terça-feira, 8 de janeiro de 2008

TABACO


A nova lei do tabaco entrou em vigor e parece, até ao momento, não estar a criar demasiada celeuma nem sequer a ser foco de grande conflituosidade.
Podemos, todavia, tentar efectuar um exercício de raciocínio!
Imaginemos que um belo dia, um qualquer belo dia, igual a tantos outros belos dias, o António, acordando mal disposto, foi ao café da esquina e resolveu fumar um cigarro.
O José, dono do café, que já andava de candeias às avessas com o cliente, ansioso por conseguir arranjar motivo para o pôr na ordem, recebeu o desaforo de braços abertos.
E estalou a discussão...
Palavra puxa palavra, encontrão leva a encontrão, até porque nestas coisas de ser macho um tipo não pode, nunca, ficar por baixo, um qualquer deles saca de navalha e espeta-a no peito do outro que, desfalecendo, cai no chão e morre sem um ai...
O acontecimento chama polícia, o assassino é preso e a notícia rebenta, primeiro no jornal da terra, chega à vila e, de rompante, cai nas redacções dos grandes jornais da cidade e nas estações de televisão!
No dia seguinte é notícia de primeira página...pela morte e pelo motivo.
Talvez até pela falta de outro qualquer assunto de maior relevância.
Talvez até pela falta de tantas pequenas coragens em exercer o direito da liberdade individual de fumar.
Por um qualquer motivo, a notícia fez furor, como um discreto rastilho.
Nos tempos seguintes, muito suavemente, pequenos focos de tensão foram alastrando, levemente, em cascata, mas de forma latente.
Até que alguém, do núcleo daqueles alguéns que estão convencidos que pensam e que se atrevem a achar que, dentro do acto de pensar, ainda conseguem reflectir, pensou, reflectiu e chegou a uma conclusão...
"Mas que raio de ideia é esta do Governo, do Poder, achar que pode mandar em mim, no meu mais íntimo?"
Se sobre isso reflectiu, sobre isso produziu opinião, que alardou, difundiu, publicou.
O rastilho ganhou novo fôlego!
Conseguiu espaço e tempo para crescer.
A contestação rebentou!
Primeiro discreta, mas organizada!
Agora aqui...
Depois acolá...
Logo, lá mais longe...
E foi aumentando a quantidade e estreitando a distância e o período de latência!
De conflito em conflito, gerou-se a discórdia e rebentou a crise.
Com força!
Com potencial!
Com violência!
Era em tudo isto que eu estava a pensar quando aqui me sentei.
Logicamente que isto mais não é do que um exercício do pensamento.
Um livre exercício do acto de pensar.
Mais não é do que um momento académico.
Mas era perfeitamente possível e plausível...
Bastava que uma qualquer coincidência rebentasse!
Bastava que o povo achasse que estava a ser condicionado em demasia!
Bastava que o povo descobrisse quem é que manda, na realidade e que a sociedade, anónima, mais não é do que o conjunto de todos nós.
Ou seja, bastava que o povo descobrisse que a sociedade somos nós e, como tal, somos nós que mandamos, como um todo.
Bastava que o povo achasse que..
BASTA!
Mas isso, isso não vai acontecer, pois não?

20 comentários:

Waldorf disse...

A história de faca e alguidar está incompleta!
Falta dizer que o fumador andava enrolado com a mulher do homem do café, que por sua vez não fumava e que por sinal, ela, a mulher, suprimia uns maços para o amante que tinha um caso com o fornecedor dos bolos, o padeiro, portanto!!

Manuel Damas disse...

Hum...
Não está mal pensado...
Se bem percebi o fumador dava "assistência" à mulher do dono do café e ao padeiro...ou extravasei as minhas competências?

FM disse...

Isto do tabaco vem provar que o Português é, apesar de tudo, respeitador das Leis... Tenho-o notado no meu "tasco"... (risos)

Waldorf disse...

Isso Doutor... o fumador era bissexual, se é aí que está a querer chegar!

Manuel Damas disse...

Não tenho a mesma opinião, Francisco!
Acho que o português está a ficar, cada vez mais, um invertebrado! Uma osga!
Vai para onde lhe batem e nem tuge, nem muge!

Manuel Damas disse...

Meu caro Wal...se está convencido que eu interajo mal com palavras como bissexualidade, ou qualquer outro tipo de sexualidade ou prática...desengane-se, meu caro!
Sou capaz de o fazer corar, de pudor, no meio das virilhas!
:))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))

joana disse...

E onde esta a liberdade de direitos do cidadão?infelizmente as leis são impostas e ninguem reclama

Manuel Damas disse...

Esse é o gravíssimo problema, Joana. É que ninguém reclama! E eu até estou à vontade porque deixei de fumar há 5 meses!

Waldorf disse...

Isso faça-me corar no meio virilhas! As saudades que eu tenho!

