segunda-feira, 10 de março de 2008

A MANIFESTAÇÃO DE PROFESSORES...


100 mil professores. E este número deve ser fidedigno porque, as versões da Polícia e da Organização são coincidentes, facto raro neste tipo de acontecimentos e que, na realidade, mais não faz do que confirmar o próprio número avançado.
Vindos de todo o País.
De todas as faixas etárias.
A maior manifestação, de sempre, de professores.
Consigo observar as posturas de gente pouco habituada a este tipo de coisas.
Vejo os olhares incomodados mas também preocupados e, como tal, resolutos.
Enfim, vejo gente que não está habituada a vir para a rua reclamar.
Não são os do costume...os da bifana e da cerveja.
Percebe-se que não são aqueles que os Partidos políticos costumam recrutar.
Vê-se que não são os habituais arregimentáveis sindicais.
Não sei porque mas fazem-me lembrar as "Mães de Maio" argentinas e isso é muito preocupante...pelo menos para mim.
Porque este, este é o Portugal real.

Do outro lado, do lado de lá, do lado de quem manda pode ler-se...

"A adesão ao protesto dos professores não é relevante."
Maria de Lurdes Rodrigues

"O que me convence não é a força dos números, é a força da razão.(...)
A saída da ministra não está nem nunca esteve em causa.(...)
Não posso recuar naquilo em que acredito e de que estou absolutamente convencido.(...)
Era o que mais faltava se a acção governativa dependesse agora do nível das manifestações."
José Sócrates

Penso que a guerra está para durar.
Até quando?
Até que o povo desista ou se canse?!
Desta vez duvido.
O mais certo é que seja até que a Ministra caia e, por este andar, pode ser que seja até que o próprio Governo caia...

27 comentários:

lumiere disse...

desculpe la!
se bem me pareceu mais de metade das pessoas que lá estava nao estava ao cento e ao contento do que falava muito bem a avaliação dos professores! admirou-me tb ver alguns professores dizerem em pleno jornal que são sindicalizados e que ja pensaram deixar de se-lo!
começo a perguntar-me afinal que foram fazer tantos professores para lisboa! foram passear? foram lanchar a grande cidade?
mas afinal será que os sindicatos conseguiram explicar aquelas alminhas a lei de que tanto se fala? é que nem eu nem metade dos portugueses ainda perceberam pk é que 100 mil foram para lisboa! talvez queriam bater o record do guiness! tb vi lá baneiras do SIPE e lembrei-me de si professor!
será que me pode explicar a mim e talvez a mais alguém o que foram fazer tantos para Lisboa?
será que foram pedir a ministra que se despedi-se?nao conseguram ! a mulher esta de pedra e cal!
se calhar o medo de alguns que lá foram será que lhes digam na cara que nao ten perfil para ser professores!
claro que nen todos tem aquele a vontade e o prazer de ensinar que o professor tem e que tanto é elogiado por onde passa!
deixo aqui a minha opinião esperando as respostas

mik@ disse...

ola...

eu também estou um bocadinho por fora do assunto porque directamente não me diz respeito...

contudo acho bem que se a classe de professores não está contente pois que se manifeste e faça valer os seus direitos...

cada um tem de lutar por aquilo que acredita ser o melhor para si e para os seus.

bjo :)

Oliva verde disse...

Sou professora há quase trinta anos. Sou, politicamente, independente. Já participei em muitas manifestações de professores. Não consigo identificar "os da bifana e da cerveja", nem os que os partidos políticos ou os sindicatos "arregimentam"!!!!!
Tenha paciência, Manuel Damas! Ao contrário do que pensa, eu vivo neste País e costumo estar atenta (até porque estive lá, no meio dos 100 mil, e dos outros, bem menos, claro, dos que têm lá estado nas outras vezes!!!)Que estiveram lá a fazer? pergunta alguém, aqui neste seu espaço.
Pois é. É talvez a hora de esclarecer a opinião pública que os PROFESSORES deste País vieram para a rua EXIGIR RESPEITO!!!!
Respeito pelo seu trabalho, respeito pelas exigências de uma profissão desgastante, fundamental em qualquer País civilizado e determinante para o progresso e desenvolvimento de qualquer sociedade!
Estiveram na rua mais de 2/3 dos profissionais!
Seremos todos desprezíveis, ignorantes, iliterados?
Não se esqueçam, meus senhores, que foram ESTES professores que vos deram as ferramentas básicas para poderem aqui estar!
Desculpe a invasão do seu espaço mas "quem não se sente..."

Manuel Damas disse...

