainda é cedo para falarmos de traição!!!!
Até porque esse será assunto para outro desafio.
Mas logicamente que a marca da traição fica entranhada, agarrada, não descola!
Pode cicatrizar...mas não desaparece.

Manuel Damas disse...

Também por isso vem a insegurança e o ciume, obviamente.
:))))))))))

macaw disse...

perdoar é a solução minha querida "parvinha" (é melhor dizeres-me o teu nome porque não tou nada habituada a chamar as pessoas de parvinhas... normalmente uso termos mais fortes :D)

perdoar sim, porque no fundo quem sofre és tu por deixares que a presença da traição te atormente! até porque quem te traíu não está preocupado (julgo eu) se sofres ou não! assim, ao perdoares fazes um favor a ti própria, o de te livrares desse "peso" que te magoa e abres espaço para amar livremente outras pessoas que sim podem ser melhores (senti-me tentada a dizer que podias encontrar pior, só gozo! mas a verdade é que também nada te impede de encontrares alguém melhor). naõ quero dizer com isto que te entregues as pessoas como uma adolescente, mas que tenhas em mente que amar e entregar-se tem as suas consequências e antes de mais deves perguntar-te se estás preparada para sofrer essas mesmas consequências, sejam positivas ou negativas!

bjinhos ;)

parvinha disse...

Macaw obrigado!
beijinhos

f@ disse...

Olá
Cheguei tarde e foi quase tudo dito ... Porque o ciume depende da vivência de cada um ... é um pouco de todos os itens que menciona, + uma imensa falta de amor próprio ...
Bj

f@ disse...

ah esqueci uma coisita.. " Os ciumes pertençem + a vaidade... que o amor.. meio baralhada e a pensar... -uhm ... Só se fôr à vaidade dos homens...(os homens gostam que as mulheres o sintam) acho lhes faz bem ao ego... mas as mulheres deviam ser + estáveis e nunca se diminuirem tanto...
Não se zangem estou a falar sério hoje... beijinhos

susy claro disse...

Muito obrigado pelos conselhos que, prometo, irei aplicar! Tem toda a razao!!
Vou tentar assistir ao programa, mesmo tendo em conta que aqui é uma hora mais tarde... acho que devíamos fazer um abaixo-assinado-bloguista para que o programa seja transmitido a horas mais decentes ;)
Mais uma vez, obrigado!

Manuel Damas disse...

Quem fala assim...não é gaga, "mac"!
:))))

Manuel Damas disse...

Nunca é tarde para se conversar sobre coisas sérias, f@...
Nunca é tarde para conversar sobre Afectos.
Um beijinho

Manuel Damas disse...

Sempre ao dispor, "susy"!
Um beijinho

Blue Velvet disse...

Prof.
aqui fica a resposta ao seu desafio, e também está no meu blog.
Desculpe lá, mas um tema destes~não é para comentário.
Por isso desculpe o tamanho do "post":):)

De acordo com a maioria dos psicólogos ciúme é "a reacção complexa a uma ameaça perceptível a uma relação valiosa ou à sua qualidade".
Provoca o temor da perda e envolve sempre três ou mais pessoas:
a pessoa que sente ciúmes - sujeito activo do ciúme
a pessoa de quem se sente ciúmes - sujeito passivo do ciúme
e a terceira ou terceiras pessoas que são o motivo dos ciúmes - pivot do ciúme.
Este sentimento é também marcado pelo medo, real ou irreal, de se perder o amor da pessoa amada.
Em minha opinião, o ciúme está relacionado com a falta de confiança no outro ou em si próprio e, quando é exagerado, pode tornar-se patológico e transformar-se numa obsessão.


E nesse caso, sim é uma doença.

A explicação psicológica do ciúme pode ser uma persistência de mecanismos psicológicos infantis, como o apego aos pais que aparece por volta do primeiro ano de vida ou como consequência do Complexo de Édipo e que não resolvido entre os quatro e seis anos de idade, na idade adulta pode reaparecer sob a forma de uma possessividade em relação ao parceiro, ou mesmo uma paranóia.
Nesse tipo de paranóia, a pessoa está convencida, sem motivo justo ou evidente, da infidelidade do parceiro e passa a procurar “evidências” da traição. Nas formas mais exacerbadas, o ciumento passa a exigir do outro coisas que limitam a liberdade deste.
Os casos mais graves podem ser curados através da psicoterapia que passa por um reforço da auto-estima e da valorização da auto-imagem.

O Ciúme pode ter um lado positivo: proteger o amor.
Nos relacionamentos onde os sentimentos de ciúme são moderados e ocasionais, ele lembra ao casal que um não deve considerar o outro como definitivamente conquistado. Pode encorajar casais a fazer com que se apreciem mutuamente e façam um esforço consciente para assegurar que o parceiro se sinta valorizado.
Nestes casos o ciúme potencializa as emoções, fazendo o amor sentir-se mais forte e o sexo mais apaixonado. Em doses pequenas e manejáveis, o ciúme pode ser um estímulo positivo num relacionamento.