Statler disse...

Também quero esse calor entre pernas!

Manuel Damas disse...

Meus queridos Sta e Wal...eu não disse que vos punha as virilhas a arder!
Eu disse que fazia as vossas virilhas corarem de vergonha!!!
:)))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))
(preciso de explicar mais alguma coisa....
tipo...
cemitério dos prazeres e morais...
tipo Vácuo!!!!
Chega por agora!)
São uns doces estes velhinhos caquéticos!!!!

Waldorf disse...

Doutor, já fiz, vi, tive, ajudei a fazer de tudo e mais alguma coisa, não me venha com pudores ou vergonhas!
As carnes é que mirraram com o tempo e não foi com o frio!

vsuzano disse...

o fumo também serve para "defumar" as carnes.... hehehehehe...

não existe governo nem exército que consiga travar o povo se ele decidir ir para um lado...

Olá!! disse...

O problema é que estamos a ficar apáticos... já não bastava sermos uns conformados...
Qualquer dia começamos a pagar impostos por nos tirarem a dignidade para além de tudo o que já nos tiraram e continuam a tirar...

Manuel Damas disse...

Wal, meu caro!
Oh para o meu ar de pena!...
De qualquer modo, meu caro, para quem nunca "voou" alto, deixar de "voar" pouca falta fará!
:))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))))

Manuel Damas disse...

Vsu...esse é precisamente o tema da minha próxima crónica de Domingo. De qualquer modo, neste momento, até disso duvido.

Manuel Damas disse...

A isso, "Olá", chamei na minha próxima crónica o "complexo de osga"!

Sandra T disse...

coitado do povo, isto do tabaco até é visível e dá que falar, e o resto? As urgências e maternidades a fechar diariamente, a justiça que cada vez está pior e dirigida unicamente a quem tem dinheiro...eu agora falava , falava, mas enfim, vou só dizer que às vezes acho que este governo nos odeia!... mas tanto tanto que nos ataca nos nossos prazeres mais pequenos, e o povo coitado, só está cá para pagar! Mas pronto, é o resultado de muitos anos de novelas e reality shows, há que impedir que a malta pense...

Manuel Damas disse...

Oh Sandra...mas não tem que ser assim?
O povo vai aguentar até quando?

macaw disse...

HEHEEHEHEHEHEHE da-me tanto gozo ler os posts como os comentarios!! HEHEHEHE (ok, ja chega!)

que o portugues se esteja a tornar cada vez mais numa osga e verdade! mas em relacao a lei do tabaco, vamos la ver a coisa como deve ser! eu ja fui fumadora por isso posso dar a minha opiniao de ambos os pontos de vista (fumadora e nao fumadora). ora bem, quando voces aqui contestam a lei do tabaco, dizem que foi tirado ao portugues um dos seus direitos - o de fumar -, mas essa e uma visao um pouco limitada, nao acham?!! isto porque estao a falar do portugues fumador!! e o portugues nao fumador onde fica no meio disto tudo?!! quando eu era portuguesa nao fumadora, era obrigada (obrigada sim senhor) a "fumar" o fumo que vinha da mesa do lado, porque as pessoas nao tem respeito! passei a fumar e claro, todo o fumo era bem vindo, viciada que era! tabaco, esse deixou de ser um incomodo para ser um convidado sempre bem vindo! agora que deixei de fumar, o tabaco ja nao e bem vindo, mas compreendo que aqueles que continuam a fumar sintam a necessidade de o poder fazer sempre e onde o queiram! mas nao vamos cair no exagero de dizer que foi-nos roubado um direito! porque ai, eu volto a perguntar, onde fica o direito do nao fumador?!! na minha opiniao, temos de analisar a questao de ambos os pontos de vista e encontrar uma solucao que seja vantajosa para ambos! cada um e livre de fazer aquilo que bem entende da sua vida, eu tambem sou das primeiras a defender a liberdade e tudo o mais. mas nao apenas a minha liberdade, mas a de todos. o fumador deve ter o direito a fumar, assim como tambem o nao fumador tambem tem o direito a sentir-se bem num local publico sem ser incomodado pelo fumo do vizinho! e agora? em que ficamos? é que a questao nao fica pelo incomodar, ja foi provado cientificamente e tudo o mais que o fumador passivo tambem é prejudicado na sua saude! agora digam-me, porque estou mesmo muito curiosa para saber, onde fica a liberdade e o direito do nao fumador que nao quer ser incomodado nem prejudicado pelo fumo dos outros?!!! pois, bem me parecia!!! desculpem la o tom, mas a mim irrita-me quando as pessoas veem as coisas so do seu ponto de vista! mas nao ha necessidade nenhuma de nos chatearmos por causa disso. a solucao passa por começarmos a respeitar a liberdade do outro, porque a nossa liberdade acaba onde começa a do outro. a liberdade como sabem nunca é total.

fiquem bem!