Ora bem...
Meu caro João...
Os professores foram lá pedir/exigir dignidade de trabalho.
Foram pedir que os deixem trabalhar, com decência.
Foram pedir que deixem de ser considerados pelo poder político o lixo laboral da Nação.
Foram pedir tanta e tanta coisa, João...
Eu como você diz, não teria problemas em ser avaliado enquanto docente. Mas até acredito que se fosse por meia dúzia de energúmenos que não podem comigo e eu com eles, sendo aquele professor que você conhece, até acredito que acabasse com uma péssima nota ou até mesmo chumbado.
Foi por estas e por muitas outras coisas que 2/3 dos professores portugueses avançaram para Lisboa.
E eu só não avancei também por causa do programa de televisão e da crónica do jornal do dia seguinte.
Mas espere que abra a campanha eleitoral, seja ela qual for e você vai me ver a fazer campanha eleitoral como nunca viu ou sequer imaginou que eu fosse capaz!
Eu quero é que o País seja limpo, definitivamente, deste lixo, e que o mesmo seja varrido para donde nunca mais possa regressar, nas próximas gerações!
Estou farto!
E espero que o povo também esteja!

Manuel Damas disse...

Oh "micas"...é uma luta digna e justa e espero que vá em frente!!!!

Manuel Damas disse...

Oh Oliva...
Desculpe lá, mas bateu na porta errada!
Não me venha falar a mim de manifestações ou de sindicatos porque eu sou Presidente da Mesa da Assembleia Geral de um sindicato de professores.
Eu sou professor há 20 anos.
A minha mãe era professora.
O meu avô era professor.
Sei perfeitamente de que se trata esta luta...
E estou solidario!
E estou na luta!
E estou para estar e por estar.
Sei e compreendo que é uma luta pela dignidade profissional.
Sei que é uma luta para a classe docente deixe de ser considerada, de forma imerecida, o lixo laboral do País!
Por isso...
Deve ter havido.de certeza, um qualquer mal entendido...
Eu estou do lado dos professores até porque nem outra coisa poderia ser.
Sou docente por opção e por devoção. tenho orgulho no que faço e como o faço.
E não admito que uma qualquer ministra ou um qualquer politico de pacotilha se atreva a duvidar do que faço, com arte, engenho e amor.
Até porque eu não votei neles, nunca o faria nem nunca o farei mas sei de muito boa gente que votou, de forma inconsciente, mesmo apesar dos meus alertas...
Mas também não gosto de ser mal interpretado quando, ainda por cima, ao longo dos anos, tanto tenho dado à luta pela classe docente.
Espero que agora sim me tenha entendido.
Um abraço

Manuel Damas disse...

As expressões que usei de "Manifestantes profissionais", de "bifana e cervejola" e "arregimentados pelos sindicatos e pelos partidos" foi num sentido sarcástico e irónico que pensei que tinha sido perfeitamente perceptível!

navegadora disse...

Com sentido de dever participei na manifestação do dia 8, como forma de luta por uma sociedade mais justa, onde os valores sejam de facto a pessoa e não os "factores económicos" a ditar as leis e os decretos. Mascarada de Avaliação esta legislação vem impor a redução nos ordenados, a precaridade,( as ofertas de escola, a componente de apoio à família),o aumento de tempo de serviço e vem isolar os professores e potenciar o trabalho individual em detrimento do trabalho em equipa. Quem vai partilhar trabalhos, inovações ou pesquisas que fez, se as" cotas" só permitem alguns excelentes, alguns muito bons e o nossa progressão na carreira depende dessa avaliação.
Muito dos professores que se manifestaram já estão no topo da carreira..mas para lá chegar já trabalharam 20 ou mais anos e fizeram inúmeras acções de formação...não se mudava de escalão sem os "créditos" necessários, não estavam a lutar " por dinheiro" ou por "regalias" descabidas, estavam a protestar por serem tratados como "culpados de todo o insucesso" e por não conseguirem resolver nas escolas todos os " males que a sociedade sofre".
Foi com orgulho que participei...fi-lo por mim, mas também com consciência cívica, pois os pilares da nossa sociedade(educação e saúde), estão a ser gravemente afectados por um modelo de gestão em que o " poupar" e os números estão sobrevalorizados e o ser humano desvalorizado...valeu a pena? "Tudo vale a pena quando a alma não é pequena"...quando nos distanciamos do imediato, do acessório e olhamos mais longe...para lá do nosso horizonte.
Um beijo professor.

Manuel Damas disse...

Um beijo enorme e solidário, navegadora!
Eu não pude participar mas também porque achei que seria mais importante a minha participação através da escrita, especificamente da crónica que publiquei no dia a seguir.

lumiere disse...

Damas a ministro da Educação!
bora lá á revolução
conte com o meu apoio!
até o ajudo na campanha

Oliva verde disse...

