segunda-feira, 10 de março de 2008

REGRESSO À TERRA...


Tenho que confessar...Se há pessoa que eu compreendo mal, muito mal mesmo, é a mim próprio.
E, com o passar dos anos, vou-me compreendendo cada vez pior.
De quando em vez dão-me estranhas crises que passo a explicar...
Para quem não me conhece ou não me conhece bem, eu sou um urbano assumido.
Um citadino de primeira água.
Não gosto do campo, a não ser para passar uns dias, a passear, ver a paisagem, olhar e sentir o ar do campo, comer pratos típicos e caseiros e pouco mais.
Mas têm que ser poucos dias...
E digo poucos porque rapidamente começo a ficar impaciente com o silêncio e a calma, começa-me a faltar o bulício, chego a ficar cheio de comichões e é mais do que altura de regressar à cidade!
Gosto da "movida" citadina!
Sou um "adict" do bulício das grandes cidades.
Acontece que, de quando em vez, muito espaçadamente, felizmente, dá-me uma crise de nostalgia campestre.
E foi o que me aconteceu hoje.
Eu tinha comprado uma coluna lacada em branco para meter vasos de plantas.
Já tinha comprado os vasos com as plantas tinha-os posto dentro da coluna, sem sequer tirar os próprios vasos...
E foi isso, associado ao meu traço obsessivo compulsivo que me impede de aguentar durante muito tempo algo que esteja desarrumado, que despoletou a minha nostalgia da terra.
Logo a senti...logo a tratei.
Fui a um hipermercado e comprei terra.
Depois comprei fertilizante.
Depois uma pá para a terra(parece que se chama ancinho).
Depois um ferro para esgravatar a terra.
Depois um regador pequenino.
Depois fertilizante.
E obviamente umas luvas...uops...eu ainda não tinha confessado que tenho paranoia de sujar as mãos, especificamente com gordura ou com terra.
Por isso as luvas de jardinagem.
Chegado a casa fui buscar a coluna à sala de estar que já estava colocada em seu sítio e levei o estendal todo para a cozinha.
E aí começou a guerra entre Eu-citadino e Eu-campesino...
Chafurdei em tudo e que chegasse!
Consegui magoar um dedo!
Consegui sujar o chão da cozinha todo!
Consegui sujar a coluna!
Consegui sujar a banca!
Consegui sujar a minha camisola!
E ainda me fartei de vociferar...em calão, obviamente, porque tem outro peso punitivo e dá outro prazer!
Mas consegui fazer o que me propunha e, principalmente, alimentar a minha crise de nostalgia da terra e assegurar que outra crise, a dar-me, não será, cerrtamente, em 2008.
Três horas depois, está já tudo limpo, arrumado e arranjado.
O centro de plantas ficou espectacular...ainda que ninguém consiga imaginar, verdadeiramente, a trabalheira que me deu e os sérios riscos que corri.
Aliás...ninguém...não é a versão correcta.
Sei de alguém que consegue imaginar na perfeição, todo o trabalho que tive e a data de asneiras que fiz entretanto.
Mas é isso que, também, me torna tão atraente...
:)))))

61 comentários:

Coragem disse...

Eu então considero-me literalmente uma mulher do campo.
Todos esses estragos que fez na sua cozinha, é das coisas que maior prazer me dão no meu quintal/jardim.
Adoro flores e plantas, adoro, trocá-las, regá-las, adubá-las, e sempre sem luvas, porque estas não me dão qualquer jeito.
Juro, que sujo as mãos, dá-me um certo prazer mesmo.
Para que conste, também eu há 14 anos fui uma mulher citadina, daquelas que galinhas só mesmo no hipermercado (bom, isso ainda se mantem):)))))
Ao contrario do professor, as comichoes dao-me, quando tenho que me deslocar, (o que se torna raro) à grande Cidade.
Beijinho

Manuel Damas disse...

Gostei de a ler e fez-me sorrir.
Um beijinho grande...

Helena disse...

Eu cresci no campo e admito sentir falta das estações do ano marcadas pelas colheitas agricolas da região. Sinto falta das manhãs claras c o canto das aves, das noites serenas, dos grilos, das tardes secas e tórridas, do cheiro da terra, dos assados da minha avó em forno a lenha, do pão, do cumprimentar sincero dos vizinhos, até do zurrar dos poucos burros q ainda existem... Ai, professor do q me foi fazer lembrar...

Sunshine disse...

