terça-feira, 25 de março de 2008

PEQUIM 2008


A chama olímpica foi ontem acesa na ancestral cidade grega de Olimpia, no local onde, na Antiguidade, mais especificamente no ano 776 (a.C.) se disputaram, pela primeira vez os Jogos.

Aqui começará uma viagem de 137 mil quilómetros, passando pelos 5 continentes e culminando com a chegada, em Agosto, a Pequim.

Isto num ano complicado, com as manifestações anti-China, devidas ao problema do Tibete e se joga, de novo, o direito à liberdade de um povo...

Mais de 10 meses foi o tempo necessário para criar o design e os detalhes técnicos da tocha olímpica usada em 2008, procurando infundi-la tanto com os símbolos da cultura chinesa como com o espírito dos Jogos Olímpicos. O resultado foi a “Nuvem de Promessa”, uma tocha que em todos os seus detalhes - cor, forma, decoração e textura - reflecte as tradições e a história dos Jogos Olímpicos de Pequim 2008 e do país anfitrião.
A inspiração na forma e no design da “Nuvem de Promessa” tenta simbolizar os 5.000 anos da civilização chinesa assinalando que uma das maiores contribuições da China para o mundo foi a invenção do papel e, como tal, a tocha surge com uma imagem de pergaminho tentando imitar o tradicional pergaminho chinês, inventado há mais de mil anos.

10 comentários:

Waldorf disse...

Nelito, eu é mais bolos!!!!

Gosto muito de bolas de Pequim!!!

Manuel Damas disse...

Nunca provei...
Prefiro as Bolas de Berlim...são maiores, mais grossas, deitam mais creme e sabem melhor...
:)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))

Olá!! disse...

Não mereciam, mas pronto...

Manuel Damas disse...

Mas olhe que a realização dos Jogos ainda não está assegurada, "olá"!

Blue Velvet disse...

Espero bem que não.
Assina-se onde?
Eu sou a 1ª.
Mas duvido muito que os cobardolas dos países vão nisso.
A ver vamos.
Beijinhos e veludinhos

Ricardo disse...

Não concordo com o boicote dos países aos jogos olímpicos.

Acho uma cobardia de todo o tamanho. E uma falta de respeito para com os seus atletas.

Porque não fazem um embargo total?

Falta de coragem?

Esta situação no Tibete vive-se aos anos... DÉCADAS!!!

Eu até aposto que passado o mês que duram os JO mais ninguém se vai lembrar do Tibete... infelizmente.

Jeanette Zork disse...

Se a não realização dos Jogos Olímpicos significa o alerta e o despertar da comunidade internacional, para o problema do Tibete...que seja...a ver vamos, num mês esta causa moveria mais, mentes, consciências e medidas do que em mais de cinquenta anos de esquecimento total.Afinal...prioridades são sempre prioridades, como tal não devem ser suprimidos os direitos humanos de um povo, cultura e nação, por direitos a jogos.
Beijinhos...

Manuel Damas disse...

Oh "Blue"...são os insondáveis meandros da política internacional...

Manuel Damas disse...

Não se esqueça que, por outro lado, manifestações dentro dos Jogos Olímpicos são perfeitamente proibidas elo Comité Olímpico!

Manuel Damas disse...

Jeanette...penso que tudo ficará na mesma e uns Jogos mais passarão...