Parece que, afinal, bati na porta certa!
Assim, foi possível esclarecer as dúvidas que tinham ficado!
Assim, foi possível dizer, claramente, que quando falou das bifanas e cervejolas e dos que eram arregimentados pelos sindicatos e partidos políticos (e foi você que falou, não eu!!!!), apenas estava a ser sarcástico!
Ainda bem que a esta porta bati!
Talvez agora, sem sarcasmos, o João tenha percebido o que estavam lá a fazer tantos professores.
Obrigada pelos esclarecimentos.

lumiere disse...

bem entender ja tinha entendido! mas vamos ver uma coisa! ainda há pouco estive a falar com uns professores amigos e eles nao foram a lx pk acharam que há outras formas de fazer luta que nao a de ir para lx e nao terem frutos

Manuel Damas disse...

Uma coisa pode crer, meu caro "lumiere"...nunca tentaria fazer uma suposta "reforma da educação"contra os seus principais agentes ou seja, os professores!

Manuel Damas disse...

Esclarecimentos dados e esclarecimentos recebidos fica tudo esclarecido.
Ótimo!
Vamos lá mas é lutar!
:)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))

Manuel Damas disse...

Oh lumiere...é por essas e por outras, por esse comodismo, por essa falta de força para lutar, por esse desânimo, que este país está como está, Ministério da Educação incluido!!!

lumiere disse...

o professor sabe bem que sou o primeiro a reclamar por tudo e por nada!
porém tb so me meto em manifs se forem justas ! ja fui para várias com a jota do meu partido nao pk o partido queria mas pk achava a causa justa e sempre de megafone na mao e a gritar palavras de ordem
fui um dos principais revolucionarios de quando queriam tirar os exames nacionais e chegamos ate a ser quase detidos por nos manifestarmos
sei que foi por uma causa justa e apoio!
agora se pra proxima o professor for eu vou consigo de megafone na mao

mas desta vez tentemos elevar o numero de uma causa justa

Manuel Damas disse...

Esta é, indiscutívelmente, uma causa justa, lumiere...

Coragem disse...

Causa mais que justa, enquanto Mãe de 3 alunos, apoio inteiramente o manifesto pelos direitos dos professores e, todos os profissionais que se sintam lesados.
Esta a meu ver é uma luta, que pertence a todos nós, enquanto Pais, enquanto alunos, que já fomos um dia. Enquanto trabalhadores... solidários.
O problema é que nos individualizamos, achando sempre que esta é uma questão que não nos pertence, saisse o povo todo à rua, veriamos com certeza absoluta este governo cair e, não apenas a esperança de uma Ministra da Educação.
Bj.

Manuel Damas disse...

Subscrevo na totalidade, coragem.
Um beijinho grande!

macaw disse...

"Os professores são avaliados pelo Conselho Executivo e por um “professor coordenador de departamento curricular”, ou seja, virtualmente qualquer professor que por um motivo ou outro seja eleito pelos demais. O Conselho Executivo limita-se a avaliar parâmetros como o da assiduidade e pontualidade, da participação do professor em causa nas actividades escolares, etc., já o professor coordenador, que tem nos seus ombros solitários o peso de escrutinar colegas, deve avaliar “a qualidade científico-pedagógica" de disciplinas que não domina, por não serem as suas. Assim, a Sr.ª Ministra acha que um professor de educação física tem capacidades para avaliar um professor de matemática…" este é um excerto de um post que li no Janelar (podem ver na minha lista de blogs) e é revoltante, mesmo muito revoltante se o que aqui está é verdade. e sendo verdade, eu pergunto como é que há pessoas que, não sendo profs nem conseguem alcançar o significado do que é ser-se prof. hoje em dia, podem criticar-nos e dizer que andamos a fazer figuras tristes (como já li em alguns blogs), quando no fundo só pedimos que nos deixem fazer o nosso trabalho. é de lamentar! estou de luto por portugal e as mentalidades de certas pessoas que criticam sem antes de sequer se informarem da situação. foi a isto que portugal chegou. estou de luto...


prof, corrija-me se estou enganada e esteja à vontade para acrescentar algum aspecto que considere importante. não tenho tido muito tempo para ler mais sobre o assunto, mas o que li deixou-me muito revoltada.

bjinhos ;)

Manuel Damas disse...

Oh "mac"...infelizmente não tenho nada para corrigir.
Um beijinho grande!

macaw disse...

nesse caso, vou-me embora triste
:((((((((((((((((((((((((((

bjinhos :(

Manuel Damas disse...

E eu fico triste, pelo estado em que está o nosso Portugal!!!

lumiere disse...

como se dizia ha algum tempo "Senhor falta cumprir-se POrtugal....."

Manuel Damas disse...

Fernando Pessoa diz-lhe alguma coisa????
:)))))))))))))))))))

lumiere disse...

´sim sempre eterno e actual

Manuel Damas disse...

Ainda bem....