O lado negativo: prejudica o amor
Às vezes sentimentos de ciúme podem atingir a irracionalidade. Por exemplo, quando um homem provoca uma cena embaraçosa numa festa porque a sua mulher aceita um convite para dançar com um velho amigo ou quando uma mulher é tomada de ciúmes excessivos pelo facto de o marido ter uma mulher como chefe no trabalho.
Este tipo de reacção pode afectar gravemente uma relação, levando o outro parceiro a sentir-se constantemente pisando em ovos para evitar uma crise de ciúme.

Ciúme e inveja
O ciúme está intimamente relacionado com a inveja.
A diferença é que a inveja não envolve o sentimento de perda presente no ciúme. Mas ambas são um misto de desconforto e raiva e atormentam aquele que cobiça algo que outra pessoa tem. Quanto mais baixa for a auto-estima, mais propensa está a pessoa a sofrer com um dos dois sentimentos.
Outra diferença entre ambos reside no facto de o ciúme, quando ultrapassa certos limites, se transformar em patologia, coisa que não acontece com a inveja.
Ciúme e inveja desviam o foco de quem os sentem para os cuidados com a própria vida, tão preocupado fica com a vida de outra pessoa.

CIÚME PATOLÓGICO
Em questões de ciúme, a linha divisória entre imaginação, fantasia, crença e certeza frequentemente torna-se vaga e imprecisa. No ciúme as dúvidas transformam - se em ideias super valorizadas ou francamente delirantes. Depois das ideias de ciúme, a pessoa é compelida à verificação compulsória das suas dúvidas. O(a) ciumento(a) verifica se a pessoa está onde e com quem disse que estaria, abre correspondências, ouve telefonemas, examina bolsos, bolsas, carteiras, recibos, roupas íntimas, segue o companheiro(a), contrata detectives particulares, etc. Toda essa tentativa de aliviar sentimentos, além de reconhecidamente ridícula até pelo próprio ciumento, não ameniza o mal - estar da dúvida.

Entre absurdos e ridículos, há o caso de uma paciente portadora de Ciúme Patológico que marcava o pénis do marido assinando-o no início do dia com uma caneta e verificava a marca desse sinal no final do dia.

Mais absurda ainda é a história de outro paciente, com ciúme obsessivo, que chegava a examinar as fezes da namorada, procurando possíveis restos de bilhetes engolidos.

Eu própria conheci dois casos absurdos, mas desta vez de um homem:
Cheirava as cuecas da mulher ao fim do dia, pensando que assim descobriria se ela tinha estado com outro homem, e verificava beata por beata todos os cinzeiros de casa, para ter a certeza que mais ninguém lá tinha estado na sua ausência.


Sendo que isto é a opinião de especialistas, aqui fica a minha:
Um pouquinho de ciúme apimenta a relação.
Em excesso, acaba com ela porque em última análise acaba com a liberdade do outro.
Em excesso é uma doença grave que pode levar até ao crime.
A causa que lhe está subjacente é, para mim, uma enorme falta de confiança no outro, e de auto estima do próprio.

Tenho um pouco de ciúme, gosto que tenham um pouco de mim, mas nada mais que isso.
Simplesmente não tenho paciência para aturar ciúmes ridículos, e não me permito ter ciúmes doentios de ninguém.

Sou muito pragmática nessas coisas:
1ºDeixo de gostar de quem não gosta de mim. Pode custar, mas consigo.
2º “There are plenty more fishes in the sea”

Quanto à Madame de Stael era uma conhecedora da natureza humana: disse numa frase, o que eu levei 2 folhas a dizer...


Mas tinha outra de que também gosto: Nenhum homem sente ciúme por outro homem se interessar pela mulher amada. Sente pelo interesse dela em outro homem!

E tem outra de madame de Deshoulières "Um pouco de ciúme desperta um amor feliz que arrefece."( Claro que se for em Portugal, pode acabar em homicídio qualificado).

beijinhos e veludinhos

Blue Velvet disse...

Agarre numa máscara e vá ao meu sítio buscar uns ciúmes que lá deixei para si...
Isto não me saiu lá muito bem:):):)

Manuel Damas disse...

Bem...
"bluesinha"...depois desta lição, não tenho absolutamente mais nada a dizer.
Excepto que para advogada...

Blue Velvet disse...

Já foi buscar as suas coisas que deixou lá na minha casa, a última vez que lá foi??? iac iac iac

Manuel Damas disse...

Oh, "blue"...antes de mais, a última vez que estive em sua casa, foi a convite seu e as coisas que lá deixei, foram presentes que você me deu!
:))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Senhora Dra. de Leis...não vem que não tem!
Não se meta comigo que lhe falta muito quilómetro de estrada e muita lata!
:)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Um beijo enorme!