O meu filho de 3 anos, ouviu? Três anos apenas consegue fazer vários arranjos, sabe semear, pôr os bolbos na terra e fazer menos de metade da bagunça e em menos tempo. Ai estes citadinos! Já agora gostava de ver a foto do arranjo, é que eu nadoro flores.
Infelizmente vivo num apartamento, mas adoro a terra, senti-la nas mãos, semear, transplantar, regar, mondar... ver a viada a nascer e a crescer. é um milagre que nunca deixa de me surpreender!
Por isso, quando chega esta altura, ou um pouco anos, sou eu, os garotos, a terra, os vasos, as sementes e é uma folia!
Ai o que suspiro por um pouco de terra...

Manuel Damas disse...

Disso tudo que fala, Helena, queria os assados no fogão de lenha...

Manuel Damas disse...

Oh CC...mas eu tambem vivo num apartamento!!!
É bastante grande mas não deixa de ser um apartamento!!!!!

Olá!! disse...

Prof isso é tipo virus apague

Manuel Damas disse...

Obrigado "olazinha"...já apaguei que eu sou muito obediente...
O meu computador, de qualquer modo, como é Mac está protegido da grande maioria dos virus!
Tem estado muito caladita e tenho sentido a sua falta!

Olá!! disse...

Adorava viver no Alentejo... maluca, talvez, mas tenho espírito da "terra"...
Quanto à sua "plantação" urbana, cheira-me que comprou fertilizante a dobrar, a tal da pá deve ser mesmo uma pá e o ferro para esgravatar, o ancinho... enfim...
Ainda bem que não tem galinhas na varanda ;))))
Agora a minha dúvida... quem o ajudou a transportar a coluna para fora da cozinha???? Hein???? Confesse....
Para terminar, espero que as plantas sejam de interior hahaha
beijos Professor e obrigada por este momento que me fez sorrir

macaw disse...

um post "light", que bom, para aliviar da tensão do anterior! :)))

eu cresci no campo, na altura não gostava lá muito, porque tinha de trabalhar na terra muitas vezes sob um calor insuportável. também tratava das flores do nosso jardim e olhe que temos cada flor mais linda lá na madeira! (tirando o tio jardim, "essa" é uma erva daninha :S). o contacto directo com a terra, sem luvas, só faz muito bem. suja. é natural. mas, lava-se, para isso é que serve a água! :)))

agora já me habituei à cidade e sinceramente não sei se conseguiria viver no campo outra vez. de qualquer forma far-me-ia muito bem passar lá umas semanitas para descansar. ando mesmo cansada de tudo.

bjinhossss ;)))

Manuel Damas disse...

Fiz tudo, absolutamente tudo, sozinho!!!
:P
Até as limpezas finais...
Deixei a cozinha a brilhar!!!
:P

Manuel Damas disse...

Oh "maczinha"...a menina é madeirense????
Que giro!
Não é a única madeirense a visitar este blog...
:P

macaw disse...

depende... no continente sou madeirense, na madeira sou cubana, aqui sou americana, canadiana, australiana e não sei que mais, enfim!
cá dentro cá dentro, sou um mix, sou do mundo, com um carinho muito especial pela madeira e continente!

:))

Manuel Damas disse...

Eu sei ao que isso sabe!
Cada vez que palavro consigo, maczinha, recordo-me sempre da minha fase nos EUA...
Um beijinho enorme e solidário!

lumiere disse...

qual é esse filme?
nunca o vi
mas vejo que essa parte de o ver de vassoura na mão seria fantástico o que nao daria para ter uma foto disso
tal como tenho a foto de um certo beijo na esevr!

lol so falta mesmo tirar as luvasn para sujar as unhas e se sentir um homem do norte

lumiere disse...

a serio essa do plantar e mexer na terra é muito mais do que esperava do meu amigo Damas!
será o meterosexual a falar( ou o metro sexual)?

se quiser brincar mais aos agricultores conheço uns campos optimos ca em cima

ja agora nao lhe ficou nada mal arrumar depois tudo! o doi doi no dedo isso incha desincha e passa! nao se preocupe! ou entao pede um beijinho a alguem especial! mas cuidado com os beijinhos,.........................................................................................................
:)))))))))))))))))))))

Manuel Damas disse...

Uma coisa são as máscaras em aulas ou conferências...outra a realidade.
E, cada vez menos me apetece usar máscaras.
Por isso você tem assistido à queda de algumas, João!

lumiere disse...

nao me importo de as ver
pois tenho uma grande admiração por si e sabe isso !
ajudou-me numa altura que mais ninguem o fez mesmo nao sabemdo disso!
mas isso será algo para falar um dia a sos consigo!
eu sei do que falamos dessas mascaras !
ainda bem
um grande abraço

Manuel Damas disse...

