terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

EPÍTETOS DE AFECTOS 3...


Nos amantes o tempo é uma dimensão do outro.
Mas como?
E porquê?
Quem ama, de forma agitada e vulcânica, apaixonada, vê o tempo em função do tempo do outro...tem o tempo direccionado para os ponteiros do outro.
O tempo adquire a vertente de "Quanto tempo falta para estar com..." E isto de forma absoluta e insofismável.
E assim é porque aos amantes proporciona prazer, que não o obrigatoriamente sexual, o acto de estar em conjunto, de respirar a dois, de ver o mar a dois, de viver todos os segundos de cada dia a dois, em uníssono...É o sublime e único prazer de "estar com..."
Se o dia deixa de ser circadiano... não interessa.
Se está frio ou calor pouco importa.
Se o céu caiu, as árvores murcharam, os pássaros deixaram de voar ou a água secou, pouco interessa desde que estejam um com o outro.
É o egoísmo da paixão!
É o amor na sua mais perversa e dolorosa vertente...a da castração do "self" em benefício único e exclusivo da existência do outro, com o outro e para o outro.
E, desta forma, até o tempo se torna uma dimensão do outro.
Só assim o tempo adquire essa outra intencionalidade, quase animal, quase irracional, quase utópica!

4 comentários:

macaw disse...

quando realmente se ama não há nada que impeçam ambos de estarem um com o outro, não há desculpas como "não tenho tempo" ou "não tenho dinheiro", não se deixa de atender a chamada porque estávamos ocupados, porque para o amor estamos sempre disponíveis, não se deixa de responder às mensagens, porque esquecemos ou achamos que não é importante. quando realmente se ama alguém aproveitamos todas as oportunidades para estar com esse alguém e não apenas umas horas, não há distância que impeça,porque quando realmente se ama alguém não há nada, "mas nada, nada nos impede de estar juntos, porque nada nem ninguém é mais importante, do que nós."

e ao conluir este comentário e relê-lo, convenço-me cada vez mais que ando à procura do amor nas pessoas erradas... que se há-de fazer, herdei a burrice do meu pai, está nos genes...

bjinhos ;)

Manuel Damas disse...

Minha querida maczinha...como a compreendo.
Nem imagina quanto...
Um beijinho enorme!

Gundemarus disse...

Bom, por uma vez estamos de acordo... já era hora, meu amigo.
E posso até imaginar o que estará a acontecer nessa tua vida tao agitada e interessante,
1 Abreijo grande!

Manuel Damas disse...

És inteligente, meu caro Gundemarus, aliás como eu sempre soube.
:)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
Abreijo