Obrigado João!

lumiere disse...

quero fazer ja aqui e agora uma proposta! para quando um jantar desta malta que faz parte da tertulia deste blog???????
ja pensavamos nisso

cada um paga o seu! se quiserem fazer ca em cima era porreiro pois podiamos depois ir todos, se possivel, assistir no estudio ao programa! professor pense nisso

Manuel Damas disse...

Oh lumiere...
Não foi você o primeiro a pensar nisso.
A autoria da ideia, tenho que reconhecê-lo, é do Francisco do Essências.
Vamos deixar passar a Páscoa e depois logo conversamos todos!

lumiere disse...

páscoa? anda a faltar qualquer coisa ai! ha muita gente que nao festeja esse ritual cristão! porém respeito quem o faz! mas veja la as coisas para nao calhar a meio do estágio!

Manuel Damas disse...

Oh lumiere...calma homem!
Há todo o tempo do mundo para fazer esse jantar!

lumiere disse...

cumer e buber! folia e alegria! la estaremos HOMEM e va tem que levar uma plantinha dessas que compos hoje!

Coragem disse...

Arrenda-se casinhas rusticas, aqui no Alentejo :)))))))
Cada uma com o seu pedacinho de terra, pode semear, plantar, sem sujar cozinhas apartamentais. Acompanhante, para ajudar em arranjos florais, para os mais descuidados.
Guia de planicies para citadinos, que ainda não aprenderam a saborear o ar puro, viciando-se no fumo das fabricas e automoveis :))))))))))



Ai,ai como é boa a vidinha no campo.
Ainda há vidas com qualidade, ó se há.
Beijinho

lumiere disse...

é tao bom o ar puro do campo! é uma coisa fantastica!
desde que vim para o campo morar nao quero outra coisa o ar puro é fantastico e o poder mexer na terra ainda melhor! subescrevo coragem tudo o que disse
um beijo para si coragem

e um abraço Damas

Manuel Damas disse...

As minhas plantinhas não são de comer, lumiere!!!!!

Manuel Damas disse...

Oh coragem...só encaro essa hipótese na altura da minha "desvinculação laboral"...

Manuel Damas disse...

Ainda não estou nessa fase lumiere...

Waldorf disse...

Damas, estou aqui, não te quero triste por ausências da minha presença durante as minhas ausências!!!!

Mr.Enigma disse...

hahaha!

Fez-me rir professor!
Isso é que foi uma batalha épica com o seu "eu campino"! :))

Devo confessar que encontrei semelhanças de comportamento no que escreveu... campo para mim mais do que 3/4 dias é agoniante... demasiada pasmaceira, demasiada calmaria, parece que tudo é vencido pela inércia... ah bela Nova yorke... tanto te espero...


:))))

bjo!

lumiere disse...

professor assim que puder veja as alterações do acordo ortográfico!

Xanda disse...

Eh eh eh!!! O professor é demais.
Uma dica, lá p/ 2015 quando "voltar ao campo" p/ plantar, em cima da mesa abra 2 ou 3 sacos do lixo, assim já pode sujar à vontade e no fim a terra e agua fica tda em cima dos sacos, é só dobrar e deitar ao lixo.

Eu já sou totalmente o oposto, vivo na cidade mas adoro o campo, mudava-me p/ lá c/ a maior das facilidades, os meus avós eram lavradores, talvez por isso goste tanto.
Bjnhs

gaivota disse...

Gostei muito desta vontade de "Regressar à terra",
sou natural de uma cidade bonita, com cantinhos muito especiais e ricos e de muita cultura.
A casa da minha avó era um r/c e tinha quintal, logo havia coelhos, galinhas, patos, limoeiros, nespreiras, flores, muitas flores... "uma casinha" onde se guardavam as "coisas", espécie de sótão...e onde também nos escondíamos,
sujávamo-nos o mais possível, felizmente!
tenho uma casa na praia mais linda de portugal e em breve voltarei a viver numa aldeiazinha perto de loures, onde tenho um jardinzinho e um quintalito...
vou continuar a sujar-me muito, pois irei rebolar-me na relva do quintal com os meus netos e jogar à bola com eles...
Presentemente ainda vivo pertinho de lisboa, mas cidades grandes, só memo de passagem ou porque tem que ser!
Beijinho para si

lumiere disse...

ja punhamos algo novo ou estamos numa de campónios e estamos agozar o bem bom do campo?????
:)))))))))))))))))))

susy claro disse...

Olá

Sorri ao ler o seu post, porque vivo esse conflito muitas vezes. Nasci e cresci na cidade, mas passei todas as férias no Alentejo, num típico monte alentejano em que o contacto com a terra e a Natureza era diário e constante. Sei que essas vivencias me enriqueceram como pessoa. Desde há dois anos que vivo numa casa com jardim numa pequena aldeia. Demorei algum tempo a deixar de ser o bichinho da cidade, para voltar a apreciar o contacto com a terra.
Agora estou aqui desejosa para que a Primavera chegue a estas bandas para fazer a mesma figura que fez com as suas plantas... e sim, também lá terei de dizer uns palavroes, porque ainda sou uma aprendiz de jardineira ;)
Adorei a descricao de como gosta de ter tudo arrumado e limpo... às vezes comeco a desconfiar que sou maluquinha das arrumacoes... afinal nao sou a única ;)
Beijinhos

bisturi disse...

Amigo e colega...ao deparar com este post obrigou-me a olhar para o lado o ver os bolbos de :narciso carlton, jacinto rosa e anemona simple; que estão aqui à espera de descer à terra e falta-me vontade ..os canteiros do quintal estão à espera de um especialista que tal?Já vi que temos homem multifacetado...
Mas hoje o tempo não convida a remexer a terra...lamento!

diabitah disse...

Eu gosto do campo...mas...irrita-me a dificuldade em ter rede no telemovel...LOLOL...

Agora só falta a fotografia para ver-mos o resultado...

Vá tenho de ficar por aqui que a professora de Qualidade já chegou...vou voltar as aulitas passei só para aproveitar o tempo e matar saudades...

Bjos para todos...até breve

Mize disse...

Senhor, meu Deus, ele não está bem....claro que depois só pensa em rojões, farinheira, torresmos e tantas outras coisas que o fazem inchar. Deixa a terra para os que nela andam com os pés. Professor...ei...acorde, nós estamos com um programa de precede o do Mestre Alves! Hello?!


Beijinhos

Templo do Giraldo disse...

Passei por aqui para o saudar.

Um abraço do templo.

Olá!! disse...

Professor, sei sim....

Manuel Damas disse...

Já tinha sentido a tua falta, docas...Deve ser ácido úrico...

Manuel Damas disse...

Meu querido Mr. Enigma...em Nova Iorque estive eu há uns meses...a %ª Avenida e tudo e tudo e tudo!!!!
Mas o menino não vai a Vilnius????
:)))))))))))))))))))))

Manuel Damas disse...

Ai lumiere...deixo isso para o fim de semana...

Olá!! disse...

Vá ao seu mail se faz o favor...

lumiere disse...

sim professor va ao mail

Manuel Damas disse...

Oh Xanda...grande ideia!!!!!
Ainda que me pareça que o meu gene agrícola não vai voltar tão cedo!!!!!!!

Manuel Damas disse...

Gostei muito do seu palavrar, "gaivota"...soube a doce da avó...
Obrigado!

Manuel Damas disse...

Lumiere, meu caro, o seu professor trabalha...Muito!!!!

Manuel Damas disse...

Eu tenho que confessar que sou um obsessivo compulsivo.
Mas não sou mau rapazinho!
:))))))))))))))))))))))))))))))
Um beijinho grande Susy...

Manuel Damas disse...

Multifacetado, bisturi, mas com limites!!!!!
))))))))))))))))))))

Manuel Damas disse...

Diabitah...prometo que a porei aqui...

Manuel Damas disse...

Zeuzinha...eu sei ser um "gentleman" num qualquer "Salão Árabe"...preciso de aprender a seu um fazendeiro!
:))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))

Manuel Damas disse...

Já lá fui, "templo", retribuir a visita!

Manuel Damas disse...

Obrigado "olazinha".
Um beijinho grande!

Waldorf disse...

Nelito, bem vindo sejas aqui!!!!
Há que séculos que não te via!!!!

Venha daí aquele abraço!!!!

Manuel Damas disse...

Tudo menos um beijo na testa, lambuzado, a cheirar a cola dentária!!!!!!!

Mr.Enigma disse...

É verdade professor! Vilnius! já amanhã :P

mas olhe que a inveja é uma coisa muito feia :P quer vir na mala?

:)))))

Manuel Damas disse...

Eu ir, até ia...
Leva-me consigo?!
:))))))))))))))))))))))))))))))))))

Waldorf disse...

Damas, estás a ser muito exigente!!!
Vou amuar!!!!

Manuel Damas disse...

Não amues, docas...vai pensando na hipótese de um dia destes juntarmos, todos, os pés debaixo de uma mesa, numa qualquer terra deste país...para comermos(comida, pastor), darmos duas de letra de olhos no solhos e pudermos, finalmente, distribuir os beijos na testa que se impõem!